Privacy Policy Page
Privacy Policy Page
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Gonçalo Bandeira recupera forma, com o melhor registo

Gonçalo Bandeira faz o melhor tempo na qualificação júnior da Taça do Mundo de Downhill (DHI).

O lousanense Gonçalo Bandeira (Miranda Factory Team) começou ontem da melhor forma a participação na ronda dupla da Taça do Mundo de Downhill (DHI), na Lousã.

O português Gonçalo Bandeiraque esteve recentemente no Campeonato do Mundo de BTT – Downhill para juniores, a demonstrar uma magnifica recuperação.

Gonçalo Bandeira
Gonçalo Bandeira – Foto: Miranda Bike Parts

Gonçalo Bandeira estabeleceu o melhor registo

O lousanense estabeleceu o melhor registo na qualificação de juniores.

A correr em casa, Gonçalo Bandeira mostrou os motivos por que é campeão nacional absoluto, apesar da idade júnior.

Gonçalo completou a descida em 4’09’’723, o melhor tempo de todos os juniores.

Mas também o registo mais rápido entre todos os portugueses presentes em prova, incluindo os corredores de elite.

Depois de anteontem ter sido o melhor júnior nos treinos cronometrados, Gonçalo Bandeira conseguiu ontem ser ainda mais rápido, batendo toda a concorrência da sua categoria etária.

O segundo classificado nesta qualificação foi o campeão mundial júnior, o irlandês Oisin O Callaghan (The YT Mob), a 1,528s de Bandeira.

O terceiro, a 2m548s foi o estadunidense Dante Silva.

Nuno Reis – Foto: Miranda Bike Parts

Nuno Reis (Miranda Factory Team), que chega à Lousã na segunda posição da geral da Taça do Mundo na categoria de juniores, foi ontem o sétimo mais rápido na qualificação, com mais 4,374s do que o compatriota e companheiro de equipa.

Competição promete ser intensa

A competição de elite masculina promete ser intensa, até domingo, na Lousã.

Na qualificação de ontem os dois primeiros da geral da Taça do Mundo puxaram pelos galões e foram os mais velozes em pista, os únicos a completarem o percurso em menos de 4 minutos.

O mais forte foi o francês Loris Vergier (Santa Cruz Syndicate), atual comandante da Taça do Mundo, com 3’59’’487.

O britânico Matt Walker (Madison Saracen Factory Team) gastou apenas mais 108 milésimos de segundo.

O terceiro na descida de apuramento foi o estadunidense Luca Shaw (Santa Cruz Syndicate), a 1,603s.

Emanuel Pombo – Foto: Miranda Bike Parts

Dois portugueses estão a competir entre a elite masculina.

Emanuel Pombo (Miranda Factory Team) foi o 56.º mais rápido, a 18,705s de Vergier.

Tiago Ladeira (Miranda Factory Team) foi o 63.º, a 22,577s. Pombo conseguiu um lugar entre os 60 qualificados para a final de hoje.

Tiago Ladeira – Foto: Miranda Bike Parts

A francesa Myriam Nicole (Commençal/MUC-Off by Riding Addiction) confirmou o favoritismo entre a elite feminina, descendo em 4’30’’658, deixando a segunda melhor, a neozelandesa Tracey Hannah (Polygon UR), a 4,859s.

A terceira foi a britânica Tahnee Seagrave (Cannyon Collective FMD), a 4,984s.

Margarida Bandeira foi a décima classificada em 11 participantes, com mais 54,982s do que a mais rápida.

Margarida Bandeira

A francesa Lauryne Chappaz (Dorval AM Pro Race Team) foi a melhor entre as cinco juniores presentes.

A Lousã recebe, até domingo, duas rondas da Taça do Mundo de DHI.

Hoje correm-se as finais da primeira das duas etapas.

Às 9h45 competem os juniores masculinos e às 10h30 arranca a prova de juniores femininas.

A descida de elite feminina começa às 12h30 e a de elite masculina uma hora mais tarde.

No sábado correm-se as qualificações da segunda ronda, ficando guardada para domingo a final.

O que é o DHI?

O DHI é um contrarrelógio em descida, durante o qual o corredor passa por uma sucessão de trilhos rápidos e passagens muito técnicas.

O participante deve demonstrar coragem, assim como técnica apurada e grande habilidade a conduzir a bicicleta para enfrentar raízes de árvores, amontoados de terra, lombas, saltos e outros obstáculos naturais ao longo do caminho.

Chegam a atingir-se velocidades de 80 km/h.

Quando disputado em contexto urbano e não na terra, a disciplina assume a designação de Downhill Urbano (DHU).

Texto: União Velocipédica Portuguesa – Federação Portuguesa de Ciclismo

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta