16º Convívio Associação Pescadores Musgueira, junta 350 a pedalar

Passeio dedicado ao Zé Manel, do Grupo do Penteado,com homenagem e um minuto de silêncio, falecido no passado domingo dia 14
Foi na freguesia do Lumiar em Lisboa que estivemos este domingo 21 de junho, para participar no 16º convívio cicloturistico da Associação Recreativa Pescadores da Musgueira Norte, um evento do calendário oficial da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicleta (FPCUB), que contou com os apoios da Junta de Freguesia do Lumiar e Câmara Municipal de Lisboa.
Com cerca de 55 quilómetros para percorrer pela capital, o evento teve concentração pelas 8 horas junto às instalações da Junta de Freguesia do Lumiar, pelas 9,15 era dada a partida aos participantes, com os mesmos a percorrerem alguns do locais mais típicos da capital seguindo pela Alameda das Linhas de Torres, Av. Rainha D. Amelia, Alto do Planalto, Av. Nações Unidas, Av. Padre Cruz, Campo Grande, Av. Republica, Saldanha, Marques de Pombal, Largo do Rato, Estrela, Av. Infante Santo, Av. 24 de Julho, Alcântara, Av. da India, Belém, Algés, aqui, foi feita uma paragem para reabastecimento liquido e sólido.
Retomadas as pedaladas, fez agora o inverso, percorrendo o mesmo trajeto até Alcântara, seguindo-se pelo Cais do Sodré, Terreiro do Paço, Av. Infante D. Henrique, Expo, Av. Marechal Gomes da Costa, Rotunda do Relógio, Av. do Brasil, Campo Grande, Alta de Lisboa, Estrada da Torre, Alameda da Linhas de Torres, e Quinta da Conchas, onde o evento terminou, cerca das 12,30 no magnífico espaço verde que os lisboetas possuem á sua disposição.
Olhando o evento:
Bem cedo começaram a chegar os participantes ao local da concentração, oriundos da área da grande Lisboa, o evento juntou cerca de 350 amantes da bicicleta, numa manhã que acordou fresca, mas onde o calor se fez sentir mais tarde.
Confirmadas as inscrições, dois dedos de conversa, preparadas as maquinas que haveriam de levar os cicloturistas a percorrer as ruas de Lisboa, pelas 9 horas tudo estava a postos. Seguiu-se a intervenção do Presidente da Junta de Freguesia do Lumiar, que deu as boas vindas a todos os participantes, desejando-lhes boas pedaladas. Depois, foi uma das partes mais difíceis e tristes do passeio, a qual me calhou a mim, foi a homenagem a um grande homem, um defensor da bicicleta, cicloturista, dirigente desportivo, um amigo, que nos deixou no passado domingo, José Manuel do Núcleo de Cicloturismo do Penteado, faleceu no dia 14, aqui foi relembrado, feito um minuto de silêncio, e dedicado o passeio á memoria dum amigo que partiu.
Deu-se inicio ás pedaladas, as mesmas correram com muito convívio, com muita animação, num pelotão composto na maioria por participantes masculinos, mas onde a parte feminina também teve uma grande expressão, algo que de semana para semana se vai vendo mais, o que tora muito positivo, mas ainda outra coisa a referir, é a idade dos participantes, que começamos cada vez mais a ver mais juventude a participar, o que é sem dúvida de louvar, e também a apostas dos grupos, o que é muito positivo, já que se estimula ao uso da bicicleta.
No final do passeio ouvimos Manuel Almeida, responsável pela organização que á nossa reportagem fazia um balanço do passeio ao dizer; “ Foi espetacular, muito bom, uma grande adesão, esperava ainda mais participantes, mas outros eventos, mas muito positivos, já que juntamos cerca de 350 amantes da bicicleta. Tivemos este ano também o tempo a ajudar o que foi muito bom, e no final este grande convívio, este ano aqui com um belo porco no espeto a satisfazer todos. Sobre os nossos projectos no futuro queremos cada vez apostar no cicloturismo, e gostávamos de criar uma escola para jovens, para no futuro termos novos participantes”.
A finalizar Manuel Almeida dizia: “ Como mensagem final que não esqueçam o dia de hoje, e a dedicação especial que nós dedicamos este passeio hoje, um grande companheiro que nos deixou, o José Manuel, dedicamos-lhe este passeio ele merece, mas a vida é assim, temos de olhar agora em frente, e convido todos os que estiveram aqui hoje, e aos outros futuros, participem em 2016, estamos de braços abertos para os receber, felicidades para todos”. E estas as palavras do responsável pela APMN, que mais uma vez também relembrou o Zé Manel.
E foi sem dúvida um belo passeio, apenas uma queda mais aparatosa, mas sem danos de maior, de referenciar o excelente trabalho feito pela PSP-Trânsito, um trabalho de louvar, e da organização que tentou dar o seu melhor, sabendo receber na sua terra, tentado dirigir o passeio o melhor possível num trajecto de dificuldade, baixa/média, e terminando com um grande almoço convívio, onde não faltaram no final as tradicionais lembranças alusivas ao mesmo.
Por agora pouco mais para dizer, ficam os votos de bons passeios, boas pedaladas, vamo-nos encontrar por ai em breve noutro passeio, deixando um pouco de história, porque do cicloturismo a mesma também faz parte.
Musgueira, atualmente inserido no novo bairro da Alta de Lisboa, pertence ao Lumiar, uma freguesia com muita história, muita tradição, e para quem não conhece um pouco desta freguesia do Lumiar, aqui ficam alguns pontos da mesma, foi criada em 2 de abril de 1266. Em 1312, D. Dinis efetua a partilha dos bens do Conde de Barcelos, ficando para D. Afonso Sanches, seu filho bastardo e genro do Conde, uma quinta e casa de Campo no Lumiar, a que se passou a chamar Paços do Infante D. Afonso Sanches. No reinado de D. Afonso IV, esta residência nobre adquire a designação de Paço do Lumiar, a qual ainda hoje se mantém.
No início do séc. XVIII, era definido o Lumiar como “um sítio de nobres quintas, olivais e vinhas”, sendo os principais frutos da terra o vinho, o trigo, a cevada e o azeite. Em meados do séc. XIX, realizavam-se no Lumiar três feiras anuais (Fevereiro, Junho e Agosto), todas muito concorridas, especialmente a de Santa Brígida, em que havia romaria e bênção do gado. De 1852 a 1886, esta freguesia esteve integrada no concelho dos Olivais, sendo finalmente incorporada no território da Cidade de Lisboa, em 18 de julho de 1885, desde os princípios do séc. XIX que a população da freguesia tem tido progressivo aumento.
No séc. XX, assiste-se na freguesia a um forte aumento populacional – 2.840 habitantes em 1900 para mais de 30.000 em 2000, tendo a antiga aldeia perdido, nas últimas décadas, quase definitivamente as suas características, com os diversos parques habitacionais. A grande aposta actual é o bairro da Alta de Lisboa. Foi inaugurado, no dia 10 de Outubro de 2007, o último troço do eixo norte-sul, facilitando o trânsito de toda a capital portuguesa, a freguesia do Lumiar é servida pelo parque recreativo Quinta das Conchas e dos Lilases.
Foto: José Morais

Parceiros

Deixe uma resposta