DOMINGUES E MONTEZ MELHORES EM CHEGADA DURA

Alexandre Montez - Foto: UVP

Duarte Domingues, 19.º, e Alexandre Montez, 20.º, foram os melhores corredores da Seleção Nacional na segunda etapa do GP das Nações, uma ligação de 110 quilómetros, entre Přerov e Kohútka, na Chéquia.

A jornada terminou em alto com triunfo do francês Mathys Rondel, novo comandante desta prova pontuável para a Taça das Nações de Sub-23.

Leia também

DUARTE DOMINGUES MELHOR PORTUGUÊS NO GP DAS NAÇÕES

Fonte: UVP – Federação Portuguesa de Ciclismo

Portugal chegou a ter três ciclistas no grupo principal

Apesar do traçado de altos e baixos, a etapa, disputou-se a boa velocidade, decidindo-se na subida de 7,5 quilómetros para a meta.

Portugal chegou a esta fase com três corredores no grupo principal: Alexandre Montez, Diogo Pinto e Duarte Domingues.

Um furo atrasara Lucas Lopes na montanha anterior, tendo João Martins ficado para trás para ajudar o colega a recuperar posições.

A seleção de França impôs um ritmo violento na última subida, o que foi causando mossa, especialmente nos últimos três quilómetros, os mais duros da escalada.

O trabalho gaulês resultou, com a equipa a conseguir as duas primeiras posições, por intermédio de Mathys Rondel, primeiro, e Brieuc Rolland, segundo, a dez segundos.

O terceiro foi o belga Emiel Verstrynge, a 14 segundos.

Duarte Domingues acabou a 51 segundos do vencedor, na 19.ª posição, um lugar acima de Alexandre Montez, que gastou mais 54 segundos do que o primeiro na etapa.

Diogo Pinto foi 61.º, a 2m52s, Lucas Lopes foi 78.º, a 5m08s, e João Martins entrou no 122.º posto, a 9m17s.

Com estes resultados, Mathys Rondel passou para o comando da classificação geral, dispondo de uma vantagem de 14 segundos sobre o compatriota Brieuc Rolland.

O terceiro é o britânico Matthew Brennan, a 20 segundos.

Duarte Domingues – Foto: UVP

Duarte Domingues no Top 20

Entre os portugueses, destaque para a subida de Duarte Domingues ao top 20, os lugares que garantem pontos para o ranking da Taça das Nações. O leiriense é o 18.º classificado, a 1m01s.

Seguem-se, entre os portugueses, Alexandre Montez, 25.º, a 1m15s, Diogo Pinto, 58.º, a 4m07s, Lucas Lopes, 68.º, a 5m34s, e João Martins, 96.º, a 9m43s.

Portugal subiu uma posição na geral coletiva, sendo agora a 11.ª equipa.

Os últimos três quilómetros da etapa eram os mais duros, mas toda a etapa se fez muito difícil.

Correu-se sempre a alta velocidade e houve uma luta muito árdua pela colocação na entrada para a subida final.

Vamos dia a dia, com intenção de ir subindo posições e de manter um corredor nos lugares que pontuam para o ranking da Taça das Nações”, declara o selecionador nacional, José Poeira.

A terceira etapa, a correr nesta sexta-feira, marca a entrada na Eslováquia.

A caravana irá percorrer 121 quilómetros, entre Tvrdošín e Štrbské Pleso.

A chegada será novamente em montanha, desta feita acima dos 1300 metros de altitude, prevendo-se que possam ser feitas diferenças ainda maiores para a classificação geral.

Paraciclismo
Luís Costa – Foto: UVP

Taça do Mundo de Paraciclismo

A Seleção Nacional de Sub-23 foi a única a competir nesta quinta-feira.

Tudo porque a jornada de competição na Taça do Mundo de Paraciclismo, em Maniago, Itália, foi cancelada, devido ao mau tempo.

Luís Costa e Flávio Pacheco, que disputariam hoje os contrarrelógios individuais nas classes H5 e H4, correrão amanhã, juntando-se a Telmo Pinão, que correrá na classe C2.

Novo horário para o contrarrelógio de amanhã.

Percurso encurtado, apenas uma volta (9,4km), para tornar possível incluir todas as categorias, as que deveriam ter competido hoje e as inicialmente previstas para amanhã.

Muito curto para as minhas características físicas, mas são situações que ninguém consegue controlar e só me resta dar tudo do início ao fim. 💪🏻💪🏻” escreveu Luís Costa na sua página

Parceiros

Deixe um comentário