Banner superior
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Granfondo Arrábida entre a dúvida e a realidade

Tudo se perspectivava para um domingo de condições atmosféricas muito adversas sob a Península de Setúbal, mas principalmente para a prática do ciclismo, no caso para a realização da edição 2018 do Granfondo Arrábida, com previsão de intempérie e ventos fortes o que levaria a que o percurso delineado se tornasse muito perigoso.

Granfondo Arrábida

Mas eis que chega a manhã do dia 11 de Março e São Pedro decidiu dar um pouco de tréguas e a realização do evento deixou de ser duvidosa para se tornar uma realidade, ou não estamos em pleno Inverno e estas sim são as típicas e habituais condições atmosféricas esperadas para esta estação do ano.

 

Ainda assim em vésperas do evento do Granfondo Arrábida, muito se questionou acerca da realização ou não em paralelo com a Clássica da Arrábida, prova do calendário internacional profissional de ciclismo de elites.

A organização fez sempre questão de ter uma palavra para com os atletas inscritos, tendo um plano alternativo e até mesmo a possibilidade de cancelar o evento caso assim fosse necessário… e veio a confirmar-se que não o foi mesmo, pois estavam reunidas todas as condições e a prova realizou-se.

 

Esta 4ª edição do Granfondo Arrábida, e após o sucesso da edição em figurino de pré Primavera, tal como já relatado, regressou ao esplêndido cenário da Serra da Arrábida e incontornável Baía do Sado, com distâncias adequadas ao início de época mas desafiantes em termos de dificuldade do percurso a ultrapassar, sendo que os atletas tinham à sua disposição dois percurso: o Mediofondo com 85km e 1370d+ e o Granfondo com 119km e 1970d+

A partida e chegada da edição de 2018 deu-se em Setúbal junto à frente ribeirinha do Rio Azul, inserida na estrutura da prova profissional Clássica da Arrábida, mais precisamente no Parque Urbano de Albarquel, sito na Avenida José Mourinho.

 

Setúbal local de partida e chegada

Situada a 32 km a sudoeste de Lisboa, Setúbal encontra-se a curta distância das mais pitorescas cidades e vilas do distrito, como Palmela, Sesimbra, Alcácer do Sal e Grândola.

Existem muitos locais e atracções a visitar em Setúbal. Entre elas incluem-se a esplêndida Catedral de Santa Maria da Graça, do século XVI com os seus belos azulejos do século XVIII, a igreja gótica do Mosteiro de Jesus e as suas colunas manuelinas, um museu arqueológico com intrigantes vestígios da ocupação romana e o Castelo de São Filipe, datado do século XVI.

 

O distrito de Setúbal também abrange vários pitorescos portos de pesca e reservas naturais intocadas.

Explorar os parques naturais dos estuários do Tejo e do Sado são uma das actividades favoritas dos amantes da natureza. A vila de Palmela é especialmente famosa pelo seu vinho e possui um magnífico castelo que se ergue no cimo de uma colina oferecendo vistas magníficas sobre a Serra da Arrábida.

Azeitão convida a saborear

Pare na pequena localidade de Azeitão durante a sua viagem à Serra da Arrábida (pela estrada EN249) e saboreie alguns dos mais deliciosos vinhos doces e moscatel do distrito. A maioria dos produtores locais possui caves próprias e lojas que se encontram abertas ao público.

 

Situada a sul de Setúbal, a pitoresca vila de Sesimbra é o exemplo perfeito de um destino de charme, merecendo uma visita graças à sua praia, aos restaurantes de peixe fresco e marisco e às vistas da costa, com barcos coloridos pairando nas águas.

Considerada uma popular estância balnear, esta vila fica no sopé da Serra da Arrábida e da sua reserva natural, onde poderá avistar uma série de espécies de animais e plantas. Nas encostas sul da Serra obtêm-se magníficos panoramas sobre o Atlântico.

Mais vistas arrebatadoras esperam por si nas enormes falésias do Cabo Espichel, situado a oeste de Sesimbra. Se viajar para o sul do distrito, passe por Alcácer do Sal e visite o seu esplêndido Castelo Mouro.

Também poderá fazer uma paragem em Sines – uma bela cidade rodeada por praias e aldeias pitorescas, e tida como a cidade natal do explorador português Vasco da Gama.

 

900 atletas alinharam na partida

À partida para esta prova do Granfondo Arrábida a organização tinha inscritos 1000 atletas sendo alinharam na prova cerca de 900 atletas.

Conforme a disponibilidade de cada um, foi possível o levantamento do frontal junto ao local da partida, mais precisamente no Parque Urbano de Albarquel, no sábado dia 10 de março e na manhã do dia da prova de forma rápida e eficaz.

Antes da partida agendada para as 8h30 foi dado um breve briefing pela organização e cerca de 2 minutos antes da partida foram os atletas brindados com uma chuva, mas que durou poucos minutos.

Dadas a partida, os atletas seguiram em ritmo controlado pelo veiculo do director de prova e batedores da GNR pela Avenida Luísa Tody sendo que após a entrada na Estrada Nacional 10 junto ao Hospital da Luz deu-se inicio ao andamento livre.

De imediato a velocidade aumentou e o pelotão alongou começando aqui a ser feita a seleção de ritmos entre os variados atletas. Seguiu-se via EN10 em direção à primeira dificuldade do dia, a ascensão ao Alto das Necessidades com cerca de 2,5km de distância.

Seguiu-se via Azeitão, viragem para a EN379 em direcção à Cotovia onde se tomou o rumo a norte pela EN378 direcção Marco do Grilo e depois EN377 direcção Alfarim, sendo que pelo meio estava montado o primeiro abastecimento junto à Lagoa de Albufeira.

 

Controlo entre Alfarim e o Zambujal

Após a passagem por Alfarim e antes do cruzamento do Zambujal, foi colocado um controlo de chip. Seguiu-se novamente pela EN379 via Maçã para Azeitão sendo que se virou rumo aos Casais da Serra e Serra da Arrábida.

No cruzamento após a ascensão de El Carmen, o Mediofondo descia em direcção às praias e o Granfondo seguia até ao topo da Arrábida via Convento, seguindo pela descida da Secil, Vale da Rasca, ascensão aos Picheleiros, Azeitão seguindo novamente rumo aos Casais da Serra e “apanhou” o percurso do Mediofondo pelas praias em direção a Setubal.

À chegada, os atletas tinham uma reta com cerca de 200 metros que perspectivava um sprint para o final da prova.

As condições atmosféricas mantiveram-se estáveis durante todo o percurso o que ajudou a dar alegria a este Granfondo da Arrábida.
Aos interessados, da parte da tarde puderam assistir à chegada dos atletas da Clássica da Arrábida.

Todos os atletas que terminaram a provado Granfondo Arrábida, cerca de 750, foi-lhes imposta uma medalha de finisher para mais tarde recordar um evento realizado num local impar e que convida a que os atletas voltem para desfrutar deste lindíssimo lugar que é Setúbal.

Relativamente a classificações no no Mediofondo e Granfondo Arrábida, foram as seguintes:

Granfondo

Masculinos

1º Nuno Inácio – Jorbi bikes – 03:20:20.997
2º Nuno Manso – Viveiros Vitor Lourenço/Sintra Clube De Ciclismo – 03:21:20.307
3º João Letras – Asfic – Grupo Parapedra / Dinazoo – 03:21:31.467

Femininos

1ª Ana Santos – Individual – 04:05:41.683
2ª Kim Mangrobang – Rio Maior Triathlon Club – 04:39:32.190
3ª Cristina Luís – Bike Run Team – Go Bike – 05:01:28.760

Mediofondo

Masculinos

1º Luís Martins – Ce Gonçalves / Azeitonense – 02:24:32.577
2º Nuno Fitas – Uca – União Ciclismo Do Alentejo – 02:24:33.100
3º Lucas Mendonça – Viveiros Vitor Lourenço/Sintra Clube De Ciclismo – 02:24:33.157

Femininos

1ª Inês Amaro – Individual – 02:47:01.273
2ª Ana Neves – Bike & Nutrition Shop – 02:54:58.377
3ª Nathalie Duellmann – Adect / Garrafeira Soares – 02:57:54.877

Ricardo Saraiva de OPraticante.pt / Biemme Ibérica / 3Ws_Cycling terminou o Mediofondo em 53º lugar da Geral e 21º do Escalão M30.

Um magnifico trabalho fotográfico efectuado por Carlos A. Costa, acompanhe os seus trabalhos no seu meio e facebook.

Artigo: Ricardo Miguel
Fotos: Carlos A. Costa

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta