Banner superior
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

EPIC TRAIL RUN AZORES – Um trail “Épico”

No passado dia 2 de dezembro realizou-se o Epic Trail Run Azores na ilha de São Miguel. Esta prova assinala a 3ª edição e foi organizada pelo Clube Desportivo Os Metralhas, Associação Portas do Mar e Clube Açoreano de Todo o Terreno e Turismo.

O Epic Trail Run Azores teve um cariz épico não só pelas diferentes distâncias que apresentou mas também porque foi a prova escolhida para a final da taça Lacatoni da ATRP.

A prova contou com várias distâncias de trail que atravessaram Ponta Delgada, Ribeira Grande, Lagoa, Vila Franca do Campo e Povoação e contou com cerca de 550 atletas.

Diferentes distâncias atravessaram a Ilha

Os primeiros atletas do Epic Trail Run Azores a descobrirem a ilha foram os guerreiros do EPIC100 e do EPIC50X2 que pela meia noite do dia 1 de dezembro partiram junto às margens da Lagoa das Sete Cidades, uma das sete maravilhas de Portugal, e percorreram praticamente toda a ilha no seu comprimento. Já o sol brilhava quando a segunda partida aconteceu na praia Água d’Alto.

Momentos antes da partida do EPIC40 ATRP

Eram nove horas e os melhores atletas do trail nacional estavam na linha da partida para disputarem o EPIC40 ATRP. Aqui seria decidido o campeão e a campeã da taça de Portugal. Passados 15 minutos foi a vez de partirem todos os outros atletas inscritos no EPIC40 OPEN. E para terminar o lote de partidas, saíram do Parque de Campismo das Furnas às 10h30 locais os atletas do EPIC15.

Taça Lacatoni no Epic Trail Run Azores

Nesta prova EPIC40 ATRP estavam os melhores dos melhores atletas do trail running nacional. Durante o ano foram disputados vários campeonatos quer nacionais, quer regionais. Para disputarem a Taça Lacatoni, a ATRP selecionou os cinco melhores atletas do campeonato nacional de trail, de ultra trail e de endurance, bem como os dez primeiros atletas da zona Norte, Centro, Sul, Madeira e Açores.

O Epic Trail Run Azores encerrava uma época desportiva em que a ambição, motivação e trabalho diário dos atletas tinha sido desenvolvido com o objetivo de ser apurado para disputar a Taça Lacatoni.

Epic Trail
Partida dos atletas do EPIC40 ATRP

A ATRP premiou e muito bem os melhores ficando responsável pela inscrição dos atletas na prova, pelo alojamento e pelo seu deslocamento até São Miguel. Apesar de ser uma logística de grandes dimensões e trabalhosa, a associação concretizou algo inédito levando cerca de 80 atletas até São Miguel para disputarem a Taça num dos sítios mais belos de Portugal para a prática do trail running.

A partida épica

Um pouco antes das 9 horas locais já se reuniam os atletas junto da partida na praia de Água d’Alto. Os autocarros responsáveis pelo transporte dos atletas iam chegando com algum atraso. A temperatura amena e o verde tão caraterístico da ilha convidava qualquer um a correr naquela manhã de sábado. Alguns atletas puderam levantar um GPS que permitiu a organização acompanhar online a progressão dos atletas durante a prova.

O verde caraterístico da ilha

O Epic Trail Run Azores é uma prova diferente pela qualidade dos atletas e pelo que ela representava. Raras são as vezes que os melhores atletas do trail running correm todos juntos numa só prova. Mas ali estavam todos numa grande festa do desporto. Corria pelas veias a adrenalina misturada com muitas expectativas inerentes à competição.

Tiro de partida e encantas-te logo pela Ilha

Contagem decrescente e ouve-se o tiro de partida. Começas logo a subir e descobres um single track de uma beleza rara com uma vegetação muito verde e muito própria da ilha. As escadas escorregadias fazem-te agarrar bem o chão e a humidade no ar relembra-te que estás em São Miguel. Foi quase sempre a subir até ao primeiro abastecimento. Pelo meio percorremos um single track junto a uma levada onde foi possível rolar bem ao som da água que corria a fazer-nos companhia.

Ricardo Gouveia (ADRAP) na subida inicial

Vento e nevoeiro saudaram os atletas nos pontos mais altos

Depois do primeiro abastecimento a humidade e o calor deu lugar ao vento e ao nevoeiro que não deixou os atletas deslumbrarem-se com a vista da Lagoa do Fogo. Sabíamos que estávamos a contorna-la. Sabíamos que uns metros ao lado tínhamos o abismo. Mas apenas rasgávamos o trilho seguindo as fitas e os atletas da frente.

Depois de chegar a este ponto alto entramos num percurso completamente diferente. Muitos quilómetros bastante rolantes no meio de pastagens verdejantes, percorrendo vacarias e fugindo por vezes de manadas de vacas que achavam estranho ver o seu habitat natural invadido por tantas pessoas! Períodos muito rolantes eram travados por fases de desespero para os atletas que se atolavam na lama típica das vacarias misturada com a chuva que tinha caído nos últimos dias.

Encontramos mais um abastecimento e mais um ponto de controlo. Neste aspeto a organização foi exemplar. Os abastecimentos apresentavam muitas pessoas da organização e com tudo o que é necessário para repor energias e ao mesmo tempo controlavam o material que tinham exigido no seu regulamento.

Deixamos para trás 30 km, levávamos agora já algum cansaço mas uma vontade enorme de terminar esta prova épica. Mais quilómetros se seguiram até que cruzámos com o estradão que circundava a Lagoa das Furnas. Sabíamos que estávamos próximos do fim. Mas era uma falsa verdade. O relógio dizia que ainda faltavam alguns quilómetros para percorrer. No último abastecimento já se ouvia sons da meta, mas as fitas sinalizadoras ainda nos mandavam subir.

Teste à resistência física e à resiliência mental dos atletas

Esta última subida era o teste à resistência física e à resiliência mental dos atletas. Íngreme, com escadas e raízes a tornar a progressão vagarosa apenas a beleza do percurso dava ânimo. Os minutos a subir foram uma eternidade no cansaço e desgaste do corpo. Mas quando chegámos ao planalto podemos ter uma vista privilegiada sobre a Lagoa das Furnas.

Voltamos a descer, agora com a certeza de que a meta estava realmente próxima. A descida muito técnica exigia toda a atenção, já ouvíamos bem o locutor e por isso deixámos as últimas energias nessa descida.

Mário Elson a terminar o EPIC100

Meta na Lagoa das Furnas

A última seta do percurso manda-nos para os passadiços das Furnas onde a meta nos espera. De mãos dadas com o espírito do trail cruzamos a meta do Epic Trail Run Azores!

Maria Areias e Sofia Roquete a cruzarem a meta

À nossa espera temos dois pórticos, a medalha finisher e uma enorme tenda improvisada onde nos alimentamos e onde encontramos os nossos sacos para ir aos banhos disponibilizados pela organização.

A alegria de ser finisher

Pódio da Taça antecipado

Por motivos logísticos inerentes ao voo de regresso, o pódio da Taça Lacatoni foi realizado na meta assim que chegaram os três primeiros atletas masculinos e femininos da distância.

Pódio masculino do EPIC40 ATRP

Os restantes pódios realizaram-se no dia 3 de dezembro pelas 11 horas locais nas Portas do Mar havendo lugar a um cocktail de encerramento.

Os melhores guerreiros dos EPIC100 foram:

Masculinos
Mário Elson (Dr. Merino/4Moove) 12:47:13
Carlos Ferreira (Dr. Merino/4Moove) 12:53:42
Nuno Rocha (Natural Force) 13:04:40

Femininos
Tuxa Negri (Ginásio Qtª Do Valbom – Aaalcochete) 17:26:49
2ª Ana Bernardo (Pupilos Trail Team) 17:31:28
3ª Ana Duarte (Falcões Selvagens) 19:23:02

Coletivamente ganhou a equipa Morcegos Trail com 38 pontos.

Os vencedores do EPIC50X2 foram:

1ª dupla: Sérgio Duarte / Inuo Melo (Dr. Merino/4Moove) 13:05:16
2ª dupla: Rui Melo / Anabela Cura (Atlético Desportivo De São Pedro) 17:06:05
3ª dupla: João Monteiro / Orlando Guerreiro (Prazer Em Correr – Ilha Terceira) 18:37:17

Os campeões da Taça Lacatoni foram:

Masculinos
Luís Semedo (ACPortalegre/UTSM) 03:51:05
Paulo Oliveira (Oralklass – Amigos Do Trail) 03:53:22
Flávio Remesso (ADRAP) 03:56:59

Femininos
Mary Vieira (Dr. Merino/4Moove) 04:44:25
Sofia Roquete (AMCF – Arrábida Trail Team) e Maria Areias (Oralklass – Amigos Do Trail) 04:56:39

Coletivamente ganhou a equipa Caracol Trail Team com 46 pontos.

Os vencedores do EPIC40 OPEN foram:

Masculinos
Roberto Leonardo (Bombeiros Voluntários De Santa Maria) 04:08:41
2º Celso Andrade (ADRAP) 04:18:25
José Freitas (ACD Jardim Da Serra) 04:25:47

Femininos
1ª Maria Silva (Atlético Desportivo De São Pedro) 05:36:58
Tânia Salgado (Minho Aventura) 06:02:46
Paula Penedo (Individual) 06:27:10

Coletivamente ganhou a equipa Clube Futebol Guadiana com 45 pontos.

Os vencedores do EPIC15 foram:

Masculinos
Rui Rodrigues (Go!Runners) 01:21:20
2º António Amaral (Individual) 01:22:38
3º Paulo Miranda (Individual) 01:23:55

Femininos
1ª Jéssica Andrade (Individual) 01:45:56
Goreti Sousa (Profisio Team) 01:48:13
Sandra Leite (Profisio Team) 01:56:53

Coletivamente ganhou a equipa Big Team com 44 pontos

Oralklass-Amigos Do Trail gravou o seu nome nos Açores

Os atletas da Oralklass-Amigos do Trail ao longo deste campeonato correram com os melhores, sofreram com os melhores, lutaram pelas medalhas com os melhores e no final, feitas as contas, ficaram mesmo entre os melhores.

Apurados para esta final da Taça Lacatoni ficaram os seguintes atletas: António Braziela (campeão da zona Norte), Nuno Alves (4º classificado do campeonato zona Norte) e Paulo Conde (5º classificado do campeonato zona Norte).
No setor feminino foram apuradas as seguintes atletas: Maria Gonçalves (8º classificada no campeonato nacional de trail) , Rita Loureiro (3º classificada do campeonato zona Norte) , Nádia Casteleiro (vice-campeã nacional de trail), Maria Areias (campeã nacional de trail) e Daniela Russo (campeã da zona Centro).

Equipa alcança duas taças!

Da comitiva azul e branca no Epic Trail Run Azores, o primeiro homem a cruzar a meta foi o Paulo Conde em 03:53:22 sendo o segundo homem mais rápido da prova. António Braziela alcançou o 16º lugar terminando a prova em 04:19:02. Nuno Alves fechou a equipa masculina no honroso 37º lugar.
As meninas mostraram a sua raça e alcançaram igualmente grandes prestações.

Maria Areias arrecadou o segundo lugar cruzando a meta em 04:56:39. O mesmo tempo que a atleta Sófia Roquete. Daniela Russo viria logo a seguir ficando num excelente quarto lugar. Rita Loureiro cruzou a meta em 8º lugar com o tempo 05:17:24 e Nádia Casteleiro chegou pouco depois classificando-se em 9º lugar. Maria Gonçalves, ainda pouco adaptada a grandes distâncias, terminou esta prova épica num excelente 25º lugar finalizando assim a equipa. Coletivamente a equipa foi ao terceiro lugar do pódio com 54 pontos.

Pódio coletivo do EPIC40 ATRP

Cansados, de sorriso no rosto, muito felizes e com duas taças.

Foi assim que a equipa regressou ao continente, terminando da melhor forma esta época desportiva cheia de conquistas.

Parabéns a todos!

Mais eventos de Os Metralhas

Texto: Maria Areias
Fotos: Cedidas pela organização e por Viseu Running Team

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta