Privacy Policy Page
Privacy Policy Page
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Portugal a Correr, uma volta de 1250 km em 25 dias

João Paulo Félix é um exemplo dos atletas que recusam o facilitismo do conformismo, o apelo do corpo cansado pelas agruras da vida e de esforços contínuos ao longo de décadas de trabalho, em função do prazer da prática desportiva, tantas vezes castigadora do corpo e dos efeitos nele produzidos e agora abraça nova aventura “Volta a Portugal a Correr“.

Portugal a Correr

Volta a Portugal a Correr” serão 1250k, ao longo de 25 Etapas, 25 dias

Agora o seu novo objectivo “Volta a Portugal a Correr” serão 1250k, ao longo de 25 Etapas, 25 dias, a correr aproximadamente 50k por dia.

Volta a Portugal a Correr” é um Projecto com custos muitos elevados e como tal só é possivél realizar recorrendo a uma angariação de fundos que cubram as despesas nas seguintes áreas: viatura de apoio ao Atleta, Equipamentos, Comida, Dormida, Deslocações.

Este é um Desafio solidário com o lema “eu corro contra a violência doméstica” e pretende sensibilizar a sociedade para esta problemática.

Começa dia 15 de Julho às 09h15m na “rotunda do k738” em Faro e termina dia 8 de Agosto em frente ao Monumento dos Descobrimentos em Lisboa. Irei percorrer toda a Estrada Nacional N2 até Chaves e depois em direcção ao Porto, Figueira da Foz, Sintra e Lisboa.

OPraticante.pt esteve à conversa com João Paulo Félix.

João Paulo Félix – Foto: Gil Xavier

OPraticante: Mais um objetivo, mais uma superação que te propões fazer num total de 1250k, o que te leva a abraçar este objetivo, esta “Volta a Portugal a Correr“?

João Paulo Félix: Pensei que o Desafio “Volta a Portugal a Correr” podia conciliar um conjunto de objetivos:

Uma ideia de superação ligada à quilometragem da distância, uma Causa através da sensibilização da problemática da violência doméstica sob o lema “eu corro contra a violência doméstica”;

Uma “Homenagem a tod@s os Profissionais de Saúde” por tudo o que têm feito por nós e, claro, comemorar os meus 50 anos de vida.

João Paulo Félix – Foto: Orlando Duarte

OP: Tens sido um Atleta que abraçou ao longo dos anos várias causas. O que te leva a abraçá-las?

JPF: Considero que o Desporto deve ser um promotor de valores e que a prática do desporto é uma bênção para todos os praticantes. Assim, parto desta reflexão para dedicar aos outros parte do meu trabalho. É um acto de uma cidadania activa.

OP: Qual a causa que mais te comoveu?

JPF: Em relação a Causas nenhuma me comoveu em particular mas tenho muitas situações de pessoas que me abordam de diferentes maneiras, por exemplo: dar os parabéns pela iniciativa, falar de alguns dos seus problemas.

João Paulo Félix – Foto: Tânia Mesquita

OP: Como te tens preparado para concluir a “Volta a Portugal a Correr“? Que dificuldades esperas encontrar?

JPF: A preparação para este Desafio foi feita ao longo de muitos anos quer numa perspetiva física, quer psicológica.
Treinar bem e regularmente é muito importante. Nas semanas mais exigentes corro cerca de 150k distribuídos da seguinte forma:

Treino rolantes com cerca de 20k;
Treinos de escadas e rampas, e um treino longo com cerca de 50k;
Treino muito de bicicleta;
um dia pedalo cerca de 100k, numa bicicleta com carga, ou numa bicicleta de estrada;
Raramente faço treinos bidiários.

Em relação às principais dificuldades… o calor, o cansaço. É muito tempo a correr, a “viver na Estrada”, são tudo fatores que aumentam o cansaço.

João Paulo Félix – Foto: Teresa Baptista

OP: Como vais superar a exaustão da acumulação de quilómetros diária?

JPF: A minha estratégia para uma boa recuperação é descansar bem, estar psicologicamente descansado, ter uma boa alimentação e celebrar as conquistas diárias.

OP: Que apoios vais ter para te superar dia após dia?

JPF: No local apoio de várias pessoas e Entidades. Ainda falta fechar algumas Etapas. À distância dos amigos, da família, das pessoas que admiram o meu trabalho e da Equipa de Apoio, Planeamento e Marketing.

OP: Devido à pandemia, irás ter companheiros a acompanhar-te nas várias Etapas?

JPF: Sim, com as devidas regras de distância social. Se não fosse a pandemia teria mais apoio mas é fundamental respeitar as regras.

João Paulo Félix – Foto: Gil Xavier

OP: Como superaste a pandemia, o que trouxe de novo à tua vida?

JPF: Estar em confinamento é por si uma ideia desagradável. Dentro das imposições fui procurando treinar na natureza.

A parte mais interessante foi a possibilidade de poder ter um grande momento de introspeção e reflexão também impulsionado pela comemoração dos 50 anos. Relembrei que viver é uma dádiva, criei novos Projetos.

OP: Vais continuar a desafiar-te e a superar os teus limites até quando?

JPF: Até quando tiver corpo e mente que permitam alcançar os meus objetivos ou até quando me fizer sentido.

Tenho que viver o que faço, tenho que ter alegria, as coisas têm que fazer sentido e se algum dia acordar e que os Desafios deixem de fazer sentido páro por ali.

Portugal a Correr
João Paulo Félix

OP: Na última entrevista que te fizemos disseste que tinhas o sonho de… atravessar a Route 66 nos Estados Unidos de bicicleta, atravessar a Europa a correr, para quando esses sonhos?

JPF: Quando encontrar um, ou mais, patrocinador que se identifique com o Projeto e que queira investir. Continuo a estabelecer contactos.

Tenho como objetivo apresentar o meu trabalho no estrangeiro e tenho esperança de conseguir. É preciso persistir.

OP: Já vi que esta “Volta a Portugal a Correr” é contra a violência doméstica. Qual a tua opinião sobre a violência doméstica e o que pode ser feito para ser menorizada?

JPF: A violência doméstica é uma problemática muito complexa. Temos que investir nas crianças / jovens e nas comunidades onde vivemos.

É fundamental haver uma boa intervenção e prevenção de base. Essa intervenção está relacionada com os valores.

É urgente educarmos para a tolerância, para a aceitação das diferenças dos outros (económicas, sociais, politicas, religiosas), para a paz.

Página do evento.

Foto de capa: Freepik.com

Visualize também

João Paulo Félix satisfação de vencer os seus limites

Texto: Henrique Dias
Fotos: Gil Xavier / Orlando Duarte / Tânia Mesquita / Teresa Baptista

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta