Banner superior
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Maria Martins fechou com chave de ouro a estreia na Europa

Maria Martins fechou com chave de ouro a estreia em Campeonatos da Europa de Elite, sendo a nona classificada na disciplina olímpica de omnium, que terminou ao início da noite em Glasgow, Escócia.

A jovem sub-23 de primeiro ano fez um concurso sempre em crescendo, superando todas as expectativas para acabar entre as dez melhores da Europa numa disciplina em que todos os países apostam forte, por se tratar do arranque da qualificação para os Jogos Olímpicos.

A corredora portuguesa começou com o 17.º lugar em scratch, foi a 12.ª na corrida tempo e oitava em eliminação, prova em que sofreu uma aparatosa queda, que não lhe provocou mazelas graves. Entrou para a decisiva corrida por pontos no 12.º posto.

Maria Martins
Maria Martins

Maria Martins superou-se e alcança o 9º lugar

Na corrida por pontos, Maria Martins superou-se, atacando várias vezes e tendo mesmo conseguido ser a segunda no último sprint, com pontuação a dobrar. Esta atitude permitiu-lhe trepar três posições na geral, finalizando o concurso na nona posição.

Não esperava um resultado tão bom.
Entrei um bocado receosa na corrida por pontos, porque é uma prova que pode revirar completamente a classificação.
Estou muito feliz, só tive pena de não ter vencido o último sprint, porque subiria ao sétimo lugar.
Mas, se calhar já estou a ser demasiado ambiciosa, porque fazer nono lugar na estreia, numa disciplina olímpica com muito nível era algo inimaginável quando iniciei este Campeonato da Europa”, confessa a ciclista da Equipa Portugal.

Gabriel Mendes “O concurso de omnium da Maria foi sempre em crescendo”

O selecionador nacional, Gabriel Mendes, é um homem satisfeito com a prestação de Maria Martins. “O concurso de omnium da Maria foi sempre em crescendo.
Ao longo de todo o Campeonato tem revelado uma evolução progressiva a vários níveis: técnico, tático e também em termos de atitude e de uma audácia que não é aleatória, mas consciente do que está a fazer.
Com isto, conseguiu evoluir de prova para prova em omnium para alcançar o nono posto, que é muito bom para a primeira prova internacional que faz na categoria de elite. Está de parabéns”, conclui.

Rui Oliveira e Ivo Oliveira

Irmãos Ivo e Rui Oliveira os primeiros a competir

Os irmãos Ivo e Rui Oliveira foram os primeiros a subir ontem à pista, garantindo a qualificação para a disciplina de madison, numa manga de grande nível, em que ficou patente o equilíbrio entre as equipas, obrigando a um grande desgaste.

Os 50 quilómetros da final, 200 voltas à pista, foram disputados a um ritmo frenético, acabando com 56,621 km/h de média final. A dupla portuguesa esteve bastante ativa, conseguindo pontuar em quatro sprints, com os quais somou oito pontos.

A cerca de 50 voltas do final, deu-se uma forte aceleração na corrida, que partiu o pelotão em três grupos, apanhando Portugal na parte de trás. Seguiram-se 30 voltas de enorme intensidade, que não permitiram a recuperação. Os homens que desferiram o ataque galgaram terreno e alcançaram o grupo de Portugal. Como consequência, foi considerado que os irmãos Oliveira perderam uma volta, sendo-lhes subtraídos 20 pontos.

Portugal terminou, assim, a competição de madison com 12 pontos negativos, no 12.º lugar. A Bélgica ganhou, com 60 pontos, mais 11 do que a Alemanha e mais 22 do que a Grã-Bretanha, seleções que completaram o pódio.

“O apuramento foi muito árduo” descreve Gabriel Mendes

O apuramento foi muito árduo, mas o Ivo e o Rui estiveram muito bem, tendo em conta a experiência que temos neste momento nesta disciplina.
Na final tivemos uma abordagem cautelosa da corrida, porque era muito extensa e era necessário gerir a energia disponível para pontuar na corrida e para controlar o nosso posicionamento face aos adversários mais diretos no ranking, os russos.
Conseguimos controlar a Rússia e uma classificação superior a este adversário.
Mas no momento em que a corrida se parte estamos mais atrás, o que foi fatal na procura de um lugar pelo menos a meio da tabela classificativa para termos uma diferença de pontos ainda maior face à Rússia”, descreve Gabriel Mendes.

A Equipa Portugal fecha a participação no Campeonato da Europa de Pista nesta terça-feira, dia de Rui Oliveira competir, pouco depois das 12h00, em eliminação, disciplina na qual conquistou a medalha de bronze na edição transata do Europeu.

Texto / Fotos: UVP / FPC

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta