DIOGO RIBEIRO ASSEGURA PRESENÇA EM PARIS 2024

Andrii Govorov, Miguel Nascimento e Diogo Ribeiro o pódio nos 50 metros livres - Foto: FPN

O Open de Portugal Campeonatos Nacionais de Juvenis e Absolutos Madeira 2023 que decorre no Complexo de Piscinas Olímpicas do Funchal desde ontem, 30 de março até 2 de abril 2023.

Fonte / Fotos: FPN

Diogo Ribeiro o primeiro português a assegurar a presença nos Jogos de Paris 2024

Diogo Ribeiro bateu ontem o recorde nacional dos 50 livres e garantiu mínimos para os Jogos Olímpicos de Paris 2024 e Mundial de Fukuoka.

O benfiquista realizou o melhor tempo das eliminatórias com 21,87 segundos superando o anterior máximo de Portugal (21,90) fixado por Miguel Nascimento em a 30 de setembro de 2022 em Oeiras.

O segundo tempo foi obtido pelo ucraniano Andrii Govorov, a nadar pelo Vitória SC, com 21,98, marca que é também mínimo para o Mundial.

Miguel Nascimento (Benfica) assegurou o terceiro tempo das eliminatórias (21,99) ficando a três centésimos dos mínimos olímpicos registo que confirma mínimos para o Mundial de Fukuoka.

Diogo Ribeiro – Foto: FPN

O quarto registo foi obtido por Miguel Marques (Benfica) com 22,70, marca que é mínimo para o Europeu de Sub 23.

Diogo Ribeiro: «estou em grande forma. Sinto-me bem»

«Chegados aqui sabíamos que os 50 livres não era a prova mais importante para mim, mas a prova que eu sinto menos pressão e assim sentimos que podia ser a prova que pudéssemos fazer logo mínimos para os Jogos Olímpicos.

Boas sensações na água. Agora há mais três dias de provas e espero que as minhas provas corram ainda melhor.

A preparação tem decorrido bem, quando me rapo parece que faço muitos bons tempos cheguei com um bocado nervosismo não sabia se ia correr bem ou não, mas agora já fiz mínimos para os jogos olímpicos e estou supercontente.

Primeiro atleta de Portugal a obter mínimos para Paris. Os mínimos já estão despachados e ser o primeiro não só na natação, mas em todos as modalidades é um sentimento único para mim.»

Ainda na primeira sessão do primeiro dia, Gonçalo Azevedo (CN Maia) bateu o recorde nacional dos 50 costas de juvenis A.

O nadador da Maia concluiu em 27,58 segundos melhorando o anterior máximo de 27,60 na posse de Rodrigo Rodrigues (SCE) em Coimbra a 10/07/2022.

Diogo Ribeiro e Miguel Nascimento – Foto: FPN

Miguel Nascimento a um centésimo de Paris

Miguel Nascimento venceu a final dos 50 livres (21,97 segundos) a um centésimo dos mínimos para os Jogos Olímpicos de Paris.

O benfiquista garantiu mínimos para o Mundial de Fukuoka, à frente do seu colega de equipa Diogo Ribeiro que nas eliminatórias carimbou o passaporte com um recorde nacional e mínimos olímpicos (21,87).

Miguel Nascimento: «Estou satisfeito com esta minha vitória na final dos 50 livres que deu mínimos para o Mundial.

Voltei a mostrar que Paris está no meu horizonte após ficar a um centésimo dos mínimos. Vou continuar a treinar para lá chegar porque sei que estou a valer essa marca.

Estou muito contente pelos meus colegas que obtiveram mínimos para os Jogos, como é o caso do Diogo Ribeiro e de Andrii Govorov que fez mínimos para o Mundial.»

O terceiro lugar foi para o ucraniano Andrii Govorov com 22,09, também marca de acesso ao Mundial.

Ana Pinho Rodrigues – Foto: FPN

Ana Pinho Rodrigues com recorde nacional nos 50 livres

Uma primeira jornada de emoções nas Piscinas Olímpicas do Funchal, com Ana Pinho Rodrigues, Desportiva de Viana, a bater o seu próprio recorde nacional dos 50 livres com 25,25 segundos, superando o anterior registo de 25,56 precisamente no Funchal a 03/08/2019.

De referir que ainda na primeira sessão do primeiro dia, Gonçalo Azevedo (CN Maia) bateu o recorde nacional dos 50 costas de juvenis A.

O nadador da Maia concluiu em 27,58 segundos melhorando o anterior máximo de 27,60 na posse de Rodrigo Rodrigues (SCE) em Coimbra a 10/07/2022.

Na final, Gonçalo Azevedo voltou a melhorar o seu recorde para a marca de 27,46 segundos.

Alberto Silva treinador nacional FPN – Foto: FPN

«A ideia era contruir um resultado»

Alberto Silva treinador nacional FPN, em balanço do primeiro dia: «Fazer mínimos logo nas eliminatórias liberta pressão e dá estado de animo em todos os nadadores. Isso é inegável.

Mas não foi por causa disso que estávamos a planear tirar pressão. A ideia era contruir um resultado.

Os resultados do Diogo Ribeiro e do Miguel Nascimento, que tem nadado na casa dos 21 segundos, ou 22 bem baixo, conforme vão descansando, estão atingindo essa marca.

É obvio que tínhamos em mente já quebrar a barreira de mínimos dos jogos olímpicos.

A verdade é que estávamos visualizando um tempo além desse para o Miguel, entre 21,5, 21,7. O Diogo igual.

Como treinador foi libertador, isso sim, para o Andrii Govorov que há três anos não baixava dos 22 segundos.

«Foi um bom começo, um pouco amargo no final»

Foi um bom começo, um pouco amargo no final, porque esperávamos que os três nadassem na casa dos 21 segundos. Mas foi uma prova fantástica.

O grupo não são apenas estes três nadadores, tanto os rapazes com as meninas nadaram bem, melhorando as suas marcas ou muito próximo. Fizeram mínimos para as competições.

A Rafaela Azevedo fez uma prova muito boa. Nadou próximo do melhor dela, mas o mínimo sub 23.

O Tiago Costa baixou duas vezes o melhor dele nos 50 livres, quase entrando na casa dos 22 segundos.

Diogo Lebre igual – baixou de manhã o melhor dele. Agora de tarde de novo, próximo da casa dos 22 s.

A Rita Frischknecht baixou o seu tempo de manhã, melhorou de tarde muito próximo do pódio numa prova de 50 livres que não é especialista, dando confiança para os 100 e 200 livres.

Quero também referir que fico muito feliz por ver outros atletas de Portugal já num pico de forma:

Ana Pinho com recorde nacional, Espero boas marcas dela;

O João Costa em forma;

O Gabriel Lopes também muito bem.

A competição segue amanhã e espero que coisas boas venham para Portugal ao longo desses três dias que faltam de provas.»

Parceiros

Deixe um comentário