Festa e animação na Corrida de Aveleda

Aveleda

Estamos em Agosto, tempo de férias, tempo de descanso mas sobretudo tempo para se estar junto da família e amigos a passar bons finais de tarde em clima de festa. Foi neste ambiente festivo que a Associação Desportiva Recreativa de Aveleda reuniu alguns dos seus associados e convidou todos que se quisessem juntar a eles para a sua terceira corrida anual.

A terceira corrida e caminhada da Associação Desportiva Recreativa de Aveleda (ADRA) aconteceu este Sábado (11) de agosto em Aveleda, Lousada pelas 19:30 horas e aos atletas estava proposta uma corrida cronometrada de dez quilómetros de extensão inserida no circuito Lousada a Correr e para que os que quisessem caminhar havia também uma caminhada de cinco quilómetros.

A equipa de Opraticante.pt esteve presente no evento e agora apresentamos as respectivas notas sobre tudo o que aconteceu.

Percurso selectivo pelas ruas de Aveleda

A prova teve partida e chegada no campo das Fontelas, o campo onde esta associação que milita na segunda divisão da Associação de Futebol do Porto realiza os seus jogos.

Aveleda fica a uma curta distância de Lousada e as memórias de correr nesta localidade diziam que as subidas deveriam ser o prato forte da prova e de facto assim foi, já que aos atletas foi apresentado um percurso de dez quilómetros com muito sobe e desce pelas ruas de Aveleda, que foi criando a sua selectividade nos atletas.

Logo nos metros iniciais da prova, os atletas tinham uma amostra do que os esperava ao terem de subir a rampa de acesso ao campo de futebol. Os primeiros dois quilómetros de prova eram acessíveis em terreno descendente que levava os atletas até junto de um parque de merendas que tinha o rio Sousa ao lado. O percurso em volta do parque era em terra batida.

Realizado o retorno nessa zona, o percurso entrava na sua parte mais difícil com a ascensão para o outro lado da aldeia. Por entre ruas e ruelas secundárias, as subidas eram uma constante.

O quinto quilómetro

A entrada no quinto quilómetro dava um ligeiro descanso mas logo após o abastecimento, a estrada voltaria a inclinar até à entrada do quilómetro sete, sendo esta a parte mais exigente da prova.

Estávamos junto da auto-estrada 11 e só depois da passagem pelo seu túnel inferior é que se podia estar mais descontraído com os dois últimos quilómetros de prova a serem praticamente sempre em descida até à meta dentro do campo de futebol.

Em resumo, o percurso desta terceira corrida da ADRA foi o típico percurso de corrida de aldeia com um sobe e desce constante a serpentear entre as ruas e casas locais e no final quem nele participou ficou certamente satisfeito pois foi um excelente desafio de corrida.

Vencedores

Miguel Borges vence 3ª corrida de Aveleda

O grande vencedor desta prova foi o atleta do Sport Lisboa e Benfica, Miguel Borges que cortou a linha de meta de forma isolada com um tempo de 32:14min. Na segunda posição ficou Rui Muga do C.A. Mogadouro com 32.55min e na terceira posição Pedro Magalhães da Associação Mondim Atletismo com 33:15min.

Ana Nunes vence competição feminina

No que toca à competição feminina desta terceira corrida de Aveleda, esta foi um monólogo por parte de Ana Nunes do AD Lustosa que terminou a prova com 42:57min. Na segunda posição ficou Helena Santos do A.C.D. S. João da Serra com 47:03min e na terceira posição Antónia Bessa do ADR Aveleda com 47:53min.

Vencedores por escalão

A prova teve vencedores por escalão e os vencedores foram os seguintes:

Na vertente masculina venceram Miguel Borges do Sport Lisboa e Benfica (Seniores), Marco Ferreira do FisioPerformance (M40), Davide Figueiredo do Figueiredo`s Runners and Friends (M45) e Fernando Figueiredo do Figueiredo’s Runners and Friends (M50).

Na vertente feminina venceram Ana Nunes do AD Lustosa (Seniores), Antónia Bessa do ADR Aveleda (F40) e Helena Santos do A.C.D. S. João da Serra (F50).

 

Patrícia Silva de Opraticante.pt perto do pódio sénior

No que toca à representação de Opraticante.pt, o destaque vai para Patrícia Silva que ficou no quarto lugar no escalão de seniores com um tempo de 55.19min no 85º lugar da geral. O outro elemento da equipa, Nuno Fernandes terminou a prova no 86º lugar com 55:27min (33º sénior).

Patricia Silva e Nuno Fernandes ultimo atleta da foto da equipa de OPraticante.pt

A arte de bem receber em Aveleda

Chegados quase uma hora antes do inicio da prova, a berma da estrada de acesso ao campo das Fontelas já se encontrava cheia de carros estacionados e onde um elemento da organização vestido a rigor com as cores locais dava indicação de como proceder ao estacionamento.

Parecia que ia haver futebol ao Domingo à tarde! Não era, era atletismo ao final de tarde de Sábado e com o campo já ornamentado a rigor com insufláveis, tendas e fitas a isolar o percurso.

Um camião enorme estacionado no centro do campo, dominava o cenário. Seria aí o aquecimento e a cerimónia do pódio. A música já tocava alto e na entrada do espaço tudo estava bem sinalizado e com o levantamento do dorsal para corrida e caminhada a serem feitos em locais separados. O levantamento dos dorsais da corrida era feito dentro da sede numa sala com os troféus conquistados pela colectividade em plano de fundo. Devido ao baixo número de participantes, o tempo de espera para levantar o dorsal foi reduzido.

O pagamento de sete euros para a prova de corrida era feito ao levantar o dorsal e ao atleta era entregue um saco azul com o dorsal e chip com uma t-shirt branca alusiva à prova e um voucher promocional de uma oculista.

O final do evento

No final da prova, era entregue para além da recordação de finisher, águas, banana e pêra e posteriormente havia direito a uma sandes de fêvera assada e de uma bebida. Para o preço pago, o que se ofereceu aos atletas está de bom nível.

Algo que foi muito gratificante observar foi a simpatia de quem nos recebeu, como disse em cima, até um elemento da organização estava a ajudar no estacionamento. Ainda não tinha visto algo semelhante acontecer em provas onde estive, a simpatia estendeu-se a quem estava no secretariado a entregar o dorsal e também ao pessoal do bar da colectividade que esteve sempre cordial.

Mesmo quando se levantou a sandes e a bebida no final, a simpatia foi constante. São nestes pequenos gestos que se cativam as pessoas a voltarem no ano seguinte.

Com toda esta simpatia e forma simples de se estar até nos esquecemos do aviso de que a prova ia ser atrasada 30 minutos.

Com o aproximar da hora da prova, os participantes foram chegando-se ao local e as equipas de Lousada dominavam os acontecimentos. Apesar de ser uma prova simples, nada faltou a quem esteve presente e minutos antes da prova aconteceu um breve aquecimento que fez as delícias de muitos presentes, sobretudo quem ia caminhar e que já no aquecimento dava um pezinho de dança.

E o povo de Aveleda saiu à rua

Feita a contagem decrescente, depressa os atletas desapareceram nos metros iniciais de prova. Logo desde a saída de junto do campo das Fontelas que em todos os cruzamentos do percurso da prova havia apoio por parte os habitantes de Aveleda.

Muitos eram os presentes nos jardins e varandas de suas casas a aplaudirem os atletas. Atrevo-me a dizer que Aveleda, uma aldeia com cerca de dois mil habitantes mostrou a grandes cidades como se deve apoiar os atletas durante uma prova de atletismo.

Esta postura não se cingiu somente ao aplauso, mas também se estendeu ao bem-estar dos presentes em prova. Em vários pontos do percurso havia pontos para refrescar os atletas com estruturas tipo chuveiro. Essas águas foram fornecidas por habitantes que tiveram a amabilidade de as ceder.

 

O meu cumprimento vai para um senhor que estava antes do abastecimento do quilómetro cinco munido de duas mangueiras na mão a refrescar os atletas e que com a sua generosidade permitia que os atletas fossem beber água fresca na mangueira.

Na verdade, a hidratação a meu ver, foi o ponto negativo desta prova, não pela falta de quantidade de hidratação pois havia vários pontos ao longo do percurso mas sim pelo facto de a água entregue aos atletas estar quente, muito quente. Isto também verificou-se nas garrafas entregues no abastecimento final.

No que resta ao percurso, não há nada de errado a apontar, os cruzamentos estavam bem isolados e com voluntários, a quilometragem estava definida com placas informativas e tudo estava bem sinalizado.

Grande animação após a prova

Após o término da prova, a zona de chegada encheu-se de animação e foi palco de confraternização dos presentes. Numa união entre a população e os atletas todos desfrutaram do momento. O cheiro a churrasco estava no ar e era evidente a satisfação do staff da organização. Já a noite caía quando se procedeu à cerimónia protocolar e entrega de prémios. Só foi pena termos de vir embora cedo pois a viagem de regresso a casa ainda era longa, pois tenho a certeza que se fossemos de mais perto continuaríamos a desfrutar da festa.

Corrida de Aveleda, uma prova humilde mas de muito valor

Costumo dizer que é nas provas mais pequenas que por vezes acontecem as melhores provas, seja pelo resultado obtido, seja pelas amizades criadas, seja pelos momentos vividos. A corrida de Aveleda já se sabia que seria uma prova com pouca afluência mas no regresso a casa não se podia estar mais satisfeito com a forma como tudo decorreu.

Todo o staff foi muito solícito e não se recusou a nada mas o que mais me impressionou foi durante a cerimónia protocolar, o presidente da colectividade, com a sua humildade, pedir para dizerem o que de errado aconteceu na prova de forma a se poder melhorar no futuro. Meu amigo, fossem todos como o senhor e a sua postura e o atletismo estaria bem melhor.

A prova teve um total de 108 finalizadores, um número pequeno mas simpático tendo em conta a data e hora da prova e o período de férias que estávamos a passar, contudo há sempre algo a se fazer para aumentar a afluência da prova.

A sugestão que dava é usarem a grande valência que possuem, o campo de futebol e porque não usarem-no para dinamizar corridas jovens antes da prova principal. Tenho a certeza que se fizerem esta experiência no próximo ano, a afluência a prova será maior.

Visualize mais fotos do evento, nos três álbuns de Gaspar Pinheiro, álbum I, álbum II e álbum III.

[divide icon=”circle” width=”medium”]

Texto: Nuno Fernandes
Fotos: Gaspar Pinheiro

Parceiros

Deixe uma resposta