Homenagem a antigos ciclistas, contou com a presença de João Roque e Leonel Miranda

Marinhais recebeu no primeiro dia de Junho, o 9º Passeio do Núcleo de Cicloturismo dos “ Cansados de Marinhais”, um evento que fazia parte do calendário oficial da Federação Portuguesa de Cicloturismo e Utilizadores de Bicicletas (FPCUB). Um evento especial, já que tinha este ano também objectivo de homenagear, antigos ciclistas da terra, contando com ainda com figuras de peso do nosso ciclismo de outros tempos.

Marinhais bem cedo começou a receber os participantes, oriundos de vários locais, o Largo da Comissão de Festas foi o ponto de encontro, confirmadas as inscrições, uns momentos de conversas, pelas 9,30 tudo estava a postos, sendo dada a partida ao pelotão composto com cerca de 300 participantes, pela frente tinham os mesmos um trajecto de 70 quilómetros percorridos pelo concelho, com os participantes a iniciarem as pedaladas pela vila de Marinhais, estrada nacional 114, foros de Salvaterra, Nacional 118, Salvaterra de Magos, Nacional 367, Marinhais, Glória do Ribatejo, Granho, Muge, Nacional 118, e Marinhais, onde no local da partida terminaram as pedaladas, cerca das 12,30, com um percurso de baixa dificuldade, excelente para rolar.

Um passeio especial
O 9º passeio de Marinhais foi sem dúvida diferente e especial, já que um dos objetivos foi a de homenagear três ciclistas da terra, e a homenagem teve logo inicio passado uns quilómetros, depois de se terem percorrido algumas ruas da vila, a primeira paragem foi feita junto ao cemitério, aqui foi feita a homenagem a quatro personalidades da terra, duas delas antigos ciclistas que já não se encontram entre nós, um António Leal, que faleceu em 1993 com 82 anos de idade, e que em 1935 foi 15º classificado na Volta a Portugal. Militão Leal, foi outro dos homenageados, faleceu aos 85 anos, venceu várias provas a nível nacional, 6º classificado num Porto/Lisboa, 1º em 1933 no Lisboa/Coimbra, 6º na Volta a Portugal de 1933, sendo ainda treinador do Futebol Clube do Porto, Rio de Janeiro, Clube Desportivo de Marinhais, Belenenses e Benfica.

O segundo momento alto ocorreu durante o almoço, aqui foi homenageado Manuel Simões, atualmente com 80 anos de idade, teve vários palmarés em corridas de amadores, campeão regional e nacional independentemente em 1962, 7º na Volta a Portugal de 1962, na 32º edição do Porto/Lisboa classificou-se em 15º, integrou a seleção nacional na volta a Marrocos em 1960 ganhando a 1º etapa e vencedor do prémio da montanha, esteve na volta a Espanha e 1962, na volta á Tunísia, e volta a França do Futuro, radicado em França venceu várias provas destacando-se a volta á alsácia onde obteve o titulo de campeão amador, passando ainda pelo Benfica.

E esta homenagem teve a participação de dois grandes ciclistas, João Roque e Leonel Miranda, os quais entregaram a Manuel Simões uma placa de homenagem dos seus feitos.

Em ponto de reportagem, ouvimos Manuel Simões, ao qual referia que a homenagem que tinham acabado de lhe fazer o sensibilizou muito, em especial na presença de dois antigos colegas e amigos. Referenciou que os tempos eram outros, as dificuldades na época eram imensas, mas pedalava-se com alma. Atualmente lamenta a forma como o ciclismo anda, referenciava que na sua altura existiam imensas provas, quase todos os dias havia competição, atualmente isso não existe, acabaram com as mesmas, deixando no ar de que o ciclismo necessita de uma lavagem, de medidas novas.

João Robim, responsável pelo Núcleo “Os Cansados de Marinhais”, dizia-nos que o evento tinha sido muito positivo, a aderência foi imensa, e com as atuais dificuldades, não esperava tantos participantes, porém, os nomes de João Roque e do Leonel Miranda foram apelativos, e muitos tiveram curiosidade de confraternizar com estes grandes ciclistas.

Sobre as homenagens, João Robim afirmava que havia uma lacuna, em nunca terem homenageado estes ciclistas da terra, e foi com muito orgulho que o Núcleo de Marinhais o fez, eles mereceram as mesmas, e foi muito positivo serem aplaudidos por todos estes participantes.

A finalizar, João Robim agradecia a participação de todos, tentaram fazer o seu melhor, proporcionaram um excelente passeio, e tiveram uma massa humana na estrada digna de se ver, e acima de tudo com todas as dificuldades atuais, a iniciativa foi sem dúvida muito positiva.

E foi sem dúvida um passeio muito bom, uma serpente colorida na estrada que animou as mesmas por onde passaram, um passeio percorrido a uma velocidade boa para o tipo de percurso, e no final um grande convívio, o qual terminou com um excelente almoço, um tradicional porco no espeto.

Com um uma organização a dar o seu melhor, podemos considerar este passeio sem dúvida, um dos grandes eventos do calendário nacional, ficando assim os parabéns á organização, apesar de serem os “Cansados de Marinhais” isso não se viu pela sua energia que deram ao evento.

Fotos: José e Helena Morais

Parceiros

Deixe uma resposta