Privacy Policy Page
Privacy Policy Page
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Camisola amarela conquistada por Luís Mendonça

Luís Mendonça (Efapel) é o primeiro camisola amarela do Troféu Joaquim Agostinho.

Graças a um sprint vigoroso, lançado de longe venceu a etapa inaugural, 145,6 quilómetros, com partida e chegada em Torres Vedras.

Luís Mendonça “Levo o Troféu Joaquim Agostinho muito a sério”

A viagem foi animada por várias tentativas de fuga, a mais consistente de todas juntando 14 homens em frente de corrida.

Mas o pelotão, comandado, em momentos diferentes, pelo Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel, pela W52-FC Porto e pela Efapel, não permitiu o sucesso das diferentes iniciativas.

Foi já na fase final, na última subida à serra da Vila, com a meta a pouco menos de 3 quilómetros de distância, que aconteceu a movimentação decisiva.

Os homens mais fortes do pelotão encontraram-se na frente e foi entre eles que se discutiu a tirada.

camisola amarela
O vencedor da etapa de hoje, Luís Mendonça

Sprintou de longe para a camisola amarela

Luís Mendonça arriscou na descida para a meta e entrou destacado na reta de 600 metros.

Acabou por sprintar a partir da frente, ganhando com margem suficiente para celebrar o triunfo.

Daniel Mestre (W52-FC Porto) e de Daniel Freitas (Miranda-Mortágua), foram segundo e terceiro, respetivamente.

A última subida foi muito atacada e formou-se um grupo na frente.

Sei que tenho facilidade a descer e que posso aí fazer a diferença.

Havia duas curvas mais fechadas, imediatamente antes da curva para a reta da meta.

Acelerei aí e quando cheguei à reta olhei para trás e vi que tinha vantagem.

Foi um sprint de 600 metros. Nos últimos 200 sofri e ainda temi perder a etapa”, confessa Luís Mendonça.

camisola amarela

Dupla da W52-FC Porto apenas a 4 segundos

O corredor da Efapel é o dono da camisola amarela, mas tem uma dupla da W52-FC Porto apenas a 4 segundos.

Daniel Mestre está na posição de vice-líder e João Rodrigues é o terceiro, graças aos 6 segundos de bonificação, que acumulou nos dois pontos quentes do dia.

Vim a esta corrida com o objetivo de ganhar.

Esta corrida é demasiado importante para ser preparação seja para o que for.

Não é um teste para a Volta, é um objetivo.

Levo o Troféu Joaquim Agostinho muito a sério.

É uma corrida internacional.

Para mim é uma enorme alegria ter vencido a etapa e lutarei por manter a camisola amarela”, afirma Luís Mendonça, que é também primeiro na classificação por pontos.

Gonçalo Carvalho (Rádio Popular-Boavista) é o melhor jovem e a W52-FC Porto comanda por equipas.

A fuga principal da etapa foi aproveitada por dois corredores para assegurarem um lugar no pódio, Miguel Salgueiro (LA Alumínios-LA Sport), como primeiro nas metas volantes, e Pablo Guerrero (Burgos-BH), enquanto melhor trepador.

O Grande Prémio Internacional de Torres Vedras – Troféu Joaquim Agostinho termina neste domingo.

A segunda e última etapa começa no Turcifal, às 12h10, e termina, depois de percorridos 145,2 quilómetros, no Parque Eólico da Carvoeira.

A meta coincide com um prémio de montanha de primeira categoria.

Texto / foto: União Velocipédica Portuguesa – Federação Portuguesa de Ciclismo

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta