Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Jogos e desportos mentais melhoram o desempenho

Como os jogos e desportos mentais podem ajudar a melhorar o desempenho noutras modalidades desportivas

A parte mental dos desportos é tão importante como a parte física – Foto por Geralt /Pixabay License

Apesar da sua enorme importância, muitas vezes o lado mental da prática desportiva é negligenciado pelos desportistas e até mesmo pelos treinadores, pelo menos até que surge um problema.

O mundo do desporto parece, muitas vezes, colocar a vertente mental da prática em segundo lugar, depois dos aspetos físicos e técnicos, mas ele é fundamental para qualquer modalidade desportiva. Neste artigo vamos explicar como diferentes jogos e desportos mentais podem ajudar a melhorar o desempenho em praticamente qualquer desporto.

Blackjack ensina a utilizar o “princípio de Pareto” para melhorar resultados

O blackjack passou a ser conhecido mundialmente a partir do momento em que apareceu em importantes títulos de Hollywood como “21”, “The Hangover” e “Heat”. Mas este jogo tradicional já tem uma história muito antiga e pode fornecer diversas lições úteis para os praticantes de distintos desportos.

O principal ensinamento está relacionado com o famoso “princípio de Pareto”. Desenvolvido há mais de um século pelo famoso matemático com o mesmo nome, esse princípio acabou por ser popularizado pelo autor Richard Koch no livro “O princípio 80/20: Os segredos para conseguir mais com menos nos negócios e na vida” e oferece uma miríade de aplicações em diversas áreas.

Basicamente, esse princípio estipula que 80% das consequências, ou dos resultados de qualquer empreendimento ou ação, costumam ser gerados por apenas 20% das causas, que no caso empresarial estaria relacionado com o investimento ou produto disponível.

Filmes como “21” ajudaram a popularizar o blackjack e mostram a importância da matemática nesse jogo

Por exemplo, o autor e palestrante Tim Ferriss notou que 80% da sua produtividade provinha de 20% das suas horas de trabalho. Pelo que decidiu eliminar 80% das suas horas menos produtivas, verificando os e-mails apenas uma vez por dia e entregando uma grande parte das tarefas administrativas aos seus assistentes.

Existem diversas formas de entender e aplicar o princípio de Pareto no dia a dia, mas nenhuma delas é mais evidente para interiorizar esse conceito que o blackjack.

Nesse jogo, para ganhar é preciso aprender as diversas técnicas de contagem de cartas, que não são mais que métodos para adivinhar a composição de um baralho em cada momento e decidir se vale a pena ou não pedir mais uma carta ao “dealer”.

É possível aumentar ou diminuir a complexidade do sistema de contagem de cartas, mas ao interiorizar a regra dos 80/20 é fácil perceber que o sistema de contagem mais simples, que permite tomar a decisão correta só com um reduzido número de jogadas que realmente importam, é a melhor escolha possível.

A grande vantagem do blackjack sobre outras maneiras de entender o princípio de Pareto é a forma rápida e estatisticamente objetiva como esse jogo mostra como a teoria realmente funciona na vida real.

E ao entender como esse princípio funciona no blackjack, é muito fácil transmitir o ensinamento para os treinos ou jogos reais em qualquer modalidade desportiva.

Por exemplo, é muito comum que os treinadores e desportistas tenham em conta inúmeros treinos e variáveis diferentes, quando na verdade deveriam centrar-se apenas no que realmente importa para que o atleta progrida, como a dieta, treinos básicos e intervalos de recuperação adequados.

Ao entender e aplicar esse princípio em todas as decisões enquanto se treina uma equipa ou jogador, é possível maximizar a eficácia de tudo que é realizado. Menos, muitas vezes, é mais.

O póquer ensina a ler a mente dos oponentes e a planear o próximo movimento de maneira eficaz

O póquer é um dos desportos mentais mais populares no mundo inteiro. Existem diversas variantes para todos os tipos de entusiastas, mas uma das suas principais características é a necessidade de aprender a ler os oponentes, especialmente quando estes estão a fazer “Bluff”.

É possível prever o que os oponentes possuem em cada momento, tendo em conta as cartas que estão nas próprias mãos e na mesa. Mas para conseguir fazer a jogada certa em cada situação é imprescindível saber “ler”, “read” no vocabulário próprio dos profissionais, as expressões dos outros jogadores na mesa.

Desportos mentais como o póquer podem ensinar lições valiosas

Essa leitura pode ser feita através de um pequeno gesto de comemoração quase impercetível de outro atleta ao receber uma carta boa, ou detetando uma rápida expressão de desapontamento ao ver uma carta desfavorável na última rodada da mesa.

Essas “micro” expressões são chamadas de “tells” pelos atletas. E saber fazer as “reads” (leituras) corretas para determinar qual a melhor ação numa jogada é o que distingue os atletas amadores dos profissionais.

Além de diversos outros benefícios, a prática recorrente do póquer faz com que os seus praticantes se tornem especialistas em prestar atenção às menores variações possíveis nas expressões e comportamento dos oponentes, de forma a conseguir realizar essas “reads” e explorá-las ao máximo, uma habilidade que certamente é transferível a qualquer outra modalidade desportiva.

Ao mesmo tempo, um atleta experiente também aprende a ocultar as suas emoções verdadeiras ou até mesmo a controlá-las totalmente para impedir que as “reads” ocorram, outra vantagem indiscutível para todos os desportos.
Dois ensinamentos úteis para melhorar a eficácia nos desportos.

Seja através do princípio de Pareto, para maximizar a eficiência dos treinos, ou da capacidade de observar e explorar ao máximo as emoções dos oponentes, o blackjack e o póquer fornecem ensinamentos úteis que podem servir para melhorar o desempenho em qualquer modalidade desportiva.

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta