Privacy Policy Page
Privacy Policy Page
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

“Isto não é para fracos”, evento constituído por um triatlo

Hoje à tarde o Estádio Universitário de Lisboa recebeu o desafio de provas combinadas “Isto não é para fracos”, mais um evento inserido em Desafios de Verão, constituído por um triatlo (três disciplinas) em meia hora (tempo que mede o início da primeira disciplina e o início da última).

“Isto não é para fracos” um evento constituído por um triatlo (três disciplinas)

Os homens defrontaram-se nos 60 metros, no salto em comprimento e nos 600 metros, enquanto as mulheres mostraram o que valem nos 60 metros barreiras, no lançamento do peso e nos 500 metros.

Manuel Dias, do Sport Lisboa e Benfica (SLB), foi o grande vencedor, tendo conquistado 2458 pontos.

fracos
André Oliveira, Manuel Dias e Carlos Prino

Manuel Dias que era um dos candidatos à vitória do “Isto não é para fracos”, venceu

O atleta, que era um dos candidatos à vitória deste Desafio de Verão, “Isto não é para fracos”, que marca a retoma competitiva nas provas combinadas, venceu a primeira prova, correndo os 60 metros em 7s12’; a segunda prova, com um salto de 6,81 metros; e só foi batido, neste caso por Carlos Prino, da ADRAP, na prova de 600 metros, na qual ficou em segundo lugar com o tempo de 1m27s89’.

Foi precisamente o atleta da ADRAP que assegurou o segundo lugar na competição, com 2314 pontos, vencendo, como referido, a terceira prova, portanto, de 600 metros, em 1m25s59’; empatando, com o terceiro classificado, André Oliveira, da Juventude Vidigalense, na prova de salto em comprimento, com a marca de 6,36 metros; e terminando na terceira posição, com o tempo de 7s40’, a primeira prova deste triatlo, de 60 metros planos.

André Oliveira terminou, assim, este desafio na terceira posição, com 2015 pontos, tendo terminado os 60 metros em segundo lugar, com o tempo de 7s27’; o salto em comprimento empatado com Carlos Prino na segunda posição, como referido acima; e os 600 metros em terceiro lugar, com a marca de 1m37s98’.

João Oliveira e Márcio Horta

João Oliveira foi o vencedor em Sub-20 masculinos

Já em Sub-20 masculinos o vencedor foi João Oliveira, do NDJL-ST (à dta., na foto), que conseguiu somar 1851 pontos, vencendo todas as provas deste triatlo, com as seguintes marcas: 7s62’, nos 60 metros; 5,99 metros no salto em comprimento; e 1m35s58’, nos 600 metros.

Em segundo lugar classificou-se o seu colega de equipa, Márcio Horta, que conquistou 1459 pontos. Márcio Horta correu os 60 metros em 7s66’; saltou 5,85 metros em comprimento; e percorreu a distância de 600 metros em 1m53s43’.

Jennifer Gomes

Jennifer Gomes foi a vencedora feminina

Do lado feminino, Jennifer Gomes, do Grecas, foi a grande vencedora, tendo conquistado 1480 pontos, resultado da marca de 9s29’ nos 60 metros barreiras; de 10,25 metros no lançamento do peso (com um engenho de 4 kg); e de 1m27s64’ nos 500 metros.

Inês Pires, do GCAD, também disputou esta competição no seu escalão, conquistando 1325 pontos. A atleta do GCAD percorreu os 60 metros barreiras em 9s65’, lançou o peso (com um engenho de 4 kg) a 8,80 metros; e correu os 500 metros em 1m24s21’.

Texto / Fotos : Federação Portuguesa de Atletismo

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta