Final Four Inédita do Campeonato Proliga

Final Four

A recalendarização das competições secundárias da FPB, nomeadamente do Campeonato da Proliga, obrigou ao ajuste do modelo competitivo que prevê, depois de completada a fase regular da temporada, a realização de uma Final Four entre as quatros melhores equipas da Zona Norte e da Zona Sul para apurar não só o campeão, mas também as equipas que ascendem à Liga Placard.

Texto: Federação Portuguesa de Basquetebol
Fotos:

Pela primeira vez na história do segundo escalão do basquetebol nacional

Pela primeira vez na história do segundo escalão do basquetebol nacional, disputado desde 2003/04, o Campeonato da Proliga vai conhecer o campeão da temporada 2020/21 através desta final a quatro onde se destacam as presenças de CD Póvoa/Grupo CCR, Illiabum Clube, Os Belenenses e Queluz/Consilcar.

Dos quatro clubes presentes nesta Final Four, três deles – CA Queluz, Belenenses e Illiabum – contam com muitas temporadas disputadas no principal escalão do basquetebol nacional, incluindo alguns títulos conquistados.

Final Four

CA Queluz um dos clubes na Final Four

A começar pelo CA Queluz, que na época passada se encontrava no Nacional da 1.ª Divisão, e que por duas vezes se sagrou campeão nacional, em 1984 e 2005, anos em que, posteriormente, também viria a conquistar a Supertaça.

Mas a abrilhantar o “museu”, o emblema da Linha de Sintra tem ainda duas Taças de Portugal (1982/83 e 2004/05).

Derek Browning é a referência maior da equipa que conta com jogadores com experiência de Liga Placard, nomeadamente João Lanzinha ou o base Tiago Pinto.

Final Four

Belenenses marcou várias gerações

Por seu turno, o Belenenses também marcou várias gerações no mais alto patamar da modalidade e, à semelhança do CA Queluz, apresenta dois Campeonatos Nacionais (1938-39 e 1944-45) e duas Taças de Portugal (1944-45 e 1958-59).

Charles Tripp é o jogador mais valioso de uma equipa de Belém que mistura juventude com experiência.

O jovem André Cruz tem estado em grande plano, assim como o internacional Henrique Piedade ou o campeão europeu de 2019, Rui Palhares.

Illiabum é o clube que há menos tempo participou na Liga Placard

O Illiabum é o clube da Final Four que há menos tempo participou na Liga Placard pela última vez (2019/20) e o único que sabe o que é vencer a Proliga (2008/09 e 2015/16).

Ainda recentemente, em 2018, a formação de Ílhavo venceu a Taça de Portugal, e da sua galeria de troféus faz ainda parte a Supertaça de 1992.

Augusto Sobrinho é o jogador mais experiente da turma de Ílhavo e o único que resta que da equipa que conquistou a Taça de Portugal em 2018.

Malcom Walters (que já passou pela Liga Placard) e Shannon Hale Jr. formam uma dupla de norte-americanos de respeito que é bem coadjuvada por atletas como Lamine Banora, Tiago Tavares ou o capitão, Manuel Sicó.

Final Four

CD Póvoa na Final Four procura a sua estreia na Liga

Já o CD Póvoa procura a sua estreia na Liga, menos de um ano depois de ter falhado o seu acesso no playoff, diante da Académica EFAPEL.

A turma poveira tem subido rapidamente na hierarquia do basquetebol português, como se prova pelo título nacional da 1.ª Divisão, em 2018/19.

Nuno Oliveira e Eduardo Coelho já vestiram a camisola da Seleção Nacional e são o rosto de uma equipa que aposta nos jogadores saídos dos escalões de formação.

Kameron Williams tem protagonizado uma temporada extremamente eficaz e Gojko Sudzum mostrou ser uma mais-valia nas áreas próximas do cesto.

Final Four recheada de história e de referências

Além do recheado histórico e das referências dos emblemas envolvidos, importa também salientar todo o talento que a Final Four no Pavilhão Municipal do Luso vai apresentar.

Dos jogadores nomeados anteriormente, muitos foram figura de proa nesta temporada 2020/21 da Proliga.

Detrek Browning (Queluz/Consilcar), do Queluz/Consilcar, terminou a fase regular no terceiro posto da corrida ao galardão de MVP, com o “poveiro” Kameron Williams a surgir logo a seguir com uma valorização de 20.9 pontos MVP.

A dupla de norte-americanos também se evidenciou na marcação de pontos, já que Browning liderou a lista de melhores marcadores da prova com uma média de 26.0 por jogo, seguido de Williams com 23.0.

Os protagonistas não se ficam por aqui e Augusto Sobrinho, uma das referências do Illiabum, mostrou-se especialmente certeiro da linha dos três pontos ao conseguir uma média de 46% de eficácia.

Kameron Williams repete a façanha, mas João Embaló consegue ainda melhor (48%) apesar do menor volume de lançamentos tentados.

Da linha de lance livre o norte-americano do Belenenses, Charles Tripp apresenta 85% de eficácia, noutro índice estatístico em que Kameron Williams volta a estar presente com a média mais elevada (90%).

Franck Kamen, poste do conjunto de Belém destaca-se como o quinto atleta com a média de ressaltos ofensivos mais elevada da prova (3.2).

No capítulo das assistências destaque para o internacional português, Nuno Oliveira, que surge no segundo posto do ranking com 5.9 assistências, seguido de perto por José Torres com uma média de 5.1 por encontro.

A Final Four da Proliga conta com transmissão em direto e em exclusivo na FPBtv.

Parceiros

Deixe uma resposta