Banner superior
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

As Rotas Miticas do Geo Tour Aldeias do Xisto

Ao idealizar o por onde começar este artigo e o receio de esquecer algum ponto, alguma memória, alguma passagem, alguma sensação, enfim… é um artigo onde tentarei espelhar e demonstrar tudo o que foi o “ Geo Tour Aldeias do Xisto – Rotas Míticas 2018 ” e perdoem-me se de algo me esquecer.

Começando no pré evento e recuando no tempo até ao momento chave que identifico como o dia de abertura das inscrições, ou será melhor dizer antes o minuto, o segundo?!?!?!

Sim… quem conseguiu a tão ambicionada inscrição certamente deu pulos de alegria, já no sentido oposto… quem não a conseguiu… saberia infelizmente o que iria perder.

Geo Tour Aldeias do Xisto – Rotas Miticas 2018

Evento que de ano para ano toma contornos mais espetaculares, que levam, como já referido a que num ápice de segundos a que as cerca de 300 inscrições esgotem, a que os participantes em edições anteriores voltem, incentivem amigos a participar, a trazerem suas famílias, enfim, a serem felizes.

Olhando assim a olho nu à lista de inscritos, podíamos desde logo ver que neste evento do Geo Tour Aldeias Xisto se juntariam profissionais do ciclismo, Ex profissionais como o caso do Vítor Gamito, atletas olímpicos com a presença do David Rosa, atletas conceituados no mundo do BTT a exemplo do José Silva e Marco Macedo, a amantes deste desporto que vêem no Geotour um desafio, mais que isso, um superar as suas superações, a serem felizes.

E de repente chega o dia tão esperado de todos…

Fundão, 17 de fevereiro de 2018, dia soalheiro tal foi o interesse de São Pedro em ajudar e apoiar neste evento os participantes que teriam pela frente dois dias de BTT no seu estado natural e puro… mas duro… mas é disso que o povo gosta!

Continuando, Fundão foi o local escolhido para acolher o inicio do Geo Tour Aldeias Xisto 2018, cidade portuguesa pertencente ao distrito de Castelo Branco, na província da Beira Baixa.

Toda a logística do primeiro dia estava montada no Pavilhão Multiusos do Fundão, ou seja, partida, levantamento de kits de participante, transporte de bagagens para o local de final de primeira etapa, todo um conjunto de animação sem a qual nenhuma prova se realizaria.

Muito Staff de apoio à organização e participantes, não deixaram em momento algum de ajudar e apoiar no que lhes era solicitado por todos os intervenientes.

Fundão

A cidade é um centro local importante de comércio, serviços e indústria. O concelho compreende parte das terras mais férteis da região, o grande vale da Cova da Beira, onde passa o Rio Zêzere e as suas numerosas ribeiras afluentes.

Existem minas de volfrâmio, na Panasqueira (pertencentes ao concelho da Covilhã), mas as suas gentes também faziam vida no Fundão (Silvares) sendo que o percurso traçado do Geo Tour Aldeias Xisto passou no local, de entre as mais importantes do seu tipo do mundo, também de chumbo e estanho. Existem quantidades de prata e ouro. A sua água mineral é das mais vendidas em Portugal.

1ª etapa – 83km com 2100d+ aguardavam os participantes

Como “ementa” para esta 1ª Etapa em linha, uma das inovações relativamente aos anos transatos, a organização do Geotour a cargo do BTT Gardunha ligou Fundão à Pampilhosa da Serra numa extensão de 83km com 2100d+.

Sendo que muitos dos participantes tiveram de viajar de madrugada para o Fundão, muito boa ideia da organização apontar a partida desta 1ª Etapa para as 10h30 o que permitia um pouco mais de descanso por parte de todos.

A partida foi dada e os participantes circularam pelas ruas do Fundão no seguimento do veiculo da GNR que seguiu na frente em direção aos trilhos e aí sim foi dado inicio aquele que seria o inicio de um fim de semana memorável.

 

Após a saída do Fundão, foram percorridos diversos locais como a passagem obrigatória pelo Cabeço do Pião, percorrendo um dos mais belos trilhos do país, o single-track que liga este local à Aldeia do Xisto da Barroca do Zêzere, assim como a já enunciada passagem pelas Minas da Panasqueira que apresentaram aos participantes toda a espetacularidade da orografia natural e artificial que existe na região.

 

Foi possível também percorrer uma das partes mais bonitas da grande Rota do Zêzere, e ainda o mais famoso single-track da Pampilhosa da Serra com uma extensão de 6 km e que foi um dos grandes pontos de interesse deste ano após a decisão correta da organização em terminar a prova cronometrada ao km 77 ,permitindo que os participantes pudessem desfrutar de tal maravilhoso trilho, ainda que tal como em muitos dos locais que se passou a devastação dos últimos incêndios tenha tornado o cenário muito, mas mesmo muito…desolador!

 

 

Quartel dos Bombeiros da Pampilhosa da Serra centro operacional da 1ª etapa

No final da 1ªetapa, a qual se encontrava instalada na rua do Quartel dos Bombeiros da Pampilhosa da Serra, os participantes puderam tomar uma refeição preparada pela organização, assim como uma massagem, banho quente, local de lavagem das bicicletas ou lavagem pela Garbike a quem adquiriu tal kit, colocando de seguida as bicicletas a “descansar” no Quartel dos Bombeiros, onde se salienta a segurança montada em prol dos pertences dos participantes neste caso as bicicletas.

Após a 1ª Etapa, foram coroados vencedores do dia os seguintes atletas:

Solo Elite – Bruno Rosa – Vasconha BTT Vouzela
Solo Master – Vitor Gamito – Team Gold Nutrition / Scott
Solo Elite – Flávia Lopes – Vasconha BTT Vouzela
Dupla Elite – Tiago Loes / Miguel Machado – Vasconha BTT Vouzela
Dupla Elite Mista – Paulo Neves / Patricia Neves – Portugal Team P&P
Dupla Master – Hélio Videira / Bruno Rodrigues – ASFIC – DINAZOO
Dupla Master Mista – Margarida Gomes / Mário Santos – Transfor – Fatima BTT

Os Participantes de acordo com o Pack adquirido, pernoitaram na Pampilhosa da Serra, sendo que no período que distou entre o final da etapa e o jantar, as ruas da vila tomaram um movimento bonito de se ver sendo este ainda um momento de convívio entre todos os participantes que trocaram ideias e experiências acerca do Geo Tour assim como de outros assuntos relacionados com o ciclismo, sendo que decorria em Portugal a Volta ao Algarve com a nata do ciclismo mundial o que nos enche de orgulho de ver nas estradas em Portugal, no caso do Algarve, a serem percorridas por tal constelação de estrelas… mas na Pampilhosa as estrelas fomos todos nós tal a dureza deste primeiro dia.

O jantar, diga-se de passagem Excelente, foi servido nas instalações da Santa Casa da Misericórdia, e nem o efeito “discoteca” do vaivém da luz fez com que os participantes mudassem a ideia da organização que tinham à sua frente.

2ª Etapa adivinhava-se durinha

Toca então a descansar que a 2ª Etapa estava aí à porta e adivinhava-se durinha, tal o gráfico que a todos foi apresentado.

Cedo, cerca das 6h30, começou a normal azáfama criada por tal evento pelas ruas da Pampilhosa da Serra, em especial junto ao Quartel dos Bombeiros local onde foi servido o pequeno almoço aos participantes.

Toca a levantar as bicicletas do local onde ficaram parqueadas, carregar as malas nas carrinhas para o efeito disponibilizadas pela organização, últimos retoques nas bicicletas, equipamentos, enfim… o normal destas andanças.

A partida desta 2ª Etapa estava marcada para as 8h30 sendo que momentos antes os participantes fizeram o Controlo Zero e posicionaram-se na linha de partida.

Um especial e importante apontamento à alocução feita pelo Vítor Gamito antes da partida, que apontou o lixo que os participantes deixaram pelos trilhos dizendo alto e bom som que “fico contente de saber que consomem a minha marca, mas publicidade dessa não quero”, palavras simples mas de grande sentido e que peço que todos nós façamos uma breve Introspeção a atitudes destas, pois se trazemos barras, géis e afins no bolso, porque não levamos de volta o pacote vazio que pesa muito menos e ocupa muito menos espaço? Pensemos…

Tal como no primeiro dia o sol brilhou e nem mesmo os 3ºC aquela hora “gelaram” a vontade dos participantes em enfrentar mais um dia duro pelos trilhos e caminhos que os levariam da Pampilhosa da Serra ao Fundão num trajeto de 77km com 2500d+…coisa pouca.

Depois sim… foi subir a serra durante cerca de 8km

A segunda etapa como já referido, saiu da Pampilhosa da Serra subindo de imediato e durante cerca de 5km em direção a Cabril, seguindo-se de imediato os fantásticos trilhos da Barragem de Santa Luzia em direção a Unhais-o-Velho, depois, e depois sim… foi subir a serra durante cerca de 8km em direção ao ponto mais alto do Geo Tour a cerca de 1000 metros de altitude sempre acompanhados de paisagens magníficas sobre toda a zona das Minas da Panasqueira, local de passagem no primeiro dia, e a alucinante descida em direção aos single-tracks da Aldeia de S. Francisco de Assis que também já se tornaram obrigatórios na prova e que levaram os participantes mais audazes a rolar a altas velocidades, sempre com consciência da perigosidade de tal descida. Nova descida de encontro ao rio Zêzere e regresso ao Fundão.

Nunca é demais apontar a segurança na qual a organização apostou, mesmo sendo esta prova, uma prova sem marcações e guiada por GPS, o que foi de todo um útil e essencial apoio aos participantes que assim pedalaram em maior segurança e os próprios automobilistas com tal alerta tomavam uma atitude de respeito mutuo o que nos tempos que correm é salutar e essencial na partilha das vias de circulação por bicicletas e carros.

Voltar ao ponto de partida

Chegada ao Fundão, ao local de onde os participantes haviam partido no dia anterior, com o ponto de logística a ser novamente montado no Pavilhão Multiusos à exceção dos banhos que foram em primeira instância no Pavilhão Desportivo, sendo que aqui seria anotado um ponto negativo à organização devido à falta de água quente no local, mas devido à imediata preocupação e solução apresentada após tomarem conhecimento de tal situação, os participantes que assim o desejaram foram encaminhados para os balneários das Piscinas Municipais…

Aqui se pode notar o profissionalismo com que o BTT Gardunha encara tal evento, que tal como já por ai foi possível ler em comentários de participantes, não estão no BTT para ganhar dinheiro mas sim para proporcionar aos participantes um memorável e excelente fim de semana e não é qualquer pequeno contratempo que os fará “deitar a toalha ao chão”, o que me deixa na obrigação e prazer de dizer OBRIGADO PELO QUE FAZEM PELO BTT.

Após a chegada, novamente uma refeição volante junto à meta, seguindo-se o almoço no interior do Pavilhão Multiusos assim como a entrega dos prémios em disputa das diversas categorias em prova.

Os vencedores

Após as duas etapas, a classificação final do Geo Tour Aldeias do Xisto – Rotas Míticas 2018 manteve-se inalterável sendo os vencedores finais os vencedores da 1ª Etapa a lembrar:

Solo Elite – Bruno RosaVasconha BTT Vouzela
Solo Master – Vitor Gamito – Team Gold Nutrition / Scott
Solo Elite – Flávia Lopes – Vasconha BTT Vouzela
Dupla Elite – Tiago Lopes / Miguel Machado – Vasconha BTT Vouzela
Dupla Elite Mista – Paulo Neves / Patrícia Neves – Portugal Team P&P
Dupla Master – Hélio Videira / Bruno RodriguesASFIC – DINAZOO
Dupla Master Mista – Margarida Gomes / Mário SantosTransfor – Fatima BTT

A Dupla Ricardo Saraiva / Vasco Monteiro de OPraticante.pt terminou o Geo Tour na 15ª Posição no escalão Dupla Elite.

Vasco Monteiro e Ricardo Saraiva de OPraticante.pt

Todos os intervenientes no evento estão de parabéns sejam eles organização, staff, entidades colaboradoras e participantes, pois sem um esforço conjunto o Geo Tour Aldeias Xisto edição 2018 não seria o mesmo.

Evento no facebook.

Fica já no ar a edição 2019, sendo que os participantes certamente já a terão inscrito nas provas a repetir… conseguirão ter rapidez suficiente para “apanha” inscrição?

Dentro de um ano veremos que são os felizes contemplados.

Um bem haja a todos.

Texto: Ricardo Saraiva
Fotos: Filipe Roberto / Paula Silva / Ricardo Miguel

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta