Banner superior
Coluna Dto
Coluna Esq

Cena do famoso filme 3Dukes na Maratona Vale do Sado

Carregue sobre a imagem acima e visualiza o vídeo da autoria de João Fortunato sobre partida da Maratona Vale do Sado onde o carro da GNR teve de acelerar, e se acelerou para não ser atropelado pelos BTTistas.

Alcácer do Sal

Alcácer do Sal é uma cidade portuguesa pertencente ao Distrito de Setúbal, região Alentejo e sub-região do Alentejo Litoral, é sede do segundo mais extenso município português, com 1 499,87 km² de área, os seus residentes de Alcácer do Sal, começaram logo cedo a ver chegar os “estrangeiros” a sua terra, vindos de alguns pontos do País para marcarem presença em mais uma Maratona Vale do Sado.

Partida simbólica à volta de Alcácer – Fotos BTT Carina Sousa

Maratona Vale do Sado

Prova organizada pela Associação BTT Team Desporto Aventura Cegonhas do Sado, apoiados pelo Team Escala Visual, em que mais uma vez se esforçaram para dar momentos únicos aos presentes.

Concentração da Maratona Vale do Sado foi no Pavilhão multi-usos junto a Praça de Toiros, onde existia imenso espaço para o estacionamento das viaturas e para se efectuar um aquecimento em segurança.

Foto: Inês Galvão Costa

Os primeiros atletas iam chegando, efectuavam o levantamento dos respectivos dorsais e um generoso saco de brindes. Eram convidados por elementos da organização a tomar um reforço alimentar disponibilizado no momento.

Entre cumprimentos e conversas, trocas de ideias sobre material ou até mesmo algumas provas efectuadas ou experiências vividas, os presentes reuniam-se no interior do Pavilhão ou mesmo ao Sol pois a temperatura no momento era baixa e com um vento malandro a soprar.

Foto: Inês Galvão Costa

Local de partida no interior do Pavilhão, ordenadamente os atletas iam passando o controlo zero, foi efectuada as explicações do percurso, zonas perigosas, zonas de abastecimento entre outras.

A partida parecia uma cena do famoso filme 3Dukes

Uma volta inicial da Maratona Vale do Sado por algumas artérias de Alcácer do Sal, que serviu para aquecer os músculos e para os mais ambiciosos se irem colocando nas melhores posições após a partida livre.

E meus amigos leitores, que partida livre, entrada no pavilhão e saída na outra extremidade. Parecia uma cena do famoso filme 3Dukes, a pressão e vontade, exercida pelos atletas era tanta que o elemento da força de segurança teve mesmo que acelerar o veículo para sair da nossa frente.

Hugo “Espigão” Carvalho – Fotos BTT Carina Sousa

Como diz Hugo “Espigão” Carvalho num post na sua página de Facebook “CUM CATANO! Já vi perseguições policiais… isto nunca tinha visto…

Rapidamente formou-se um grupo com um andamento fortíssimo, ganhavam metro a metro dos restantes atletas na zona de alcatrão, viragem a direita e entrada no habitat natural para as bicicletas de BTT, um zigue zague entre zonas de cultivo continuava a convidar aos atletas a manter os punhos trancados das suas motos! Motos?! Mas é uma prova de BTT ou Motocross? BTT mas com a velocidade que se mantinha na primeira linha mais pareciam que iam todos de moto.

Um single perfeito ao lado dos canais de água utilizados para a rega dos campos, na parte inicial fazia a delícia dos atletas, até a zona de divisão dos percursos as dificuldades estavam ao alcance de todos inscritos, alguns topos mas sempre ultrapassados sem colocar o pézinho no chão.

Foto: Sofia Batista

Passagem pela Barragem do Pego do Altar

Uma passagem pela Barragem do Pego do Altar – originalmente batizada “Barragem Salazar” – uma barragem situada na ribeira das Alcáçovas, na bacia do rio Sado, na freguesia de Santa Susana, onde alguns turistas de Auto Caravanismo Nacionais e Estrangeiros aplaudiam e puxavam pelos atletas, motivando os mesmos a continuar de dentes serrados.

Para quem fez a Maratona, como foi o meu caso, ainda havia muito que pedalar e muitos metros para acumular nas pernas. Mas ao cimo de cada topo as paisagens faziam esquecer o cansaço e as descidas convidavam a velocidades por vezes para além do meu limite, mas a adrenalina fazia esquecer tudo.

Foto: Sofia Batista

Uma segunda passagem pela Barragem do Pego do Altar, mas desta vez era preciso trepar desde a sua base, numa estrada de alcatrão, até uma pequena junção de percurso, mas sempre tudo bem indicado.

Após alguns momentos de sobe e desce, a organização deu descanso aos duros do pedal e deu uns bons kms de terreno praticamente sem altimetria.

A luta pelo pódio foi praticamente até ao último metro, até existiram atletas que levaram a classificação tão a sério que lutaram lado a lado e quase que atropelavam o elemento da organização que fazia a picagem final.

Foto: Inês Galvão Costa

E para finalizar

É sempre complicado tentar transmitir ao leitor uma prova de BTT, onde temos que vos tentar colocar nos locais que os atletas percorrem, mas nesta prova, para mim como escritor ainda está a ser mais complicado, pois a organização da Maratona Vale do Sado foi 5 estrelas, a escolha do percurso foi nada mais nada menos que BRUTAL, uma sinalização de lhes tirar o chapéu, zonas perigosas assinaladas, atravessamento de estradas municipais sempre com alguém da organização e agentes de autoridade local, pontos de abastecimento, pontos de água.

De algumas Maratonas que marquei presença este ano, mais uma vez tenho que vos escrever TOP5 em tudo o que era de responsabilidade da organização. Muitos Parabéns!

José Almeida – Fotos BTT Carina Sousa

Maratona 65 kms

Também na Maratona, após 65 kms de competição os dois primeiros José Almeida – BTT C.C. Cumeadense – 2:28;37 e Pedro Melitão – BTT Seia – 2:28;46 proporcionaram espectáculo, diferença de nove segundos a separar os dois, com empenho total de ambos na recta da meta na obtenção da vitória, José Cantante – Tem Escala Visual – 2:28;53 também se empenhou mas o terceiro lugar o melhor que conseguiu.

Disputa pelo primeiro lugar nos 70 kms – Fotos BTT Carina Sousa

Nenhuma senhora se atreveu a superar a superar a distância da maratona

45 Kms com final masculina emocionante

Luís Morgado – Fotos BTT Carina Sousa

Final emocionante de arrepiar os cabelos, de levantar um estádio inteiro, de levar a multidão ao rubro, foi o que Luís Morgado – Equipa BTT Casa Benfica Grândola – 1h32m34s e Rodrigo Mateus – JDM / Snack Bar Pinheiro da Chave – 1:32;38 proporcionaram com sua chegada à linha da meta, uma diferença de quatro segundos os separou, Sérgio do Trilho Perdido Eventos / Socimaster – 1:33;21 obteve o 3º lugar

Clara Prazeres – Fotos BTT Carina Sousa

Ao contrário no sector feminino, não houve emoção, Clara Prazeres – Casa da Eira Turismo, com 2:00;26 venceu, a veterana Leontina Palhas – BTT JD Carvalhal – 2:09;25 obteve o segundo lugar demonstrando que está como o Vinho do Porto, quanto mais idade melhor, e o terceiro lugar foi para Sónia Carvalho – Team Escala Visual – 2:18;11, outra grande atleta a recuperar a forma fisica.

Fotos BTT Carina Sousa

 

OPraticante.pt duplamente representado

Nesta prova marcaram presença dois atletas Rui Bastos e Luís Filipe José da Equipa: OPraticante.pt / SFOA Cycle Team e Francisco Heitor da Equipa: OPraticante.pt, terminando nas seguintes classificações:

Rui Bastos e Luís Filipe José – OPraticante.pt / SFOA Cycle Team  – Fotos BTT Carina Sousa

Rui Bastos 14º classificado no escalão Veteranos B – Maratona
Luis José 20º classificado no escalão Veteranos A – meia Maratona
Francisco Heitor 70º classificado no escalão Veteranos A – meia Maratona

Francisco Heitor – OPraticante.pt – Fotos BTT Carina Sousa

Agradecimentos pela atenção especial da Paula Costa e do Paulo Costa, pelo convite dirigido ao OPraticante.pt e participação no evento, com atribuição do frontal nº 2 ao Francisco Heitor, uma honra para o mesmo, que iniciou a sua participação em eventos de BTT há cerca de 24 anos e precisamente em Alcácer do Sal.

Texto: Rui Bastos
Fotos: Fotos BTT Carina Sousa / Inês Costa / Sofia Batista

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta