Banner superior
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Luís Costa “que nunca por vencidos se conheçam”

Luís Costa (43 anos), paraciclista desde 2013, classe H5

O Praticante teve a oportunidade de falar com Luís Costa (43 anos), paraciclista desde 2013, classe H5 (handbike em posição de joelhos), que representa o Sporting Clube de Portugal. É o atual campeão nacional de estrada e contrarrelógio, atual líder do ranking  mundial da UCI e também líder do ranking da Taça do Mundo.

Luís Costa vai ainda representar pela primeira vez Portugal nos Jogos Paralimpicos, que se realizam este ano.

luis-costa

Luís Costa um desportista desde que se lembra de si

Se pudesse se identificar numa frase qual seria?

– Essa é fácil: “que nunca por vencidos se conheçam”. É um lema dos paraquedistas militares, onde estive 4 anos e meio.

Quando começou a praticar desporto e que modalidades praticou?

– Pratico desporto desde que me lembro de ser gente, mas só competi no atletismo (corridas) no escalão de juvenil, creio que aos 14-15 anos. Depois, daí até aos 30 anos de idade, continuei a fazer corridas diárias só para me manter em forma. No dia em que fiz 30 anos, tive um acidente de viação do qual resultou a amputação de uma perna e então passei a treinar apenas musculação.

Como conseguiu ultrapassar o acidente?

– De uma forma natural. Retomei a atividade física no ginásio no dia seguinte a ter alta do hospital e alguns meses depois regressei ao trabalho. Sem dramas nem traumas.

luis-costa05

Se tivesse a oportunidade de conhecer uma pessoa que estivesse a passar pelo mesmo que passou o que lhe diria?

– Após o meu acidente já conheci várias pessoas que passaram pelo mesmo. O que lhes digo é que a vida continua, só temos que nos adaptar à nossa nova condição física e seguir em frente. Aos que têm condições para isso, digo-lhes logo que o desporto é a melhor maneira de darmos a volta por cima.

Porquê praticar o paraciclismo?

– Por ocasião dos Jogos Paralímpicos de 2012 despertou-me a atenção um dos atletas participantes, o antigo piloto de Fórmula 1 Alex Zanardi, por ser amputado como eu. Vi ali uma alternativa ao ginásio, que já me começava a saturar. Interessei-me, fiz pesquisa e quando dei por isso já tinha adquirido uma handbike. O objetivo inicial era apenas manter a boa forma física, mas a minha companheira desde logo me incentivou a levar isto a sério e tentar a qualificação para os Jogos Paralímpicos de 2016! E assim, apenas 3 meses depois de ter feito a primeira prova em Portugal, já estava a defrontar o Alex Zanardi na Taça do Mundo. Daí para cá a minha presença nas Taças e Campeonato do Mundo tornou-se habitual.

luis-costa03

Foi difícil começar a praticar esta modalidade? Havia muita competição?

– Na verdade foi muito fácil. No início não encontrei muita competição a nível nacional, mas a partir da minha 2ª época virei-me para as competições internacionais.

Após adquirir a handbike, foi só começar a treinar duro e progredir de dia para dia, à medida que o peso corporal diminuía. Inicialmente as dores musculares e a falta de ritmo atrapalham, mas passadas umas semanas tudo se torna mais fácil. Senti depois novas dificuldades ao fim de uns meses, quando tive que mudar de posição de pilotagem, pois comecei por competir inclinado para trás e quando fui avaliado internacionalmente decidiram que a minha classe correta seria a H5, o que me obriga a competir em posição de joelhos, e esta posição é muito dolorosa enquanto os tendões da perna não se adaptam. Foram mais uns meses de sofrimento.

É difícil ter uma bicicleta?

– O preço das handbikes é realmente o maior obstáculo para quem se quer iniciar nesta modalidade. O mercado de usados é pequeno e uma handbike nova com um mínimo de condições para competir custa cerca de 5.500€. E quando queremos melhorar esse equipamento, facilmente gastamos 3.000€ ou mais, basta comprar um conjunto de rodas de carbono, por exemplo. No meu caso, a handbike que possuo atualmente, um protótipo totalmente em carbono, chega a um valor que rondará os 20.000€ com todos os acessórios. Mas isso só se justifica quando se chega ao mais alto nível, claro.

luis-costa01

Qual foi a melhor prenda que a vida lhe deu?

