O Praticante | revista nº. 54

Um passo atrás para dar dois à frente.

Cada novo dia que surge, começa uma nova vida, e avançamos com alegria para a viver cada segundo, como se o último da nossa vida fosse, devemos seguir em frente, querendo ou não, voando, correndo, andando, ou até rastejando.
A vida é uma montanha russa, tão depressa estamos lá no alto, admirando as belas paisagens que nos rodeiam, sendo venerados, como de repente estamos no fundo, não podendo apreciar nada, e todos os que nos veneravam e à nossa volta circundavam nos deixam, a vida é assim de altos e baixos, tristezas e alegrias, ganhos e perdas, mas no meio disto tudo, à que ter fé, isso temos desde que nascemos, vem da educação que nos deram, de não termos vergonha das quedas que demos e damos, e ainda continuarmos a ser felizes, porque com elas aprendemos a ser melhores, e a respeitar quem bem nos trata, retribuindo com Amor, a quem todos os dias nos tenta prejudicar.
O Desporto atravessa também neste momento como em qualquer outra situação da nossa vida, um momento menos bom, em Portugal praticar desporto não é fácil, e o estado em pouco contribui, já falamos nisso anteriormente, existem várias modalidades com Campeões Europeus, Mundiais e quem fala deles, quem os apoia, pois é, não são futebolistas, esses sim gasta-se diariamente litros de tinta a falar deles, por isto e por aquilo, vem ai o Campeonato do Mundo e o País vai parar ansiosamente por um resultado que nos prestigie, nos dignifique e nos faça esquecer as tristezas do dia a dia, mas porquê falar tanto de uns e tão pouco de outros que pagam do seu bolso, para alcançar tão digno prestigio, que não tem retribuição, nem divulgação, só mesmo pelo prazer de se sentirem satisfeitos com eles mesmos e com os que diariamente os apoiam.
Estar sempre insatisfeito, na verdade, é o que faz lutar, que faz treinar estes atletas, os que fazem competição, os que são somente praticantes, ou que estão no desporto por lazer, prosseguir e nunca desistir de alcançar, de se aplicarem para alcançarem as metas que traçam.
Por isso muitas vezes dar um passo atrás, para dar dois para a frente, não é nenhum desprestígio, mas de sensatez, de ponderação de quem sabe, que com esse passo atrás irá refazer a sua vida, seja desportiva, profissional ou familiar, olhar em frente, é melhor que olhar para trás, para trás olhamos para nos lembrarmos dos nossos erros, das nossas quedas, e dessa forma não repetir.
Por isso não desista, não fique sentado à espera que lhe caia algo do céu, isso nunca acontecerá, deixe o seu orgulho de lado, levante-se, procure, trabalhe, e surgirá a oportunidade de alcançar o que pretende.
Esta tem sido a nossa forma de estar e contribuir para o desporto ser mais conhecido, e você o que tem feito?
Até à próxima.

Directora: Amália Mendes
amalia.opraticante@gmail.com

Link: O Praticante | revista nº. 54

Parceiros

Deixe uma resposta