Banner superior
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Margens do Douro unidas pela Meia Maratona do Porto

A XII edição da Meia Maratona do Porto Sport Zone chegou ao fim com muitas histórias por contar, num dia de nevoeiro, em que nem a Ponte da Arrábida se conseguiu impor das margens do Rio Douro.

Margens do Rio Douro escondidas pelo nevoeiro

Porto e Gaia, foram uma vez mais o palco do percurso dos 21 km Sport Zone e dos 6 km Santander, que se iniciaram com o tiro de partida dado pelo antigo campeão europeu do corta-mato, Paulo Guerra.

Partida simbólica pela inclusão

Mas antes do tiro oficial, outro sinal de partida foi dado alguns minutos antes para o início de uma prova bem especial. Este ano a Meia Maratona do Porto acolheu a equipa Egoísmo Positivo, pela primeira vez a participar em Portugal.

O movimento Egoísmo Positivo deu a possibilidade a pessoas em cadeiras de rodas de poderem participar na corrida, acompanhadas por atletas deste movimento, na perspetiva de as integrar no evento.

Se em alguns anos o calor se fez sentir em força, este ano o nevoeiro e um ar fresco e agradável para a corrida marcou todo o percurso que uniu as margens do Porto e de Vila Nova de Gaia, com início no Freixo e fim no Jardim do Calém.

Domínio queniano no pódio

Com uma presença de atletas internacionais de peso, juntamente com uma excelente componente de elite nacional, o pódio masculino foi dominado pelos atletas quenianos. O primeiro classificado, Mike Kiptum Boit revelou-se muito forte, cortando a meta com 01:00:53, relembrando assim o recorde da Meia Maratona do Porto em 2011 Zerzenay Tadese (00:59:30).

O segundo classificado, Abraham Kasongor Akopesha, completou a prova com o tempo de 01:01:19, tendo Ishmael Chelanga Kalale ficado na terceira posição com o tempo de 01:02:00.

Luís Saraiva foi o primeiro português a cortar a meta

Luís Saraiva, do SC Braga, foi o primeiro português a chegar ao Jardim do Calém, tendo chegado na 13ª posição, com o tempo 01:07:23, seguido de José Moreira (Sporting CP) na 14ª posição, aos 01:07:25.

No lado feminino, o domínio africano manteve-se, com Susan Kipsang Jeptoo, do Quénia, a chegar na primeira posição com o tempo de 01:11:06, seguida da compatriota Sharon Jemutai Cherop, com 01:11:09 e da atleta do Uganda, Juliet Chekwel, que chegou na terceira posição com o tempo de 01:11:55.

 

 

Em feminino coube a honra a Susana Godinho de ser a primeira portuguesa

Já Susana Godinho, do Sporting Clube de Portugal, foi a primeira portuguesa a chegar à meta, na 7ª posição, aos 01:18:47.

Texto / Fotos: Runporto

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta