MARTÍNEZ DEFENDE TÍTULO NA VOLTA AO ALGARVE

Daniel Martínez

Daniel Martínez - INEOS - Foto: Volta ao Algarve

A 50.ª Volta ao Algarve procura, entre hoje e domingo, o sucessor de Daniel Martínez (BORA-hansgrohe), o campeão em título que terá a forte concorrência de Remco Evenepoel, Wout van Aert, Sepp Kuss ou Geraint Thomas.

Leia também

VOLTA AO ALGARVE NUMA EDIÇÃO QUE SE PREVÊ MEMORÁVEL

Site oficial

Fonte: Lusa

O favoritismo não recai em Daniel Martínez, mas sim em Remco Evenepoel

Apesar de Martínez estar entre os 175 inscritos nesta ‘Algarvia’, o favoritismo não recai no colombiano, mas sim em Evenepoel, que abriu a época com uma vitória na Clássica da Figueira e que, a partir de hoje, vai lutar pelo seu terceiro triunfo na prova, após os de 2020 e 2022.

Aos 24 anos, o belga da Soudal Quick-Step é um sério candidato a igualar o português Belmiro Silva, único ciclista a ter vencido a Volta ao Algarve por três vezes (1977, 1981 e 1984), um feito que poderá ser alcançado igualmente por Thomas, campeão em 2015 e 2016.

Remco Evenepoel – Foto: João Fonseca / Volta ao Algarve

O galês, distinguido com o Prémio Prestígio da 50.ª ‘Algarvia’, lidera um forte contingente da INEOS, que vai alinhar também com Thomas Pidcock e o italiano Filippo Ganna, respetivamente vencedor no Malhão e ‘vice’ na geral final da passada edição, além do promissor neerlandês Thymen Arensman.

Volta ao Algarve a única prova portuguesa por etapas do circuito UCI ProSeries

Mas é a Visma-Lease a Bike que traz os dois outros grandes ‘cabeças de cartaz’ da única prova portuguesa por etapas do circuito UCI ProSeries, o segundo mais importante do calendário internacional, apresentando-se com o belga Wout van Aert e o norte-americano Sepp Kuss, vencedor da Vuelta2023.

Se Van Aert vai estrear-se no Algarve, Kuss regressa à prova portuguesa, na qual esteve em 2017, com as cores da Rally Cycling, a equipa do segundo escalão mundial que representou antes de dar o salto para o WorldTour na formação neerlandesa.

Entre os favoritos estão também o britânico Tao Geoghegan Hart (ex-INEOS), o vencedor do Giro2020 que se estreia com as cores da Lidl-Trek e está de regresso à competição após a grave queda na última edição da ‘corsa rosa’, ou o português Rui Costa (EF Education-EasyPost), terceiro em 2014 e 10.º no ano passado.

Arnaud Démare – Foto: Facebook do ciclista

Primeira etapa vai oferecer protagonismo aos sprinters

Mas antes de os homens da geral entrarem em ‘cena’, o final da primeira etapa vai hoje oferecer, em Lagos, o protagonismo aos sprinters, nomeadamente ao francês Arnaud Démare (Arkéa-B&B Hotels), outra das figuras desta edição.

Os 175 ciclistas, de 25 equipas, 13 das quais no WorldTour, terão 200,8 quilómetros para percorrer desde Portimão, onde a partida simbólica será dada às 11:35.

Em Vila do Bispo, ao quilómetro 161,2, está instalada a única meta volante do dia, que é antecedida pela contagem de quarta categoria de Aldeia dos Matos (37,6) e pela terceira de Nave (96,5).

A chegada à Avenida dos Descobrimentos, em Lagos, está prevista para as 16:46.

Parceiros

Deixe um comentário