Banner superior
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Campeões regionais triunfam em Leixões

Com o aumento exponencial da prática da corrida quer em número de praticantes, quer em número de corridas, correr dentro de uma cidade tornou-se rotineiro e de tal forma banal que nos tempos que correm, os praticantes procuram sempre locais menos “comuns” para correrem. Para responder a esta exigência, há uma prova que decorre dentro de um dos maiores portos marítimos nacionais, a corrida do porto de Leixões.

Corrida Porto de Leixões marca a diferença nas corridas urbanas

A 5ª edição da corrida do porto de Leixões aconteceu este Domingo (9) de Setembro pelas 10:00 horas em Matosinhos e foi uma organização da APDL – Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo S.A e a EventSport, em colaboração com o Centro de Cultura e Desporto da APDL. O evento foi composto por uma corrida cronometrada de dez quilómetros e uma caminhada de cinco quilómetros sem fins competitivos.

A equipa de Opraticante.pt esteve presente no evento e agora apresentamos todas as notas sobre a forma como este decorreu.

Percurso por entre contentores, gruas e carris

A corrida do porto de Leixões teve partida e chegada junto ao afamado terminal de cruzeiros de Leixões e quer o percurso da corrida quer o da caminhada decorreram dentro do espaço portuário.

O primeiro e último quilómetro de prova decorrem quase todo na longa recta desde a entrada do porto até à zona do terminal de cruzeiros. Os restantes quilómetros são distribuídos por várias partes do porto.

Nestes oito quilómetros, destacam-se duas passagens no túnel rodoviário, pela ponte móvel de Leixões, muito percurso junto a contentores onde correr por entre carris dos comboios é comum, uma ida junto aos silos de Leixões e às portagens de entrada no porto. Em suma o percurso desta prova, permite percorrer grande parte envolvente deste porto marítimo e assim ficar-se com uma ideia da sua grandiosidade e da sua vasta logística.

No que ao atletismo diz respeito, é uma prova com um percurso rápido. Os primeiros cinco quilómetros de prova são muito acessíveis somente com a subida à ponte de Leixões a dar trabalho. A segunda parte da prova tem somente a dificuldade da subida junto às portagens que pode cortar o ritmo de prova.

Vencedores

Hugo Santos vence 5ª corrida do porto de Leixões

A edição deste ano da corrida do porto de Leixões foi disputada até aos últimos metros de estrada com uma decisão do vencedor ao sprint. O mais forte nessa disputa foi Hugo Santos do ACD São João da Serra que terminou a prova com 32:02min ficando um segundo à frente de Vítor Oliveira do Maia AC. A fechar o pódio ficou o atleta do Sporting Clube de Braga, Jorge Santa Cruz com 32:09min.

Marisa Barros triunfa na competição feminina

Na vertente feminina da prova, a competição foi mais tranquila com vitória isolada de Marisa Barros do Sport Comércio e Salgueiros com 35:37min. Na edição do ano passado, Marisa Barros tinha alcançado a segunda posição. A completar o pódio ficaram a atleta do ACD São João da Serra, Justyna Wojcik com 37:33min e Andreia Cunha com 37:59min.

A 5ª corrida do porto de Leixões teve assim vitórias dos campeões regionais de fundo masculinos e femininos que recorde-se alcançaram este título na corrida de Felgueiras no passado mês de Julho.

Vencedores por escalão

A prova teve vencedores por escalão e os vencedores foram os seguintes:

Hugo Santos

Na competição masculina venceram Hugo Santos do ACD São João da Serra (Seniores), Vítor Oliveira do Maia AC (VET35), Nuno Silva do CAL – Clube Atletismo de Lamas (VET40), Antonio Sousa do Ripolins Grijó a Correr (VET45), António Fernandes do G.D.C. do Guilhovai (VET50), José Cabral do Juntos somos Um (VET55) e Eduardo Sousa do Carcavelos Synergie (VET60).

Marisa Barros

Na vertente feminina triunfaram Justyna Wojcik do ACD São João da Serra (Seniores), Marisa Barros do S.C. Salgueiros (VET35), Sandra Pereira da Nascidos para Correr (VET40), Lígia Mendes do Gaia-Running (VET45), Rosa Trancoso do Academia Fernanda Ribeiro (VET50), Margarida Martins do GDR Juventude das Ribeiras (VET55) e Lucília Pereira do MYGIMY (VET60).

 

Vencedores por equipas

Na competição por equipas a grande vencedora foi a equipa do Sporting Clube de Espinho / António Leitão. Na segunda posição ficou a CCD APDL e a completar o pódio ficou a Nascidos para Correr.

