Portugueses cumprem expectativas com sotaque britânico

Lora Fachie e Corrine Hall

Os corredores portugueses cumpriram as expectativas nos contrarrelógios do Campeonato do Mundo de Paraciclismo, que hoje se realizaram no Circuito Estoril, Cascais, com domínio da seleção britânica, que conquistou quatro dos onze títulos disputados.

Texto / foto: União Velocipédica Portuguesa – Federação Portuguesa de Ciclismo

Vento forte o maior adversário dos paraciclistas portugueses

O vento forte tem sido um dos maiores adversários dos paraciclistas portugueses, endurecendo muito as corridas quando sopra de frente e aumentando a exigência técnicas sempre que atinge os corredores por trás ou lateralmente.

A armada nacional bateu-se com galhardia, cumprindo as expectativas, mas não conseguindo resultados de relevo.

Telmo Pinão foi o 16.º classificado nos 25,2 quilómetros da prova de classe C2. Gastou mais 5m59s do que o novo campeão mundial, o francês Alexandre Leaute.

A prestação do português foi prejudicada por dois problemas mecânicos. “Sabia que em condições normais poderia aspirar a um lugar entre o 10.º e o 12.º, mas saiu-me a corrente e parti o suporte [de apoio da perna amputada].

Fico triste, porque preferia que o resultado fosse apenas motivado pela condição física e não pelos percalços”, referiu o paraciclista.

Bernardo Vieira também sentiu dificuldades no exercício individual de 16,8 quilómetros de classe C1. O corredor português foi oitavo, a 3m38s do espanhol Ricardo Ten Argiles, que conquistou o título mundial.

Os portugueses tiveram dois representantes nos 33,6 quilómetros disputados pelos paraciclistas de classe C5. Hélder Maximino foi 16,º, a 10m27s do vencedor, o holandês Daniel Abraham Gebru. Manuel Ferreira foi 18.º, a 11m49s.

Paulo Teixeira competiu na série de classe C4, mas foi reclassificado com C3. Nesta competição foi 14.º, a 11m35s do francês Florian Bouzani, que conquistou a medalha de ouro.

portugueses
Isabel Caetano e Ana Silva

Ana Silva, guiada por Isabel Caetano, estreou-se na classe B, prova em tandem, para atletas cegas ou com deficiência visual profunda. A dupla nacional fechou no 14.º posto, a 14m01s das melhores, as britânicas Lora Fachie e Corrine Hall.

Vitória na corrida de classe B feminina foi a quarta do dia para os britânicos

A vitória na corrida de classe B feminina foi a quarta do dia para os britânicos, que também se impuseram na classe B masculina, através de Stephen Bate e Adam Duggleby, na classe C4 masculina, por George Peasgood, e em C5 femininas, por intermédio de Sarah Storey, única a revalidar títulos mundiais durante a jornada.

Pódio Classe B Masculina

Também tiveram direito à camisola arco-íris a colombiana Daniela Munevar, em C2, a sueca Anna Beck, em C3, e a canadiense Marie-Claude Molnar, em C4.

A sexta-feira continuará a ser dedicada aos contrarrelógios.

Será a vez dos corredores das categorias H (handbike) e T (triciclo).

As provas decorrem entre as 10h00 e as 11h00 e entre as 14h00 e as 18h30.

Portugal terá representantes em H3, H4 e H5.

O primeiro a competir, às 14h06, será Luís Costa, em H5.

Em H4 vão correr Rúben Garcia, às 14h14, Carlos Neves, 14h17, e Flávio Pacheco, 14h21.

João Pinto vestes as cores nacionais no contrarrelógio de H3, partindo ás 15h00.

Parceiros

Deixe uma resposta