“Passo a passo” ao “chegar na frente”

passo

Fernando Pimenta e Joana Vasconcelos

Tudo a seu tempo, com a ideia do “passo a passo” a marcar o discurso de Fernando Pimenta e Joana Vasconcelos, enquanto Norberto Mourão manifesta, desde já, a vontade de “chegar na frente”.

Os atletas vão defender as cores de Portugal na Taça do Mundo de Szeged, que arranca na sexta-feira.

Taça do Mundo de Szeged

A prova na Hungria é a única competição internacional de velocidade em 2020

Tudo isto antes da participação na Taça do Mundo de Velocidade e Paracanoagem, que, entre sexta-feira e domingo, de 25 a 27 de setembro.

A pista de Szeged, na Hungria será o palco da única prova internacional de velocidade do ano de 2020.

Um ano marcado, irremediavelmente, pela pandemia de Covid-19, que, durante meses, praticamente paralisou todo o mundo.

“Vamos passo a passo até às finais”

Esta competição tardou, mas, felizmente, vai acontecer.

A época já vai muito longa e desgastante, mas a competição internacional traz-nos a adrenalina necessária e ainda por cima, este ano, é a única”, afirmou Fernando Pimenta.

Com o canoísta da Seleção Nacional a sublinhar tratarem-se de “provas diferentes das nacionais”, uma vez que, realçou, “estamos a representar as cores nacionais”.

Na Taça do Mundo de Szeged, o atleta de Ponte de Lima deseja que «o corpo reaja bem”, de forma a poder “sentir boas sensações”.

Após a prova na Hungria, o Campeão Nacional pretende “fazer uma avaliação da época”, mas antes quer realizar “boas provas” em Szeged.

Vamos passo a passo até às finais, depois tentar os pódios e as medalhas de ouro”, transmitiu o canoísta.

Fernando Pimenta começa por competir na sexta-feira (25 de setembro), nas eliminatórias de K1 1.000 metros, às 09h15 (hora portuguesa), e de K1 500 metros, às 11h40 (hora portuguesa).

No domingo (27 de setembro), a final de K1 5.000 metros arranca às 15h05 (hora portuguesa).

passo
Fernando Pimenta e Joana Vasconcelos

Joana Vasconcelos “este é um ano atípico”

Joana Vasconcelos está otimista em relação à participação na Taça do Mundo de Szeged, embora opte por não estabelecer, desde já, qualquer tipo de meta.

Vamos passo a passo. Vou dar o melhor de mim a cada prova à espera que saia um bom resultado”, resumiu a canoísta da Seleção Nacional.

Lembrou que: “Não compito há muito tempo, cá fora, em K1 200 metros e em K1 500 metros. Espero que corra pelo melhor. É um teste”.

Segundo a canoísta lusa, “este é um ano atípico”, comprovado, disse, “por esta ser a única prova internacional de 2020”.

É muito bom participar nas provas nacionais, mas são as competições internacionais que nos mostram, verdadeiramente, o momento em que estamos”, referiu Joana Vasconcelos.

Joana Vasconcelos vai competir na sexta-feira (25 de setembro), nas eliminatórias de K1 200 metros, às 09h00 (hora portuguesa), e de K1 500 metros, às 14h27 (hora portuguesa).

Norberto Mourão

“Vou dar tudo na prova” Norberto Mourão

Norberto Mourão é o representante da paracanoagem portuguesa em Szeged. “Vou dar tudo na prova. O objetivo é chegar na frente. Vamos lá ver”, confidenciou o paracanoísta da Seleção Nacional.

Referindo que, “com a paragem devido à Covid-19, ninguém tem a certeza de nada”.

Estou ao nível do Europeu, mas não ao nível do Mundial em 2019”, reconheceu, antes de acrescentar: “Não faço ideia como estão os adversários”.

Sei que posso dar mais do que estou a dar agora, mas, ainda assim, recuperei bastante do que perdi no início da época”, afirmou.

Norberto entra em ação na sexta-feira (25 de setembro), às 08h05 (hora portuguesa), na final de VL2 200 metros.

Na Hungria, o paracanoísta português também vai enfrentar uma novidade.

No sábado (26 de setembro), às 09h01 (hora portuguesa) compete na prova de VL2 500 metros.

É uma prova à experiência, é só para testar e não há medalhas nem nada”, informou.

[divide icon=”circle” width=”medium”]

Texto: Federação Portuguesa de Canoagem

Parceiros

Deixe uma resposta