Opraticante.pt com grande representação na prova

A equipa de Opraticante.pt esteve bem representada na corrida do porto de Leixões com vários participantes na corrida de dez quilómetros e na caminhada. No que toca à corrida cronometrada os resultados foram os seguintes, Nuno Fernandes (866º geral / 168º sénior) – 54:58min, Susana Rodrigues (1087º geral / 23º Vet40) – 58:56min, Patrícia Silva (1088º geral / 26º Vet35) – 58:56min e Filomena Soares (1385º geral / 5º Vet60) – 01:10:56.

Filomena Correia – OPraticante.pt

Prova com excelente organização e logística

A 5ª corrida do porto de Leixões mostrou mais uma vez uma excelente capacidade organizativa da EventSport que no local de partida e chegada da prova colocou todas as valências que os atletas devem ter quando vão participar numa prova de atletismo.

Ao dispor dos atletas estavam casas de banho, guarda-roupa, espaço de massagens, tendas dos patrocinadores com ofertas, stand de oferta de cerveja e claro um secretariado que não permitia muita fila de espera na hora de levantar o dorsal a quem o fizesse no dia de prova.

Todo o espaço envolvente à prova estava bem isolado e delimitado, havia inúmeros caixotes do lixo para evitar dejectos no chão antes e após a prova e quando as coisas são pensadas assim, o sucesso é quase garantido.

No que toca à organização no percurso, nada de errado se pode apontar com várias placas informativas ao longo deste com informações e quilometragem. Em todos os cruzamentos havia voluntários e o percurso estava todo delimitado e isolado. A prova teve dois abastecimentos de água ao quilómetro três e ao quilómetro sete.

Olhando à questão do kit do atleta, aquando do levantamento do dorsal, os atletas recebiam um saco azul alusivo à prova com dorsal com chip, uma t-shirt técnica branca alusiva à prova e vários folhetos e vouchers promocionais. Após a prova, para além da medalha finisher, era entregue aos atletas, águas, maçã, saco de maçã desidratada e barra de chocolate. Para o preço de inscrição de dez euros, o que os atletas recebiam foi de muito bom nível.

Foto: Leonel Videira

Numa questão mais pessoal, gostei mais da medalha finisher do ano passado, uma vez que tinha um formato mais em “bruto” do que a deste ano que teve um destaque mais colorido no seu formato, mas gostos são gostos….

 

Problemas do ano passado foram corrigidos

A edição anterior da prova ficou marcada por alguns problemas dos quais demos conta na reportagem que fizemos da prova e foi com agrado que verificou que na edição deste ano, não surgiram quaisquer desses problemas.

O ano passado, a partida tinha sofrido um atraso devido a uma falha eléctrica, este ano foi tudo a horas e em problemas. Na edição anterior, os quilómetros finais da prova que têm o percurso da corrida e caminhada no mesmo espaço tiveram alguns problemas na separação de faixas, este ano tiveram em toda a sua extensão, separados por via de sinalização e com alguns voluntários presentes e para terminar, o final de prova, este ano não teve longas filas de espera para receber o abastecimento final como se verificou em 2017.

Quando uma organização sabe resolver os problemas mencionados numa prova, mostra bem a sua posição e a sua vontade de crescer.

Prova decorre em ambiente único

É um facto que quem participa nesta prova não pode esperar um grande apoio popular no percurso da prova já que esta decorre num porto marítimo cuja entrada é vedada ao público pelo que a animação e apoio tem que vir na sua maioria dos presentes quer na corrida quer na caminhada. De notar que quando o percurso passou junto à entrada do porto havia muito apoio.

Quando o percurso da corrida coincidiu com o da caminhada o apoio foi grande e na linha de meta deu aquela energia extra a quem queria cortar a linha de meta com o melhor tempo possível.

Para quem gosta do ambiente marítimo, da rotina pesada de trabalho de um porto marítimo, a presença gigante dos contentes, dos rebocadores é uma prova que deve participar com toda a certeza. E no topo disto tudo, o clima em que a prova decorreu com um tempo nublado e com uma ligeira brisa que acentuava o cheiro característico daquele local.

Corrida do porto de Leixões, uma prova já firmada no calendário

A edição do ano passado da prova tinha sido um sucesso de afluência com a prova a registar o seu máximo de afluência de atletas. Este ano seria o tira-teimas para ver se a prova iria manter os mesmos níveis de afluência. A prova teve um total de 1476 finishers, um decréscimo de quase cem atletas a cortar a linha de meta em relação ao ano passado mas com mais presentes na caminhada, pelo que podemos dizer que o desafio foi superado e a prova se mantém firme na adesão de público.

Esta prova tem uma data muito boa no calendário de provas pois decorre uma semana antes da meia maratona do Porto e portanto muitos atletas da zona usam esta prova como um teste às suas forças.

A edição desta prova foi um sucesso organizativo com as falhas da edição a serem corrigidas. O ambiente onde decorre a prova é magnífico e depois no final sabe bem subir ao terminal de cruzeiros e admirar a vista.

Texto: Nuno Fernandes
Fotos: EventSport

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta