TAVFER DISPUTA VOLTA AO ALGARVE LADO A LADO COM OS MELHORES DO MUNDO

pelotão

Foto: DR

A Equipa Continental UCI Tavfer-Ovos Matinados-Mortágua compete esta semana ao lado dos melhores do mundo, na 49º Volta ao Algarve, prova internacional de categoria 2.Pro.

Leia também

CICLISMO EM DOSE DUPLA COM VOLTAS AO ALGARVE E ANDALUZIA

Fonte: Tavfer – Ovos Matinados – Mortágua

O primeiro confronto de titãs do pelotão internacional será na Volta ao Algarve

A 49.ª edição da Volta ao Algarve, que vai disputar-se entre 15 e 19 de fevereiro de 2023, começa em Portimão e termina em Lagoa, depois de percorridos 795 quilómetros, distribuídos por quatro etapas em linha e um contrarrelógio individual.

Tal como vem sendo hábito e é um ingrediente fundamental para atrair as melhores equipas e os melhores ciclistas internacionais, o percurso contempla etapas para todos os gostos.

Além do exercício individual, haverá duas etapas com final em alto e duas tiradas previsivelmente para sprinters.

O clima temperado do Algarve em fevereiro, a variedade do percurso e a exigência do mesmo, com um acumulado total de subida das cinco etapas de 14600 metros, fazem da Volta ao Algarve o primeiro confronto de titãs do pelotão internacional em cada época.

Volta ao Algarve
Foto: DR

Portimão recebe novamente a partida do evento

Em 2023, Portimão recebe novamente a grande partida da Volta ao Algarve.

A primeira etapa parte da cidade portimonense leva o pelotão por um percurso de 200,2 quilómetros para terminar em Lagos, que consagrará o primeiro camisola amarela da prova.

A segunda etapa será o primeiro teste à condição dos candidatos ao triunfo final.

O pelotão de 25 equipas parte de Sagres, concelho de Vila do Bispo, para uma viagem de 189,4 quilómetros, que irá terminar no ponto mais alto do Algarve, a Fóia, no concelho de Monchique.

A meta coincide com um prémio de montanha de primeira categoria (7,5 km de subida com inclinação média de 6 por cento).

A 6 quilómetros do sopé da Fóia está o prémio de montanha de segunda categoria, instalado na Pomba (3,6 km com inclinação média de 8,2 por cento).

Ao terceiro dia espera-se que os sprinters voltem a conquistar protagonismo na etapa mais longa da competição, 203,1 quilómetros, com partida de Faro e chegada em Tavira.

duelo
Foto: DR

Vai, certamente, mexer com a classificação geral na quarta etapa

A quarta etapa, no sábado, 18 de fevereiro, vai, certamente, mexer com a classificação geral.

Os corredores vão partir de Albufeira para completarem 177,9 quilómetros até ao alto do Malhão, concelho de Loulé.

A meta coincide com uma contagem de montanha de segunda categoria (2,6 km a 9,2 por cento). Será a terceira subida nos últimos 40 quilómetros.

A 37,6 quilómetros do final será necessário ultrapassar a subida de Alte (2,2 km a 7,7 por cento).

A 24 quilómetros da chegada dá-se a primeira passagem pelo Malhão.

Como o contrarrelógio está guardado para o último dia, espera-se que os trepadores e suas equipas ataquem esta fase final para tentarem distanciar-se dos contrarrelogistas.

O vencedor será coroado em Lagoa, no dia 19 de fevereiro.

As contas finais acertam-se num contrarrelógio de 24,4 quilómetros, que aproveita parte do tradicional contrarrelógio de Lagoa, mas que lhe acrescenta quilómetros e dificuldade física e técnica, tornando a “prova da verdade” ainda mais exigente e potencialmente decisiva.

Equipa da Tavfer-Ovos Matinados-Mortágua na Volta ao Algarve

“A Volta ao Algarve é um desafio para todos” Gustavo Veloso da Tavfer-Ovos Matinados-Mortágua

Em antevisão a esta corrida, o Diretor Desportivo Gustavo Veloso enaltece que

A Volta ao Algarve é um desafio para todos, sabem que temos um pelotão de elevadíssima qualidade, mas a nossa equipa quer marcar presença.

A equipa encontra-se bem, motivada e vamos lutar para ter o nosso destaque nesta competição.

Um pelotão com esta qualidade será um desafio mas também uma motivação para a nossa equipa, com a expectativa de sermos protagonistas num evento com forte mediatismo nacional e internacional.

Parceiros

Deixe um comentário