Banner superior
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Mundial de paraciclismo Luís Costa obtêm nono lugar

O português Luís Costa foi ontem o nono classificado no contrarrelógio de classe H5 do Mundial de Paraciclismo, disputado em Maniago, Itália. Telmo Pinão, na prova de classe C2, foi 19.º.

Luís Costa entrou no contrarrelógio do Mundial de Paraciclismo com ambição de bater-se pelas primeiras posições, depois de, no ano passado, ter conquistado a medalha de bronze. No entanto, ao longo dos 27,2 quilómetros de luta contra o tempo, o paraciclista luso não conseguiu encontrar o ritmo certo para estar perto dos primeiros.

O corredor da Equipa Portugal concluiu a prova ao fim de 42’07’’48 de esforço individual, mais 2’57’’46 do que o vencedor, o estadunidense Óscar Sánchez, que precisou de 39’10’’02 para fechar a prova. O holandês Tim de Vries foi o segundo, a 5,71 segundos, enquanto o italiano Alessandro Zanardi fechou o pódio, a 1’01’’39.

“Que nunca por vencidos se conheçam” o lema de Luís Costa

No final o rosto de Luís Costa era de frustação, e as suas palavras a tradução de tal facto “Fiz hoje 9.º lugar no contrarrelógio do Campeonato do Mundo.
Logicamente muito além do esperado depois do 3.º lugar em 2017.
Dias maus todos temos, mas acontecer na competição mais importante do ano é frustrante.
É preciso analisar o que correu mal, mas não há desculpas.
Agora é fazer “reset” ao cérebro e tentar recuperar forças para a prova em linha com 68km que vou disputar já amanhã (sábado) pelas 15:45 (PT).
“Que nunca por vencidos se conheçam” é o lema pelo qual oriento a minha vida e é nestes momentos difíceis que mais me agarro a ele!

Telmo Pinão 19º classificado no Mundial de Paraciclismo

Telmo Pinão foi o primeiro a correr nesta sexta-feira, disputando os 13,6 quilómetros do contrarrelógio de classe C2. O paraciclista português conseguiu o 19.º melhor tempo, 21’44’’25. Telmo Pinão ficou a 3’11’’46 do vencedor, o russo Arslan Gilmutdniov, que cumpriu a prova em 18’32’’79. O segundo classificado foi o canadense Tristen Chernove, a 5,57 segundos, e o terceiro foi o colombiano Alejandro Perea, a 8,10 segundos.

O Luís Costa está bem, mas não se encontrou ao longo de todo o percurso, não conseguindo fazer subir o pulso.
Esteve aquém das suas capacidades, num dia mau, talvez motivado pelo calor.
Estou convencido de que, na prova de fundo, conseguirá mostrar que está ao nível dos melhores”, adianta o selecionador nacional de paraciclismo, José Marques.

Quanto a Telmo Pinão, o técnico considera que “fez um contrarrelógio dentro das expectativas, conseguindo até um melhor registo do que o perspetivado”.

As provas de fundo do Mundial de paraciclismo iniciam-se hoje sábado. A Equipa Portugal terá dois corredores em prova. Flávio Pacheco disputa a prova de classe H4, que terá 68 quilómetros e início às 10h15. Às 15h45 é a vez de Luís Costa competir nos 68 quilómetros da corrida de classe H5.

Texto / Fotos: UVP / FPC

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta