Tomar

Os infantis Ema Sousa e Diogo Carvalho venceram a prova de Pares de Dança.

Continua em destaque a participação portuguesa na Taça da Europa 2017, que se realiza em Tomar.

De pequeninos, a ganhar ouro

tomar
Ema Sousa e Diogo Carvalho

Desta feita, foram os Infantis Ema Sousa e Diogo Carvalho os protagonistas, vencendo de forma unânime a prova de Pares de Dança do seu escalão. O par português bateu o par espanhol formado por India Gonzales e Gerardo Berciano.

Hoje decorre o último dia desta que é uma das mais importantes provas do panorama da Patinagem Artística nos escalões de formação.

As provas têm início às 15 horas e acontecem no Pavilhão Municipal de Tomar.

Ema Sousa e Diogo Carvalho

Tomar

Tomar, cidade de 20 000 habitantes, é a capital política da Comunidade Urbana do Médio Tejo e sede de concelho homónimo com 11 freguesias, 352 kms e 40 677 habitantes. Foi sede das Ordens Militares do Templo e de Cristo.

Com mais de 30 mil anos de fixação humana neste território, Tomar foi fundada por D. Gualdim Pais em 1160.
Sede das Ordens do Templo e de Cristo, teve no Infante D. Henrique um dos responsáveis pelo seu crescimento.

A fixação humana deveu-se ao excelente clima, água abundante, fácil comunicação fluvial e excelentes solos. Das sucessivas marcas civilizacionais pré-históricas restam utensílios, grutas, antas, povoados, algumas lápides, moedas, poucas esculturas, peças utilitárias, a lenda de Santa Iria, a toponímia, as rodas de rega e os açudes de estacaria.

Cidade medieval organiza-se em cruz

O plano da cidade medieval organiza-se em cruz com os quatro braços apontando os quatro pontos cardeais marcados pelos quatro conventos da cidade.

O centro, onde se situam a Câmara Municipal e a Igreja Matriz, é a Praça da República, a partir da qual irradiam os principais edifícios públicos e religiosos: a sul, a Sinagoga, o antigo Hospital da Misericórdia, o Convento de S. Francisco e o antigo Rossio da Vila; a norte, a sede da Assembleia Municipal, as capelas de S. Gregório e da Senhora da Piedade e o antigo Convento da Anunciada; a oeste, a colina do Castelo, a Ermida da Senhora da Conceição e o Convento de Cristo; a leste, a Ponte, as antigas Moagens e Moinhos da Vila, o Convento de Santa Iria, a saída para a Igreja de Santa Maria do Olival e zona escolar da cidade, com o Instituto Politécnico a rematar.

Perseguindo esta geometria simbólica, é interessante constatar que, com centro na igreja manuelina, à Praça da República, se gera a circunferência que une a Charola do Convento (oratório templário) aos Conventos da Anunciada, de Santa Iria e de S. Francisco. Eis, assim, o círculo, qual espaço sagrado!, dentro do qual se desenvolveu Tomar.

Ou seja aproveite o evento e visite Tomar.

Parceiros

Deixe uma resposta