Banner superior
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Fuga dá etapa a Rafael Lourenço e amarela a Nuno Meireles

Rafael Lourenço (Liberty Seguros-Carglass) venceu hoje a segunda etapa do 28.º Grande Prémio Jornal de Notícias, uma ligação de 127,5 quilómetros, entre Viana do Castelo e Monção, que levou Nuno Meireles (Miranda-Mortágua) ao topo da classificação geral individual.

Rafael Lourenço

Primeira vitória como profissional de Rafael Lourenço

A história da corrida começou a escrever-se pela iniciativa de oito homens, que partiram do pelotão com apenas 9 quilómetros percorridos.

Guillaume Almeida e António Monteiro (Fortunna/Maia), Paulo Silva (LA Alumínios), Rafael Lourenço (Liberty Seguros-Carglass), Óscar Malatsetxebarria (Massi-Kuwait), Nuno Meireles e José Sousa (Miranda-Mortágua) e Daniel Silva (Rádio Popular-Boavista) aproveitaram a apatia do pelotão para construir uma vantagem superior a 8 minutos.

Uma margem tão larga, ainda que encurtada pela perseguição do Sporting-Tavira e da Efapel, foi suficiente para que os mais fortes dos fugitivos pudessem discutir entre eles a etapa.

Na última subida da etapa, a cerca de 20 quilómetros do fim, apenas Guillaume Almeida e Daniel Silva estavam em cabeça de corrida, mas os quilómetros seguintes permitiram juntar seis homens na dianteira.

Rafael Lourenço

Foi entre o sexteto que se decidiu a etapa

Rafael Lourenço atacou de longe e entrou sozinho nos derradeiros 200 metros, sinuosos e técnicos. Pedalou com garra no empedrado, a subir, de aproximação à meta e ergueu os braços para comemorar a primeira vitória como profissional.

Rafael Lourenço concluiu a etapa com 3h08m05s, menos 2 segundos do que os perseguidores mais diretos. Guillaume Almeida foi o segundo classificado e Daniel Silva o terceiro.

Sabe muito bem ganhar, ainda que tenha sido uma surpresa para mim, porque não fazia ideia que a fuga poderia chegar.
Ainda ontem tive um péssimo dia e cheguei a falar em desistir.
Esta vitória vem dar outra confiança para o futuro”, disse Rafael Lourenço, rodeado pelos companheiros de equipa, que festejaram o triunfo em coletivo, depois da linha de meta.

Nuno Meireles

Nuno Meireles beneficia da bonificação e obtêm amarela

Nuno Meireles cortou a meta na quarta posição, beneficiando dos 5 segundos de bonificação que amealhou nas duas metas volantes para chegar à camisola amarela. Tem 1 segundo de vantagem sobre Daniel Silva e 41 segundos de margem para o anterior comandante, Rafael Silva (Efapel).

No meio das emoções, Nuno Meireles falava aos jornalistas em algo que julgava “impossível há algum tempo atrás e em que não acreditaria.
Ainda não estou completamente em mim”.

Equipa da Miranda Mortágua felicitando o companheiro

Para o ciclista da Miranda-Mortágua, “é fantástico chegar a esta Camisola Amarela.
Vem compensar o esforço e o trabalho de todos os dias.
Mas só a vesti graças ao ótimo grupo que temos. O ciclismo é o trabalho em equipa e sem eles não teria sido possível.
Devo esta alegria também ao staff e em especial ao chefe Pedro Silva, que nunca deixou de acreditar em mim e que tem sido incansável connosco.
O ciclismo tem destas coisas e agora é desfrutar deste sonho e pensar nas etapas seguintes”, terminou, visivelmente emocionado, tentando segurar as lágrimas de felicidade.

Pódio da etapa

Restantes camisolas

Além da etapa e da geral individual, a fuga de hoje determinou a liderança da classificação por pontos, em posse de Rafael Lourenço, da montanha, cujo primeiro lugar foi reforçado por Guillaume Almeida, e das metas volantes, comandada por Nuno Meireles.

Paulo Silva (LA Alumínios) foi o mais combativo do dia.

Daniel Silva (Sicasal/Constantinos/Delta Cafés) é o melhor sub-23 das equipas de clube.

A Miranda-Mortágua está no topo da classificação por equipas.

Nesta quarta-feira o pelotão vai acordar cedo e terminar tarde a jornada de trabalho, tudo porque terá pela frente uma etapa em dois setores.

Às 8h30 a caravana sai de Monção para cumprir 78 quilómetros até Viana do Castelo, onde deverá chegar cerca das 10h50.

A partir das 16h00 corre-se um contrarrelógio individual de 9,5 quilómetros, em Barcelos.

As primeiras grandes definições na luta pela camisola amarela devem surgir neste exercício individual.

Classificações

2.ª Etapa: Viana do Castelo – Monção, 127,5 km

1.º Rafael Lourenço (Liberty Seguros-Carglass), 3h08m05s (Média: 40,673 km/h)
2.º Guillaume Almeida (Fortunna/Maia), a 2s
3.º Daniel Silva (Rádio Popular-Boavista), mt
4.º Nuno Meireles (Miranda-Mortágua), mt
5.º Paulo Silva (LA Alumínios), mt
6.º José Sousa (Miranda-Mortágua), a 6s
7.º Luís Mendonça (Aviludo-Louletano-Uli), a 48s
8.º João Matias (Vito-Feirense-BlackJack), mt
9.º Luís Gomes (Rádio Popular-Boavista), mt
10.º Leonel Coutinho (Vito-Feirense-BlackJack), mt

Geral Individual

1.º Nuno Meireles (Miranda-Mortágua), 6h23m39s
2.º Daniel Silva (Rádio Popular-Boavista), a 1s
3.º Rafael Silva (Efapel), a 41s
4.º Daniel Mestre (Efapel), a 45s
5.º César Fonte (W52-FC Porto), a 47s
6.º Domingos Gonçalves (Rádio Popular-Boavista), a 48s
7.º Filipe Cardoso (Rádio Popular-Boavista), a 49s
8.º Joni Brandão (Sporting-Tavira), mt
9.º David de la Fuente (Aviludo-Louletano-Uli), a 50s
10.º João Matias (Vito-Feirense-BlackJack), a 51s

Texto: UVP – FPC / Miranda-Mortágua
Foto: João Fonseca

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta