Banner superior
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Quem gosta vem, quem ama fica na MM Manuela Machado

Miguel Ribeiro e Filomena Costa triunfam na Meia Maratona Manuela Machado

Quem gosta vem, quem ama fica!

Este é o lema da cidade de Viana do Castelo, palco da Meia Maratona Manuela Machado que celebrou este Domingo (21) a marca redonda de vinte edições e efectivamente não há melhor lema para associar a uma prova que se tornou uma verdadeira clássica das provas de atletismo nacionais e que cada vez mais atrai atletas da vizinha Espanha!

Foto: Rádio Geice FM

Meia Maratona Manuela Machado

A 20ª Meia Maratona Manuela Machado foi uma prova organizada em colaboração entre a Câmara Municipal de Viana do Castelo e a Cyclones Sanitop e teve partida e chegada na Praça Marques Júnior.

A completar o evento estava a clássica distância de 21.095 num percurso com distância certificada pela FPA/CNEC e ainda uma mini – maratona e caminhada com cinco quilómetros de extensão e sem fins competitivos.

Foto: António Sousa

Percurso para atletas com experiência e para se obterem boas marcas

O percurso da Meia Maratona de Viana do Castelo é um percurso que pode surpreender os atletas que pela primeira vez participam na prova mas para os inúmeros repentes da prova é um percurso que já em nada surpreende e ao longo da prova é ver os atletas mais veteranos a “voarem” no percurso.

A prova tem a sua partida e chegada junto ao centro cultural de Viana tendo na sua lateral o mítico navio Gil Eanes e o primeiro par de quilómetros de prova é ao longo da marginal da cidade banhada pelo Rio Lima e com os atletas a se dirigirem para fora desta e a entrarem na via rápida para saírem na estrada nacional 202 que liga Viana a Ponte de Lima.

Os primeiros cinco quilómetros de prova decorrem em terreno plano tendo somente como principais dificuldades as subidas de acesso à via rápida mas é algo que se faz de rompante.

O ponto crítico desta prova decorre durante os dez quilómetros intermédios do percurso que passa pelas aldeias de Santa Marta de Portuzelo, Serreleis e Cardielos. Estes dez quilómetros apresentam um verdadeiro sobe e desce que faz mossa nos atletas.

Foto: António Sousa

Ascensão até à entrada em Serreleis 

Na entrada para Santa Marta de Portuzelo há uma ascensão até à entrada em Serreleis onde o terreno fica ligeiramente plano e descendente até ao ponto de retorno aos dez quilómetros em Cardielos.

Após este ponto faz-se o caminho inverso e onde se descia agora sobe-se e com o acumulado nas pernas, o percurso vai ditando as suas leis.

A partir do quilómetro doze até ao dezasseis o percurso é descendente e a partir daí entrasse de novo na via rápida para se entrar na cidade e fazer o percurso de volta à meta. Neste ponto de via rápida os atletas tem de se socorrer da sua força metal pois são longas as rectas que vão castigando os atletas.

Mas o maior castigo ao psicológico dos atletas acontece ao quilómetro dezanove onde o percurso chega junto do ponto de meta mas os atletas tem de passar a provação de passar junto a esta mas ainda fazer mais dois quilómetros junto à marginal indo junto ao forte de Santiago da Barra e só depois regressam para a meta.

Em suma, o percurso da Meia Maratona Manuela Machado para quem é conhecedor do seu trajecto e para quem se preparar bem para ele é propício para os atletas obterem bons tempos, para quem o vai correr pela primeira vez, este pode ser um verdadeiro desafio.
Vencedores

Foto: Rádio Geice FM

Miguel Ribeiro triunfa em casa e cumpre sonho de criança

A Meia Maratona Manuela Machado teve como grande vencedor o atleta da casa e vianense de gema Miguel Ribeiro.

O atleta que representa o Olímpico Vianense cumpriu assim um dos seus grandes objetivos de carreira.

O atleta após a linha de meta soltou um “finalmente” pois há já pelo menos cinco anos tentava a vitória e não se coube em festejar efusivamente com a sua mãe que o aguardava na linha de meta.

Foto: Rádio Geice FM

Segundo palavras do vencedor, correu a prova não para um grande tempo, mas sim para vencer.

Miguel RibeiroClube de Atletismo Olímpico Vianense venceu a prova com 1h06min12seg e a destacar o carácter competitivo e calculista que a sua vitória teve, está o segundo classificado Daniel Pinheiro do Águias de Alvelos que ficou a somente seis segundos. A completar o pódio ficou Ricardo Dias do Sporting CP com 1h06min32seg.

Foto: Rádio Geice FM

Filomena Costa vence competição feminina

Na competição feminina, a Meia Maratona Manuela Machado não foi tão disputada como na competição masculina.

A grande dominadora da prova foi a atleta bracarense Filomena Costa que representa o ACD Jardim da Serra com um tempo de 1h14min09seg.
Após a prova a atleta dedicou a sua vitória à mentora da prova, Manuela Machado e com quem Filomena cresceu no Sporting Clube de Braga quando se iniciou no atletismo.

Foto: Rádio Geice FM

Esta foi a segunda vitória de Filomena Costa na prova depois de a já ter vencido no ano de 2015. Na segunda posição da prova ficou Mónica Silva que nesta época corre como individual com 1h16min06seg e na terceira posição ficou Doroteia Peixoto dos Amigos da Montanha com 1h18min40seg.

Foto: Rádio Geice FM

Vencedores por escalão

A prova teve vencedores por escalão e estes foram os seguintes:

Na competição masculina venceram Miguel Ribeiro (Sen), Hermano Ferreira do Sport Lisboa e Benfica (M35), José Carvalho do Clube Atlético de Mogadouro (M40), Augusto Costa dos Amigos da Montanha (M45), Joaquim Figueiredo do Clube Desportivo de São Salvador do Campo (M50) e José Cabral do Sporting Clube de Espinho (M55).

Na competição feminina triunfaram Filomena Costa do Jardim da Serra (Sen), Beatriz Gil do Corredoiras Bueu (F35) e Lídia Pereira do GDR Granjas Turtas do Mau (F40).

Prova com excelente organização e a fazer jus à sua fama

Qualquer atleta da zona norte de Portugal seja ele de elite ou de pelotão certamente já ouviu no seu grupo de treino ou de corrida a expressão “temos de ir a Viana”.

Pessoalmente, estou nestas lides somente há dois anos mas nos primeiros treinos que fazia com atletas veteranos, a expressão já era ouvida e o entusiasmo com que diziam isso era notório.

Foi a minha primeira Meia Maratona Manuela Machado e dado ao que já tinha ouvido falar da prova, as expectativas eram elevadas. Será que a prova correspondeu?

A prova tinha o seu quartel-general junto ao centro cultural de Viana do Castelo.

O levantamento dos dorsais era feito dentro do centro e este foi feito de forma rápida pois a organização tinha colocado na entrada a listagem de participantes e números de dorsal e a entrega era feita por secções com intervalo de números de dorsal.

Foto: António Sousa

Para quem chegou cedo o levantamento foi rápido para quem chegou em cima da hora já foi demorado devido à grande afluência de atletas à prova.

Na mesma hora também se procedia à inscrição para quem desejasse participar na caminhada. Aos atletas era entregue uma mochila, o dorsal e uma t-shirt técnica.

O pavilhão tinha vários balneários e casas de banho ao dispor dos atletas quer para trocarem de roupa ou para tomarem banho no final da prova.

Só faltou terem ligado as luzes dos balneários que estavam apagadas. No exterior do pavilhão estavam todas as valências que uma grande prova deve ter, guarda-roupa, WC`s com fartura, massagem pré e pós prova e espaços para o lixo.

Em suma, a prova em termos de organização do espaço e valências para os atletas em nada falhou e mostrou-se digna para a sua fama.

A prova

A prova teve início às 10h30min. Foi audível que muitos atletas se queixaram da hora tardia da prova e de facto se a prova começasse mais cedo não havia mal nenhum.

O aquecimento e a prova decorreram sob uma chuva miudinha que acompanhou quase sempre os mais de dois mil atletas que se apresentaram na linha de partida.

Foto: Objectiva em Movimento

Linha de partida sem boxes de tempo e abastecemos só com águas

Como mencionado em cima, a prova teve mais de dois mil atletas na linha de partida e estes ficaram dispostos conforme iam chegando a esta.

Os atletas não tinham uma disposição por boxes de tempo e como tal foi notório que os primeiros dois quilómetros de prova são feitos de forma um pouco caótica até os atletas se disporem conforme a sua velocidade na estrada.

A prova seguiu as regras em relação aos abastecimentos com estes a acontecerem de cinco em cinco quilómetros e somente com águas.
Nada a apontar em relação à temperatura das águas. Não ficaria mal a prova ter um abastecimento de isotónico na passagem dos quilómetros intermédios.

De salutar a presença de um grupo de aficionados que estava debaixo de um viaduto na entrada do quilómetro 18 que estava a oferecer laranjas aos atletas e que faziam a festa quer na ida quer na vinda. O cheiro a churrasco na passagem de ida foi tentador!

Foto: Objectiva em Movimento

A prova teve sempre a sua quilometragem definida e todos os pontos de abastecimento tinham espaços para se despejar o lixo.

Prova com bom apoio popular

Foi com agrado que se verificou que a prova teve uma boa moldura humana quase em todo o seu percurso.

Nas várias aldeias fora da cidade onde a prova passou foi visível várias pessoas na berma da estrada de guarda-chuva em riste a apoiarem os atletas. Mesmo na via rápida que fez a transição do percurso se verificou a presença de duas pessoas com cartazes a apoiarem os atletas.

Dentro da cidade havia inúmeras pessoas na berma da estrada a apoiarem os atletas. Quando se corre nestas condições, o atletismo é bonito.

Foto: Lourenço Sousa

Kit final com abundância de ofertas

Após a prova, o espaço estava amplo e com os atletas a não terem fila de espera. Havia cadeiras para os atletas se sentarem e retirarem o chip da sapatilha.

Após a entrega do chip era entregue a medalha. Destaque para a medalha que foi mais um magnífico trabalho da Oficina das Medalhas. Os atletas dirigiam-se então para a saída onde era entregue um saco com bolachas, leite, frutas (banana e maçã), dois tipos de águas e um chapéu.

Meia Maratona Manuela Machado uma prova que é uma verdadeira clássica do atletismo nacional e que merece participação obrigatória

A Meia Maratona Manuela Machado teve um total de 2473 finalizadores, um número inferior às duas anteriores edições da prova mas desde 2014 que a prova tem uma adesão superior às 2300 pessoas.

Segundo dados da organização no evento tiveram quase 900 atletas de origem espanhola.

No total global do evento estiveram mais de 3500 pessoas e dadas as condições climatéricas que a manhã de Domingo apresentou, o evento foi um verdadeiro sucesso.

A ultima também teve direito a foto de António Sousa

Se há uma palavra para associar a esta prova, a palavra é “veterano”

Esta prova transpira maturidade tanto a nível de organização que apresenta poucas falhas a registar, um percurso para atletas veteranos e conhecedores da causa e um abastecimento feito ao nível do que era feito antigamente com águas e sem as modas actuais do isotónicos e derivados.

Para uma prova que teve um preço de inscrição de dez euros, a prova mostra a muitas afamadas provas de dez quilómetros com preço de inscrição muito superior como deve ser uma prova.

No entanto, há quatro pormenores negativos a apontar à prova e que se fossem modificados, a prova atingiria o nível pleno de qualidade. Estes são os seguintes:

Como a prova tem uma grande afluência de atletas, uma linha de partida dividida por boxes de tempo era algo a se pensar para evitar confusões na partida.

Colocar um abastecimento mais completo no ponto intermédio da prova em vez de só apresentarem água. Em vez de tanta oferta no kit final, podia-se colocar uma bebida isotonica no decorrer da prova.

Manuela Machado
Foto: Rádio Geice FM

Meia Maratona Manuela Machado cumpriu as expectativas

A parte final do percurso onde os atletas passam junto à meta, mas ainda tem de fazer quase mais dois quilómetros até lá chegar, é algo que desagrada a muitos atletas.

O último ponto negativo é sobre os vencedores por escalões e onde há uma discriminação dos escalões femininos em relação aos masculinos. Três escalões femininos para seis masculinos. É algo a ser alterado pois os tempos são outros.

A Meia Maratona Manuela Machado cumpriu as expectativas que tinha para esta prova e é uma prova altamente recomendável para quem deseja competir numa meia maratona.

Desde a chegada até à partida o ambiente é fantástico e que faz desta prova uma das melhores do país e a mostrar a arte de bem receber em Viana do Castelo está a campeã Manuela Machado que estava em plena marginal a incentivar os atletas do fim do pelotão com um sorriso no rosto.

De facto, Viana do Castelo: Quem gosta vem, quem ama fica!

Texto: Nuno Fernandes
Fotos: António Sousa / Lourenço Sousa / Objectiva Em Movimento / Rádio Geice FM /

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta