Décio Andrade faz história nos Estados Unidos

Décio Andrade

Natural do Funchal, Décio Andrade, 24 anos, chegou ao Benfica em 2019 para integrar a sua equipa de atletismo, na especialidade do lançamento do martelo.

Texto: Henrique Dias / OPraticante.pt – FPA
Foto: Décio Andrade de Angelo State University

Nos Estados Unidos, o português Décio Andrade faz história

Ontem o madeirense Décio Andrade superou o recorde do lançamento do martelo da Angelo State University com a marca de 71,82 metros.

A estudar na universidade texana de San Angelo, o atleta que em Portugal representa o Benfica desde 2019, melhorou o seu recorde pessoal, em um metro e 40 centímetros (tinha 70,42 m), vencendo o meeting Oliver Jackson Twilight (na madrugada de ontem).

Décio Andrade registou uma série com quatro lançamentos válidos (68,07 m, 66,86 m, nulo, 69,55 m, 71,82 m, nulo) e ainda lançou o disco a 43,41 metros.

Com este resultado Décio Andrade (47º no ranking mundial deste ano) consolidou o quarto lugar nos melhores de sempre no lançamento do martelo, disciplina que este ano já viu o benfiquista António Vital e Silva melhorar o seu recorde pessoal para 74,16 metros (25º no ranking mundial deste ano).

Décio Andrade

Como tudo começou para Décio Andrade

“A minha paixão pelo martelo não foi amor à primeira vista, muito honestamente. Antes de iniciar no atletismo, tinha em mente fazer 100 metros, salto em comprimento ou dardo… mas a minha irmã estava no lançamento do martelo, e então, muito por culpa dela, comecei pelos lançamentos e por aí fiquei!”

Como o madeirense vê o lançamento do martelo

“O lançamento do martelo em Portugal e no resto do mundo é ainda muito desconhecido. Há pessoas que não conhecem esta especialidade do atletismo, só olham para desportos coletivos e pronto. Eu não condeno, pois sou grande fã de futebol, basquetebol, hóquei em patins… mas acho que é algo que se pode construir ao longo do tempo. Acredito que demore tempo, mas um dia essa cultura do atletismo vai haver. Lançamento do martelo é uma disciplina discreta por todo o mundo. Temos a Liga Diamante, que é muito prestigiada por todo o mundo, a nível internacional, e infelizmente tem poder suficiente para decidir que atletas podem vir a ser profissionais. De facto, esta liga traz um bom rendimento financeiro e atinge um tamanho e uma importância muito boa para a modalidade que é, mas infelizmente ganhou esse tal poder, de que só alguns é que podem competir e obter um rendimento financeiro. Afinal de contas, é uma liga destas que pode ou não determinar quem pode vir a ser profissional e quem não, independentemente se tem patrocínios consigo ou não.”

Excerto da entrevista concedida por Décio Andrade ao jornal do Benfica

Parceiros

Deixe uma resposta