Privacy Policy Page
Privacy Policy Page
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Campeões de paraciclismo coroados em Almeirim

O Campeonato Nacional de Paraciclismo na vertente de estrada começou ontem, em Almeirim, com a disputa dos títulos de contrarrelógio individual, prova que decorreu em paralelo com o dia inaugural do Encontro Nacional de Escolas de Ciclismo.

Encontro Nacional de Escolas de Ciclismo

Participaram 21 paraciclistas, tendo sido atribuídos nove títulos nacionais de contrarrelógio.

C5 a classe com mais competidores

A classe com mais competidores foi C5, que assistiu ao triunfo folgado de Manuel Ferreira (Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel), que cumpriu a prova em 16m27s, menos 1m16s do que o segundo classificado, Carlos Santos (LA Alumínios-Metalusa BlackJack). O terceiro, a 2m11s, foi José Freire.

Carlos Santos – LA Alumínios-Metalusa BlackJack

Em C4 correram três corredores, todos com direito ao pódio.

O mais forte foi João Monteiro (Mozinho MTB Vale D Aldeia/Martos/Hmed), com 16m24s, seguido de José Castanheira (Penacova DH/UD Lorvanense), a 3 segundos, e de Paulo Teixeira (Quinta das Arcas/Jetclass/Xarão), a 1m49s.

Em H4 e na classe D também alinharam três paraciclistas.

Na prova para corredores com deficiência auditiva impôs-se Ricardo Gomes (Moreira Congelados/Feira/Bicicletas Andrade), com 15m36s, menos 15 segundos do que David Inácio e menos 17 segundos do que João Marques (Academia Joaquim Agostinho).

O melhor H4 foi André Sobreiro, com 19m10s, seguido por Rúben Garcia (Clube K), a 1m45s. Flávio Pacheco (Sporting-Tavira) não terminou.

Telmo Pinao – LA Alumínios-Metalusa BlackJack

Em H3 João Pinto fez 18m35s, batendo Diogo Oliveira (Silva & Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel) por 2m58s. Telmo Pinão (LA Alumínios-Metalusa BlackJack) ganhou o contrarrelógio em C2, com 20m22s, menos 1m17s o que João Silva.

Em C1, C3 e H5 houve apenas um participante por classe

O C1 Bernardo Vieira completou a prova em 18m07s, o C3 Francisco Martins gastou 17m31s e o H5 Luís Costa (Sporting-Tavira) chegou ao fim em 16m22s.

Luís Costa no final dizia “Fiz um bom contrarrelógio, ao nível do que tenho feito ultimamente na Taça do Mundo, a ponto de ter batido todos os outros atletas das várias classes de Paraciclismo presentes, excepto os 3 corredores da classe D, que surdos e como tal não possuem limitação física e logicamente são mais rápidos“.

Campeonatos Nacionais de Paraciclismo – segunda jornada

O Campeonato Nacional de Paraciclismo concluiu-se hoje em Almeirim com a disputa das provas de fundo, tendo sido atribuídos, entre as diferentes classes de competição, um total de quatro títulos nacionais entre as novas provas em disputa.

Tal como na véspera, aquando da corrida ao título nas provas de contrarrelógio, houve campeões que transitaram do ano anterior, revalidando os títulos previamente conquistados em Almeirim.

 

José Castanheira (Penacova DH/UD Lorvanense), na classe C4, sagrou-se campeão nacional batendo João Monteiro (Mozinho MTB/Vale D’Aldeia/Martos/Hmed) e Paulo Teixeira (Quinta das Arcas/Jetclass/Xarão).

Este foi um dos dois títulos nacionais atribuído na Classe C, destinada a atletas com um deficiência física mas que competem numa bicicleta convencional.

Na classe C5, uma das mais concorridas, Manuel Ferreira (Silva&Vinha/ADRAP/Sentir Penafiel) foi o mais forte e conquistou o título nacionais.

Nas restantes provas disputadas, mas que não atribuíram títulos nacionais, Bernardo Vieira venceu na C1, Telmo Pinão (LA Metalusa Blackjack Paracycling) foi vencedor em C2 e Francisco Martins triunfou na classe C3.

Na classe H, destinada a ‘hand bikes’, foram disputadas três corridas. João Pinto (individual) deixou o rival Diogo Oliveira (Silva & Vinha / ADRAP / Sentir Penafiel) para trás para vencer em H3.

Flávio Pacheco (Sporting/Tavira – Paracycling) superou André Sobreiro e Ruben Garcia (Clube K) para se sagrar campeão nacional na classe H4 e, por fim, Luís Costa (Sporting/Tavira – Paracycling) foi o único concorrente na classe H5.

Luís Costa “Provavelmente não vestirei mais essa camisola”

Na prova de fundo, hoje, senti-me bem e consegui ir com o grupo dos mais atletas rápidos das classes C (bicicletas convencionais) e claro, os da classe D, tendo chegado com eles até ao sprint final onde tentei fazer a gracinha e ataquei ainda longe da meta, mas a uns 10 metros da chegada fui alcançado por 5 deles. Mas diverti-me com esta “brincadeira“”.

Luís Costa

Declarou Luís Costa, acrescentando “Apesar de vencer ambas as provas, não tive direito a camisola de campeão nacional, apenas as medalhas, porque as novas regras ditam que são necessários pelo menos 3 atletas numa classe para ser atribuído o titulo de campeão nacional. Assim, na próxima época e provavelmente nas seguintes, não vestirei mais essa camisola, pois sou o único na classe H5“.

Na classe D, destinada a corredores portadores de deficiência auditiva, David Inácio (individual) bateu João Marques (Academia Joaquim Agostinho/UDO) para se sagrar campeão nacional, tendo Ricardo Gomes (Moreira Congelados/Feira/Bicicletas Andrade) fechado o pódio na terceira posição.

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta