Domingos estreia de Campeão em luta contra o relógio

Domingos Gonçalves

No Nacional da especialidade que decorreu esta sexta-feira, em Santa Maria da Feira, o corredor de Barcelos, Domingos Gonçalves fez a melhor marca no circuito de 33,9 quilómetros (3 voltas no Europarque) com o tempo de 42 minutos e 19 segundos.

Domingos Gonçalves

Domingos Gonçalves é o novo Campeão Nacional de Estrada na vertente de Contrarrelógio.

Domingos Gonçalves (RP-Boavista) foi mais rápido cinco segundos que Rafael Reis (Caja Rural-Seguros RGA) enquanto Sérgio Paulinho (Efapel) foi terceiro classificado a 20 segundos do registo vencedor.

 

Consegui enganá-los”, disse com sorriso matreiro o novo Campeão Nacional apontando para Rafael Reis e Sérgio Paulinho ao abandonar o pódio.

Logo de seguida mostrou a satisfação pelo triunfo. “Depois de muito esforço esta é uma compensação pelo trabalho que tenho vindo a desenvolver.
É a primeira vez que sou Campeão Nacional e estou muito satisfeito.
Muitas vezes sou impulsivo mas vou tentar acalmar-me para concretizar melhor os meus objetivos.”

O tricampeão nacional e grande favorito para o contrarrelógio Elite, Nelson Oliveira, estava pronto para defender o título mas acabou por não alinhar devido a uma confusão com o horário de partida alterado durante a reunião de diretores desportivos.

Campeão Sub-23 repetiu vitória de 2015

Entre os corredores mais novos, o título de Campeão Nacional de Contrarrelógio Sub-23 foi atribuído a José Fernandes.

José Fernandes

Com uma volta a menos no circuito do Europarque, o jovem alentejano terminou os 22,6 quilómetros do percurso com o tempo de 28 minutos e 01 segundo, o que deu uma média horária superior a 48 Km/hora que ultrapassou a média do vencedor Elite.

Fernandes (Liberty Seguros-Carglass) deixou o segundo classificado, o companheiro de equipa Gaspar Gonçalves, a 15 segundos de diferença.

João Almeida (Unieuro Trevigiani-Hemus 1896) foi terceiro classificado a 59 segundos.

José Fernandes

Fico contente e muito motivado para continuar a apostar na minha carreira.
Tenho pena que não possa usar a camisola de Campeão tanto tempo quanto gostaria, uma vez que em Portugal não existem muitas provas de contrarrelógio e na próxima época já serei Elite”, disse feliz o corredor natural de Évora que já experimentara o sabor do ouro em 2015.

Mais fotos aqui.

Parceiros

Deixe uma resposta