Sistema imunitário fragilizado, menor rendimento

Sistema

Preparar o sistema imunitário para responder aos estímulos nocivos é uma preocupação que deve permanecer constante.

Para o atleta este é um tema de grande interesse pois a sua saúde e performance podem ficar comprometidas caso não sejam prestados alguns cuidados.

A intensidade de treino está relacionada com a probabilidade de contrair doença, principalmente infeções do trato respiratório superior.

Atletas de elite encontram-se especialmente em risco pois, comparando com atletas recreativos, apresentam uma maior carga e intensidade de treino que levam a maior stress metabólico e gasto energético.

Os atletas doentes e/ou com o sistema imunitário fragilizado terão uma menor capacidade de resposta ao treino e, consequentemente, menor rendimento.

Pirâmide comida

Será que a alimentação pode ajudar na prevenção da doença e melhoria do sistema imunitário do atleta?

Sem dúvida, uma alimentação variada, que supra as necessidades nutricionais do atleta, irá fornecer-lhe a energia e substratos essenciais para manter o sistema imune capaz de combater os agentes patogénicos do meio.

Para manter um sistema imunitário eficaz seguem algumas diretrizes suportadas com a evidência atual:

  • Garantir uma alimentação de elevada qualidade e prevenir o défice nutricional de macros e micronutrientes (antioxidantes, vitaminas, minerais);
  • Não restringir os hidratos de carbono, consumir especialmente antes, durante e depois do treino, principalmente se for um treino longo;
  • Manter-se hidratado – promove, por exemplo, a síntese de IgA salivar (↑ Imunidade);
  • Evitar grandes períodos de restrição energética/ jejum;
  • Promover a síntese de vitamina D (contacto da pele com o Sol) de forma a manter a saúde óssea e vários processos imunológicos;
  • Eventualmente: suplementar com prebióticos e probióticos.

Para além dos agentes patogénicos do meio, a imunidade do atleta pode estar comprometida devido a fenómenos de ansiedade/ stress psicológico, poucas horas de sono (menos de 6 horas de sono por noite), Overtraining e défice calórico.

Sono adequado

Com o apoio da Nutrição, o objetivo principal é que o atleta apresente disponibilidade energética e os devidos substratos (glicose, aminoácidos, ácidos gordos, antioxidantes como a Vitamina C) para evitar a doença e manter o rendimento.

Fontes:
Nieman DC. Exercise and upper respiratory tract infection. Sport Med Train Rehabil. 1993;
Walsh NP. Nutrition and Athlete Immune Health: New Perspectives on an Old Paradigm. Sport Med. 2019;
Williams NC, Killer SC, Svendsen IS, Jones AW. Immune nutrition and exercise: Narrative review and practical recommendations. Eur J Sport Sci 2019.

[divide icon=”circle” width=”medium”]

Publicado no sitio oficial da Federação Triatlo Portugal

Parceiros

Deixe uma resposta