Filme da 5ª Etapa – Águeda – Sto. Tirso 171,3 km

filme

O filme da reviravolta na Amarela da Volta a Portugal, Alejandro Marque perdeu a camisola para Daniel Freitas da Rádio Popular-Boavista, descendo para 2º a 42 segundos do líder.

Mason Hollyman da Israel Cycling Academy vence do alto do Monte Córdova no Santuário N. SRª da Assunção, mas Daniel Freitas da Rádio Popular-Boavista, é o novo Camisola Amarela.

Leia também

Prólogo, o filme da etapa – Lisboa/Lisboa 5.4 km

Filme da 1ª Etapa – Torres Vedras / Setúbal – 175,8 km

Filme da 2ª Etapa – Ponte de Sôr / Castelo Branco – 162,1 km

Filme da 3ª Etapa – Sertã/Torre – 170,3 km

Filme da 4ª Etapa – Belmonte/Guarda 181,6 km

Texto: José Morais – Noticias do Pedal
Fotos: RTP

Que filme a 5ª etapa

Frederico Figueiredo venceu na Guarda antes do dia de descanso, mas Alejandro Marque da Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel manteve a Camisola Amarela, apenas por 5 segundo para o 2ª classificado – Amaro Antunes da W52-FC Porto, e a 25 segundos de Frederico Figueiredo da Efapel.

No regresso à estrada do pelotão para a segunda parte da 82ª Volta a Portugal, numa etapa com muita montanha, a última contagem do dia de 2ª categoria coincidia com a meta no alto do Santuário N SRª Assunção.

Ficava a pergunta de praxe para o filme que agora iniciamos relatando a etapa, será que Alejandro Marque terá pernas para aguentar, será que o seu colega de equipa Gustavo Veloso recuperou e vai ajudá-lo novamente.

Joaquim Gomes – Diretor da Volta a Portugal

O dia não acordou muito bem, o filme da pandemia que afeta o mundo, e já tinha chegado à Volta a Portugal, voltou a perder vários ciclistas e uma equipa por causa do COVID no seio do pelotão.

Joaquim Gomes, Diretor da prova comunicou o fato à comunicação social.

Entre eles, dois da equipa da Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel, e a etapa vai começar, vamos aguardar, e iniciamos aqui o filme da 5ª etapa em linha, está tudo a postos.

Volta a Portugal
Atum General-Tavira-Maria Nova Hotel, uma das equipas afetadas

Primeiras pedaladas do recomeço da Volta:

Depois de um dia de descanso, é tempo de regressar à ação.

A 82ª Volta a Portugal Santander está ao rubro, com diferenças muito curtas a separar os que ambicionam conquistar a amarela.

Arranca hoje, daqui a uns minutos, a segunda metade da corrida e logo com a chegada numa subida bem conhecida, do Santuário de Nossa Senhora da Assunção, em Santo Tirso.

Santuário de Nossa Senhora da Assunção

E o mais difícil da quinta etapa está mesmo guardado para o fim, a ascensão à Nossa Senhora da Assunção é uma subida de segunda categoria, que encerrará os 171,3 quilómetros.

Águeda, terra muito ligada ao mundo das bicicletas, foi o ponto de partida, e além desse prémio de montanha haverá ainda mais três de quarta categoria:
Belazaima do Chão (16,9 quilómetros);
Santa Maria da Feira (87,1);
e Gondomar (115,6).

Para os pontos, os ciclistas terão as metas volantes de:
Oliveira de Azeméis (64,9);
Santa Maria da Feira (82,7);
e Santo Tirso (163,1).

Partida simbólica:

Pelas 12:46 o pelotão já pedala em Águeda, mas relembrava-se a saída da Volta a Portugal da equipa da Euskatel-Euskadi, esta não partiu para a quinta etapa, já que surgiram dois casos suspeitos de covid-19, mais dois contactos de risco em isolamento levaram a equipa espanhola a abandonar a corrida.

Também na Rádio Popular-Boavista havia um caso suspeito, mais um ciclista em isolamento por ser contato de risco, o mesmo acontecendo na Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel.

filme
Alejandro Marque

Relembrando para o nosso filme quem era o líder da geral:

Domingo foi dia de sofrimento para Alejandro Marque, que viu a vantagem que tinha conquistado na Torre e alguns segundos no Prólogo, ficar muito reduzida.

De 1:26 para a Amaro Antunes do W52-FC Porto, o espanhol da Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel tem a Camisola Amarela Santander segura por cinco segundos, e Frederico Figueiredo Efapel) está a 25 segundos.

E no top dez estavam ainda:
em quarto lugar Joni Brandão do W52-FC Porto, a 1:08 minutos;
seguindo-se Maurício Moreira da Efapel, a 1:09,
Abner González da Movistar, a 1:10;
António Carvalho da Efapel, a 1:26;
João Rodrigues da W52-FC Porto, a 1:31;
Luís Fernandes da Rádio Popular-Boavista, a 1:49;
e Diego Lopez da Kern Pharma, a 1:56.

filme
Luís Gomes

As classificações no arranque da etapa:

Classificação por pontos:

Luís Gomes procurava ganhar pela segunda vez a classificação por pontos na Volta a Portugal, o ciclista vestiu a Camisola Verde Rubis Gás, somando 64 pontos.

Seguiam-se Rafael Reis da Efapel com 51, Kyle Murphy da Rally Cycling e Joni Brandão do W52-FC Porto com 45 e Luis Mas da Movistar com 33.

Águeda
Amaro Antunes

Na Montanha:

Amaro Antunes assumia o trono da montanha na chegada à Guarda, o corredor da W52-FC Porto partiu hoje com a Camisola Continente, tendo amealhado 29 pontos.

Frederico Figueiredo da Efapel) e Alejandro Marque da Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel somavam 25, com Mauricio Moreira da Efapel a ter 22 e Hugo Nunes da Rádio Popular-Boavista 20.

filme
Abner Gonzelez

Líder da Juventude:

Vinte anos, campeão nacional de Porto Rico estrada e contrarrelógio e um dos reforços da Movistar em 2021, Abner González está em Portugal a mostrar o seu valor.

Vestiu a Camisola da Juventude Santa Casa, com 3:01 de vantagem sobre o português Pedro Miguel Lopes da Kelly/Simoldes/UDO e já 29:03 sobre o holandês da Burgos-BH, Alex Molenaar.

filme
Efapel

Classificação por equipas:

A Efapel tem estado na liderança da classificação por equipas, sendo uma das formações em destaque nos primeiros cinco dias, com três vitórias, Rafael Reis no prólogo, em Lisboa, e na primeira etapa, na chegada a Setúbal, e na quarta tirada, com Frederico Figueiredo a ganhar na Guarda.

Partida real da etapa, de começarmos o filme oficial:

Eram 13:05, começava a quinta etapa da 82ª Volta a Portugal Santander, 102 ciclistas em prova que partiram para a quinta etapa.

O pelotão viu-se reduzido pela saída da Euskaltel-Euskadi, mas também abandonaram João Benta e Tiago Machado, da Rádio Popular-Boavista, e David Livramento e Emanuel Duarte, da Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel

filme
Euskaltel-Euska

Sem movimentações ao km 7, o pelotão continua compacto, e ao km 10 ainda sem fugas, o pelotão continuava todo junto.

Pelas 13:21 o pelotão já tinha passado o Prémio da Montanha em Belazaima do Chão ao km 16,9.

Pelotão compacto:

E na passagem pelo km 24 estava tudo na mesma, com o pelotão compacto.

No Prémio da Montanha de 4ª categoria em Belazaima do Chão ao km 16,9 quilómetros, o 1º era Bruno Silva da Antarte-Feirense, 2º Carlos Miguel Salgueiro da LA Alumínios-LA Sport, e 3º Gonçalo Carvalho da Rádio Popular-Boavista.

Ao km 30 o pelotão rodava ainda compacto.

Primeira tentativa de fuga:

17 ciclistas tentavam escapar ao pelotão, tinham 25 segundos de vantagem, mas havia mais movimentações, mais dez ciclistas saíam também do pelotão, e estavam numa posição intermédia.

Mas entretanto o grupo intermédio era alcançado pelo pelotão, e a diferença para a frente da corrida era de 50 segundos.

A fuga era constituída por 17 ciclistas na frente da corrida:
Ricardo Mestre e Daniel Mestre da W52-FC Porto;
Juri Hollmann da Movistar;
Mason Hollyman da Israel Cycling Academy;
César Fonte e Luís Gomes da Kelly/Simoldes/UDO;
Kenny Molly da Bingoal Pauwels Sauces WB;
Keegan Swirbul da Rally Cycling;
Alex Peters da SwiftCarbon;
Luis Mas da Movistar;
João Macedo da LA Alumínios-LA Sport;
Daniel Freitas da Rádio Popular-Boavista;
Marti Marquez da Kern Pharma;
Tomas Contte do Louletano-Loulé Concelho;
Juan Lopez-Cozar da Kern Pharma;
Rafael Reis e Luís Mendonça da Efapel,o grupo tinha 1:05 minutos de vantagem para o pelotão ao quilómetro 41.

filme

Vantagem aumentava entre fugitivos e o pelotão

Na primeira hora de corrida eram cumpridos 45 km, logo ao quilómetro 46,5 a vantagem dos 17 ciclistas da frente para o pelotão era de 2:35 minutos.

Na frente da corrida estavam ciclistas que lutavam pela classificação dos pontos, era o caso do líder e detentor da Camisola Verde Rubis Gás, Luís Gomes da Kelly/Simoldes/UDO, assim como o seu principal rival de momento, Rafael Reis da Efapel, eram 13 os pontos de diferença, Luis Mas da Movistar também estava no grupo, mas eram 31 os pontos a separá-lo de Gomes, e a diferença para o pelotão aumentava para 3:42 minutos, ao km 52.

Abandono:

Andrew Turner da SwiftCarbon, era o 1º abandono do dia na corrida, mas, o melhor classificado entre os 17 ciclistas na fuga, era Daniel Freitas da Rádio Popular-Boavista, e quem estava mais próximo do Camisola Amarela Santander, Alejandro Marque da Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel, o corredor era 16º na geral, a 3:19 minutos.

filme

Pelas 14:36 a situação da corrida:

O grupo da frente já tinha passado a meta volante em Oliveira de Azeméis ao km 64,9, e a vantagem continuava sempre a subir, já era de 5:40 minutos a separar os 17 ciclistas da frente do pelotão.

O resultado na passagem pela Meta volante, a primeira do dia em Oliveira de Azeméis ao km 64,9 quilómetros, o 1º era Luís Gomes da Kelly/Simoldes/UDO, o 2º César Fonte da Kelly/Simoldes/UDO, e 3º Juan Lopez-Cozar da Burgos-BH.

A diferença ao km 67, entre o grupo da frente e o pelotão era de 5:45 minutos.

A aumentar a vantagem:

6:20 minutos, era a vantagem dos 17 ciclistas que pedalavam na frente para o pelotão, ao km 71.

Na fuga mantinham-se os mesmos 17 ciclistas, que relembramos:
Ricardo Mestre e Daniel Mestre da W52-FC Porto;
Juri Hollmann da Movistar;
Mason Hollyman da Israel Cycling Academy;
César Fonte e Luís Gomes da Kelly/Simoldes/UDO;
Kenny Molly da Bingoal Pauwels Sauces WB;
Keegan Swirbul da Rally Cycling;
Alex Peters da SwiftCarbon;
Luis Mas da Movistar;
João Macedo da LA Alumínios-LA Sport;
Daniel Freitas da Rádio Popular-Boavista;
Marti Marquez da Kern Pharma;
Tomas Contte do Louletano-Loulé Concelho;
Juan Lopez-Cozar da Kern Pharma;
Rafael Reis e Luís Mendonça da Efapel

Ambiente na corrida:

Os fugitivos passavam a meta volante em Santa Maria da Feira ao km 82,7, muito público a aplaudir os ciclistas na estrada, e na segunda hora da corrida com 83,5 km percorridos, a média era de 41,7 km/hora.

Na Meta volante, a segunda do dia em Santa Maria da Feira ao km 82,7 quilómetros, o 1º era Luís Gomes da Kelly/Simoldes/UDO, 2º Ricardo Mestre do W52-FC Porto, 3º César Fonte da Kelly/Simoldes/UDO.

Na meta volante, a diferença do pelotão para a frente da corrida era de 6:35 minutos.

Segundo Prémio da montanha do dia:

No segundo Prémio da Montanha do dia, uma subida de quarta categoria, em Santa Maria da Feira ao km 87,1, o 1º era César Fonte da Kelly/Simoldes/UDO, 2º Ricardo Mestre do W52-FC Porto, e 3º Juri Hollmann da Movistar.

A diferença já passava os sete minutos para o pelotão, mais propriamente ao km 73, a vantagem entre a frente da corrida e o pelotão era de 7:20 minutos.

Eram 15:27, entretanto passava-se o km 100, dos 171,3 da etapa, e ao km 103, a diferença entre os 17 ciclistas da frente e o pelotão era de 8:30 minutos.

Surgia mais um abando, era o Israelita Yuval Ben Moshe da Israel Cycling Academy que abandonava a Volta a Portugal 2021, quando ao km 108 e a diferença subia para os nove minutos nos homens da fuga.

Mais um Prémio da montanha:

Na passagem no Prémio de Montanha de 4ª categoria em Gondomar ao km 115,6 quilómetros, o 1º Ricardo Mestre do W52-FC Porto, 2º Rafael Reis da Efapel, e 3º Daniel Mestre do W52-FC Porto.

A vantagem aumentava, a diferença continuava a subir, era de 9:55 minutos ao km 119, que filme, a etapa prometia.

A W52-FC Porto assumia a liderança do pelotão, numa altura em que a fuga tinha mais de nove minutos de vantagem, mas, havia uma tentativa de saída, Tomas Contte do Louletano-Loulé Concelho tentava escapar na frente da corrida, tinha 20 segundos de vantagem para o grupo perseguidor.

Queda na fuga:

O azar bateu à porta de Luís Gomes da Kelly/Simoldes/UDO, o mesmo cai, e fica para trás, ele que era um dos ciclistas que estava na fuga.

Ao km 129, o pelotão estava a dez minutos da frente da corrida, na frente da corrida, Tomas Contte do Louletano-Loulé Concelho, tinha 35 segundos de vantagem sobre Mason Hollyman da Israel Cycling Academy e 1:05 para o grupo perseguidor dos fugitivos.

Sozinho na frente, estava nos últimos 30 quilómetros da etapa Tomas Contte.

Luís Gomes entrava no grupo:

Luís Gomes da Kelly/Simoldes/UDO que liderava a Camisola dos Pontos, reentrava no grupo perseguidor, após a queda, quando o pelotão estava 10:15 minutos da frente dos fugitivos.

Mason Hollyman dava tudo para tentar juntar-se a Tomas Contte na frente da corrida que estava a 25 segundos, o grupo perseguidor estava a 1:50 minutos, e o pelotão a mais de dez, a menos de 25 quilómetros para a meta.

Porem, Hollyman aproximava-se de Contte, tinha 15 segundos, quando se estava a menos de 20 km para a meta, no Santuário de Nossa Senhora da Assunção, em Santo Tirso.

A diferença, e a última Meta Volante do dia:

O grupo perseguidor estava a dois minutos de Tomas Contte do Louletano-Loulé Concelho, que continuava na frente da corrida sozinho.

Entretanto, era feita a junção dos dois fugitivos da frente, Mason Hollyman da Israel Cycling Academy pedala já com Tomas Contte do Louletano-Loulé Concelho.

Na da terceira e última Meta Volante do dia, em Santo Tirso ao km163,1 quilómetros, o1º era Mason Hollyman da Israel Cycling Academy, 2º Tomas Contte do Louletano-Loulé Concelho, e 3º Juri Hollmann da Movistar.

O filme do pelotão e a fuga:

E, entretanto, a diferença para o pelotão baixava para os 7:45 minutos, quando Mason Hollyman deixava para trás Tomas Contte, e 15 segundos separavam os dois ciclistas, quando se estavam a quatro quilómetros para o fim.

Na subida para o Santuário de Nossa Senhora da Assunção, a diferença entre Hollyman e Contte era já de 20 segundos.

A três quilómetros da chegada, a diferença na frente aumentava para 35 segundos entre Hollyman e Contte, com Ricardo Mestre do W52-FC Porto a 50 segundos de Mason Hollyman.

Mason Hollyman

Mas, Mestre tentava aproximar-se:

Ricardo Mestre apanhava Tomas Contte, mas Mason Hollyman continuava sozinho na frente, e 40 segundos separavam o duo do britânico da Israel Cycling Academy.

Mason Hollyman acelera, e pedala para a vitória, o britânico de 21 anos da Israel Cycling Academy, foi o mais forte no Santuário de Nossa Senhora da Assunção, em Santo Tirso.

Mason Hollyman vencedor da etapa

O Top 3 – 5ª Etapa Volta a Portugal:

A classificação após a 5ª Etapa, foi a seguinte, 1º Mason Hollyman da Israel Cycling Academy com 04:11:48, 2º Ricardo Mestre da W52-FC Porto a 35 segundos, e 3º Tomas Contte do Louletano-Loulé Concelho, a 1 minuto.

O Novo Camisola Amarela foi Daniel Freitas, é o novo líder da classificação geral da Volta, o português de 21 anos, da equipa Rádio Popular-Boavista, corria no grupo perseguidor atrás de Mason Hollyman da Israel Cycling Academy.

O vencedor da etapa, e conseguiu arrecadar o 6º lugar na classificação da mesma, ficando a 01:09 minutos do britânico.

Classificação da etapa

Freitas consegue assim tirar a Camisola Amarela Santander a Alejandro Marque do Atum General/Tavira/Maria Nova Hotel, que fica em segundo lugar na classificação geral, a 42 segundos de Daniel Freitas.

Classificação geral

Depois de terminar a etapa em 18º lugar, Amaro Antunes da W52-FC Porto surge em terceira posição na classificação geral, a 47 segundos de Freitas.

E este foi o final do filme da 5ª etapa da Volta a Portugal em Bicicleta iniciada em Águeda, a terra do ciclismo e das bicicletas, e terminou lá bem no alto do Monte Córdova, no Santuário Nossa Senhora da Assunção.

Parceiros

Deixe uma resposta