Ricardo Marinheiro com vitória e novo recorde na rampa lisboeta

A subida “À Glória”, a prova mais pequena do mundo, apenas com 265 metros, é um evento de grande tradição organizada pela primeira vez em 1910, apesar de não ser uma prova regular, realizou durante cindo edições, a primeira em 1910, ganha por José Moura, que na altura fez 1 minuto e 23 segundos. Depois de um interregno de dois anos, a mesma foi realizada em 1913, tendo Alfredo Piedade sido o vencedor, mantendo-se o recorde da primeira edição. Voltou a haver novamente mais um interregno de dez anos, e em 1924 volta a realizar-se com nova vitória de Alfredo Piedade. Um ano depois em 1925 é a vez de João Santos Borges sair vitorioso da prova, e no ano a seguir, 1926, novamente Alfredo Piedade é o grande vencedor, e bate o recorde que estava estabelecido em 1 minuto e 23 segundos, em apenas 55 segundos.
Reza a história que na primeira edição José Moura fez 1,23, mas ainda nesta década, Alfredo Piedade muito jovem terá feito 1,10 minutos, mas nada de oficial, informação que consta no livro “A História do Ciclismo Português”.

Mais de cem depois da primeira edição, a International Cycling History Conference de Lisboa 2013, sugeriram à UVP-FPC a proposta da realização da “Corrida da Glória” sendo uma forma de dar a conhecer a história das corridas de bicicleta de Lisboa, no início das décadas do século XX, e retomou-se a 17 de maio de 2013 com a “Subida à Glória”, com Ricardo Marinheiro a bater o recorde, fazendo 39 segundos e 77 milésimos de segundo, com a primeira mulher a ser galardoada na prova, Ana Azenha fazia 1 minuto e 6 segundos.
Este sábado 11 de outubro voltou-se novamente à Glória, a chuva marcou o evento, mas mesmo assim não desmotivou os atletas, mais de 130 participaram, escalando a íngreme e famosa calçada lisboeta. Muitos amantes das duas rodas sem motor juntaram-se a muitas estrelas do ciclismo nacional, entre os presentes contou-se com a presença de Tiago Machado, Sérgio Paulinho e Rui Sousa. Outras glórias de outros tempos escalaram a Glória como Joaquim Gomes, o atual selecionar nacional José Poeira, Carlos Santos, Leonel Miranda, Firmino Bernardino, e Paulo Ferreira, que este ano comemora 30 anos sobre a estreia e vitória de etapa no Tour de France.

Porém, as figuras do dia foi sem dúvida em femininos, Vanessa Fernandes do Clube Associação 20 Kms de Almeirim, a campeã nacional de maratonas BTT que fez 1 minuto e 1 segundo, conseguindo assim a melhor marca feminina da Subida à Glória, batendo o recorde, retirando 5 segundos ao tempo de Ana Azenha, vencedora de 2013, que este ano não esteve presente para defender o recorde.
Mas se Vanessa foi a heroína da noite, o grande herói foi Ricardo Marinheiro, que bateu o seu próprio recorde, ao fazer 36,68 segundos, menos 3,09 segundos, o jovem natural de Mafra, especialista de Btt, mesmo com a chuva que caiu, não impediu Marinheiro de estabelecer um novo recorde da escalada, além de vencer a prova de contrarrelógio, ganhou igualmente as semifinais e a finalíssima discutida com Pedro Preto do Clube Ciclismo Bairrada.
Pedro Preto ficou em segundo lugar, classificou-se à frente, nada mais, nada menos, do que o campeão do mundo de pista em perseguição individual na categoria de juniores, Ivo Oliveira, seguido de Rafael Reis, quarto classificado no contrarrelógio sub-23 dos Mundiais de Ciclismo de Estrada.
Em femininos, apenas oito estiveram em competição, Vanessa Fernandes ganhou, ficando à frente de Ilda Pereira, Daniela Reis e da espanhola Maria Jesus Fernandez, na primeira subida em contrarrelógio.

Subir “À Glória” é uma corrida de bicicletas que se realiza na calçada da Glória em Lisboa, o Elevador da Glória da mesma é o seu ex-líbris, uma rampa de liga a Baixa de Lisboa na Praça dos Restauradores, até lá bem no cimo, no Bairro Alto, no Jardim de São Pedro de Alcântara, apenas com 265 metros de extensão, e com cerca de 17% meio de declive.
“À Glória” é uma tradição das duas rodas, a corrida teve organização da Federação Portuguesa de Ciclismo, Associação de Ciclismo de Lisboa em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa e Companhia de Carris de Ferro de Lisboa, um evento iniciado em 1910, relançado em 2013, com rodas para continuar, o qual será sem duvida um evento a não perder, onde as surpresas são sem dúvida vividas ao momentos.

CLASSIFICAÇÕES
MASCULINOS
1 Ricardo Marinheiro do Marinheiro Training Systems / Suplementos Marinheiro.com
2 Pedro Filipe da Mota Preto do C.C.Bairrada
3 Ivo Oliveira do Bairrada
4 Rafael Reis do Banco BIC/Carmin/Tavira

FEMININOS
1ª. Vanessa Fernandes da Assoc. 20 Kms do Almeirim
2ª. Ilda Carina Pinheiro da Silva Pereira  do BTT Torcatense Casa Myze Quer
3ª. Daniela Reis do Acreditar-AC Malveira
4ª. Maria Jesus Barros Fernandez do Club Ciclista Spol Concello do Porriño

 

Texto: José Morais

Foto de abertura: Pódio dos vencedores Ricardo Marinheiro e Vanessa Fernandes

Parceiros

Deixe uma resposta