– Sem dúvida nenhuma,  os meus lindos filhos.

Como é ser de Portimão e fazer provas a nível nacional e internacional?

– Sinceramente, a nível nacional não me motiva muito, pela falta de competitividade. Por esse motivo acabo por fazer mais provas internacionais do que nacionais. E nessas provas internacionais sinto muito orgulho em representar a cidade onde vivo e o meu país.

Qual o prémio que mais gostou de vencer? Porquê?

– Todas as vitórias têm o seu valor. Mas é claro que vencer uma prova internacional tem um sabor especial. Já venci por diversas vezes em Abu Dhabi , em Itália, Espanha e República Checa. Mas uma vitória é mais marcante quando subimos ao lugar mais alto do pódio e ouvimos o hino nacional a tocar. Por isso tenho que destacar uma prova que venci este ano em Verolavechia (itália), em que bati ao sprint o campeão italiano e depois tive essa honra, a de ouvir o nosso hino. É um momento que fica para toda a vida.

luis-costa04

História mais engraçada que lhe aconteceu numa prova?

– Recentemente, numa prova da Taça de Portugal, em Águeda, tive que parar numa passadeira para deixar passar uma família que ainda se mostrou muito aborrecida comigo porque eu não lhes queria dar prioridade! Agora quando me recordo esse momento dá-me vontade de rir, mas naquele dia só me deu vontade de abandonar a prova e pedir explicações à organização por não termos condições de segurança para competir.

Quais os sonhos que gostaria de alcançar?

– Sonho com um lugar no pódio nos Jogos Paralímpicos. Vou ter em breve a primeira oportunidade para o tentar concretizar, mas se não o conseguir começo a sonhar com os Jogos seguintes!

luis-costa06

Palmarés

Ano 2013:

A nível nacional:

  • 2º lugar da classificação geral na Taça de Portugal de Paraciclismo (classe H3, atual H4);
  • Campeão Nacional de contrarrelógio (classe H3, atual H4);
  • Campeão Nacional de estrada (classe H4, atual H5);

A nível internacional:

  • 6º lugar na prova de fundo da Taça do Mundo em Segóvia, Espanha (Classe H4, atual H5);
  • 7º lugar no contrarrelógio da Taça do Mundo em Segóvia, Espanha (Classe H4, atual H5);
  • 2º lugar no contrarrelógio da etapa de Barcelona (Espanha) do Circuito Europeu de Handcycling (classe h4, atual H5);
  • 3º lugar na prova de fundo da etapa de Barcelona (Espanha) do Circuito Europeu de
    Handcycling (classe h4, atual H5);

Rankings finais 2013 na geral da classe H4 (atual H5):

  • 7º lugar na geral da Taça do Mundo de Paraciclismo;
  • 12º lugar no ranking mundial da UCI (Union Cycliste International);
  • 4º lugar no ranking da EHF (European Handcycling Federation);

Ano 2014 (classe H5):

A nível nacional:

  • Campeão Nacional de Contrarrelógio em pista (Sangalhos, 08-03-2014);
  • Campeão Nacional de Perseguição em pista (Sangalhos, 08-03-2014 ;
  • 1º lugar na 1ª prova da Taça de Portugal (Gondomar, 25-04-2014);
  • 1º lugar na 2ª prova da Taça de Portugal (Viana do Castelo, 24-05-2014);
  • 1º lugar na 3º prova da Taça de Portugal (Águeda, 10-06-2014);
  • 1º lugar na 4ª prova da Taça de Portugal (Albergaria-a-Velha, 22-06-2014);
  • (Vencedor da geral da classe H5 da Taça de Portugal de Paraciclismo 2014);
  • Campeão Nacional de Contrarrelógio (Setúbal, 29-06-2015);
  • Campeão Nacional de Estrada (Torres Vedras, 12-07-2014);

A nível internacional:

  • 1º lugar no contrarrelógio da 1ª etapa do Campeonato Europeu de Handcycling (Abu Dhabi, 16-03-2014) ;
  • 1º lugar na prova de fundo da 1ª etapa do Campeonato Europeu de Handcycling (Abu Dhabi, 16-03-2014);
  • 1º lugar no contrarrelógio da 2ª etapa do Campeonato Europeu de Handcycling (Barcelona, 12-04-2014) ;
  • 1º lugar na prova de fundo da 2ª etapa do Campeonato Europeu de Handcycling (Barcelona, 13-04-2014);
  • 6º lugar na prova de fundo da Taça do Mundo de Paraciclismo em Itália (Castiglione della Pescaia, 09-05-2014,);
  • 5º lugar no contrarrelógio da Taça do Mundo de Paraciclismo em Itália (Castiglione della Pescaia, 10-05-2014) ;
  • 1º lugar na prova de fundo do XVIII Paracycling Bizkaiko Bira (Bilbao, Espanha, 05-07- 2014;
  • 1º lugar no contrarrelógio do XVIII Paracycling Bizkaiko Bira, (Bilbao, Espanha, 06-07- 2014;
  • 6º lugar no contrarrelógio da Taça do Mundo de Paraciclismo em Espanha (Segóvia, 26-07-2014);
  • 5º lugar na prova de fundo da Taça do Mundo de Paraciclismo em Espanha (Segóvia, 26-07-2014);
  • 7º lugar no contrarrelógio do Campeonato do Mundo de Paraciclismo (Greenville SC, EUA, 29-08-2014);
  • 9º lugar na prova de fundo do Campeonato do Mundo de Paraciclismo, (Greenville SC, EUA, 01-09-2014);
  • 1º lugar no contrarrelógio da 7ª etapa do Campeonato Europeu de Handcycling (Fossano, Itália, 19-09-2014);
  • 1º lugar na prova de fundo da 7ª etapa do Campeonato Europeu de Handcycling (Fossano, Itália, 19-09-2014);

Rankings finais 2014 na geral da classe H5:

  • 5º lugar final no ranking mundial da UCI (Union Cycliste International);
  • 5º lugar final na geral da Taça do Mundo de Paraciclismo da UCI;
  • 2º lugar final na geral do Campeonato Europeu de Handcycling da EHF (European Handcycling Federation);

Ano 2015

A nível nacional:

  • 1º lugar na 1ª prova da Taça de Portugal (Gondomar, 25-04-2015);
  • 1º lugar na 2ª prova da Taça de Portugal (Albergaria-a-Velha, 17-05-2014);
  • 1º lugar na 3ª prova da Taça de Portugal (Viana do Castelo, 31-05-2014);
  • Campeão Nacional de Contrarrelógio (Palmela, 28-06-2015);
  • 1º lugar na 4ª prova da Taça de Portugal (Torres Vedras, 10-07-2014);
  • (* vencedor da classificação geral da Taça de Portugal);
  • Campeão Nacional de Estrada (Almeirim, 26-07-2015);

A nível internacional:

  • 1º lugar no contrarrelógio da 1ª etapa do Campeonato Europeu de Handcycling (Abu Dhabi, 22-03-2015) ;
  • 1º lugar na prova de fundo da 1ª etapa do Campeonato Europeu de Handcycling (Abu Dhabi, 22-03-2015);
  • 3º lugar na prova de fundo da “Brixia Paracyclig Cup” (Bréscia, Itália, 1 a 03-05- 2015) ;
  • 3º lugar na prova de contrarrelógio da “Brixia Paracyclig Cup” (Bréscia, Itália, 1 a 03-05-2015) ;
  • 8º lugar na prova de contrarrelógio da Taça do Mundo de Paraciclismo em Itália (Maniago, 05-06-2015);
  • 7º lugar na prova de fundo da Taça do Mundo de Paraciclismo em Itália (Maniago, 06-06-2015);
  • 6º lugar na prova de contrarrelógio da Taça do Mundo de Paraciclismo na Suiça (Yverdon-les-bains, 14-06-2015);
  • 5º lugar na prova de fundo da Taça do Mundo de Paraciclismo na Suiça (Yverdon-les-bains, 15-06-2015);
  • 1º lugar no contrarrelógio do XIX Paracycling Bizkaiko Bira, (Bilbao, Espanha, 18-07- 2015) * também vencedor da classificação geral;
  • 1º lugar na prova de fundo do XIX Paracycling Bizkaiko Bira (Bilbao, Espanha, 19-07- 2014) * também vencedor da classificação geral do evento;
  • 7º lugar no contrarrelógio do Campeonato do Mundo de Paraciclismo (Nottwil, Suíça, 31-07-2015);
  • 8º lugar na prova de fundo do Campeonato do Mundo de Paraciclismo, (Nottwil, Suíça, 02-08-2015);
  • 1º lugar no GP Handbike Skoda (Jerez de la Frontera, Espanha, 05-09-2015);
  • 1º lugar na prova de contrarrelógio do Para-cycling European Cup Prague (Praga, Rep. Checa, 26-09-2015);
  • 1º lugar na prova de fundo do Para-cycling European Cup Prague (Praga, Rep. Checa, 27-09-2015);
  • 1º lugar no XI Criterium Internacional Ciutat de la Vall D’Uixó – (Vall D’Uixó Valência, Espanha, 15-11-2015;

Rankings 2015 da classe H5:

  • 7º lugar final no ranking mundial de paraciclismo da UCI;
  • 9º lugar final na geral da Taça do Mundo de Paraciclismo da UCI;
  • 2º lugar na geral do Circuito Europeu de Handcycling da EHF (European
    Handcycling Federation) – * Participei apenas em 2 dos 12 eventos;

Ano 2016

A nível nacional:

  • 1º lugar na 1ª prova da Taça de Portugal (Santa Maria da Feira, 10-04-2016);
  • 1º lugar na 3ª prova da Taça de Portugal (Viana do Castelo, 29-05-2016);
  • 1º lugar na 4ª prova da Taça de Portugal (Águeda, 12-06-2016);
  • 1º lugar no “1º Prémio de Paraciclismo CAR” (Montemor-o-Velho, 25-06-2016);
  • 1º lugar no Campeonato Nacional CRI Paraciclismo (Palmela, 02-07-2016)
  • 1º lugar no Campeonato Nacional de Estrada (Almeirim, 10-07-2016)

A nível internacional:

  • 1º lugar no contrarrelógio da 1ª etapa do Campeonato Europeu de Handcycling (Abu Dhabi, 20-03-2016) ;
  • 1º lugar na prova de fundo da 1ª etapa do Campeonato Europeu de Handcycling (Abu Dhabi, 20-03-2016);
  • 1º lugar na prova de contrarrelógio da “Verola Paracyclig Cup” (Verolavechia, Itália, 23-04-2016) ;
  • 1º lugar na prova de fundo da “Verola Paracyclig Cup” (Verolanuova, Itália, 24-04-2016) ;
  • 3º lugar na prova de contrarrelógio da “Brixia Paracyclig Cup” (Bréscia, Itália, 30-04-2016) ;
  • 2º lugar na prova de fundo da “Brixia Paracyclig Cup” (Bréscia, Itália, 01-05-2016) ;
  • 2º lugar na prova de contrarrelógio da Taça do Mundo de Paraciclismo em Pietermaritzburg (Africa do Sul, 07-05-2016);
  • 2º lugar na prova de fundo da Taça do Mundo de Paraciclismo em Pietermaritzburg (Africa do Sul, 08-05-2016);
  • 8º lugar na prova de contrarrelógio da Taça do Mundo de Paraciclismo em Oostende (Bélgica, 20-05-2016);
  • 7º lugar na prova de fundo da Taça do Mundo de Paraciclismo em Oostende (Bélgica, 21-05-2016);

Texto / Fotos : Miguel Silva

Sobre o Autor

Artigos relacionados

4 Comentários

  1. Pingback: Campeonato Nacional Contra-Relógio em Palmela - Opraticante

  2. Pingback: Luís Costa procura vencer a Taça do Mundo - Opraticante

  3. Pingback: Luis Costa nº1 do Ranking Mundial pelo terceiro mês consecutivo - Opraticante

  4. Pingback: Paraciclista Luís Costa "Querer é poder" - Opraticante

Deixe uma Resposta