Rochele Nunes conquista a medalha de bronze

Rochele Nunes - Foto: @Carlos Alberto Matos

A judoca Rochele Nunes conquistou ontem a medalha de bronze na categoria de +78 kg nos Europeus de Lisboa, ao precisar apenas de 50 segundos para vencer a ucraniana Yelyzaveta Kalanina, por ‘ippon’.

Texto: RPM // RPC – Lusa

Quarta medalha de Portugal conquistada por Rochele Nunes

No combate para o ‘bronze’, o quarto que efetuou nos Europeus, Rochele garantiu o triunfo com a pontuação máxima, ao entrar muito bem, com um ‘waza-ari’ nos instantes iniciais, seguido de uma imobilização, diante de uma adversária que nunca tinha vencido.

A medalha de Rochele Nunes é a quarta conquistada por Portugal nos Europeus, depois da medalha de ouro de Telma Monteiro (-57 kg) e de bronze de João Crisóstomo (-66 kg), na sexta-feira, e do bronze de Bárbara Timo (-70 kg), no sábado.

Rochele Nunes

A judoca, de 31 anos, nascida em Pelotas, no Brasil, que chegou a Portugal em 2018 para representar o Benfica, e a partir de 2019 a seleção portuguesa, voltou a mostrar que atravessa um dos melhores momentos da sua carreira desportiva.

Depois de duas medalhas de prata, em fevereiro e março, nos Grand Slam de Telavive e Tbilissi – que lhe deram mais pontos na qualificação olímpica do que os Europeus -, Rochele tinha dito que chegava à competição continental para vencer.

Foi por pouco, com a judoca a ‘tropeçar’ nas meias-finais diante da ‘enorme’ francesa Lea Fontaine, uma adversária com mais de 160 quilos, numa categoria em que não existe limite de peso para os atletas.

Rochele Nunes
Rochele Nunes – Foto: @João Gregório

Rochele Nunes decidida a não sair destes Europeus sem uma medalha

A luso-brasileira chorou, frustrada por não conseguir garantir a final, mas pareceu estar decidida a não sair destes Europeus sem uma medalha, e, na ‘consolação’ do bronze, já não deixou escapar a vitória.

Kalanina tinha vencido Rochele Nunes em Praga, nos quartos de final, e no Masters de Qingdao, em 2019, mas a judoca do Benfica esteve muito forte e garantiu uma vitória clara: com um ‘waza-ari’, seguido de ‘ippon’, em poucos segundos.

Para trás já tinha ficado a derrota com Fontaine, que saiu dos Europeus com a prata, e as vitórias frente à alemã Renee Lucht e à bósnia Larisa Ceric, ambas com vantagens máximas, ainda no quadro principal.

Campeão Mundial Jorge Fonseca – Foto: @João Gregório

Jorge Fonseca deixou críticas à arbitragem

No último dia destes Europeus, organizados pela segunda vez por Portugal e em Lisboa, o campeão mundial dos -100 kg Jorge Fonseca saiu derrotado na repescagem e terminou em sétimo, numa competição em que deixou críticas à arbitragem.

O judoca do Sporting venceu o grego Georgios Malliaropoulos e o estónio Grigori Minaskin, mas depois foi derrotado pelo russo Niiaz Iliasov, a quem tinha vencido na final do Mundial, e, já na repescagem, foi novamente batido, pelo francês Alexandre Iddir.

Patrícia Sampaio

Regresso azarado de Patrícia Sampaio

Em sétimo lugar terminou também Patrícia Sampaio, com a judoca que regressava de uma longa paragem após uma fratura na perna no Grand Slam de Budapeste, a cair de novo no ‘tatami’, desta vez com uma microrrotura muscular, no seu terceiro combate.

Vasco Rompão e Diogo Brites caíram nos primeiros combates

Mais cedo, Vasco Rompão (+100 kg), substituto de Bernardo Tralhão (-60 kg), após este acusar positivo ao novo coronavírus, e Diogo Brites (-100 kg), que se estreavam em Europeus, caíram aos primeiros combates.

Parceiros

Deixe uma resposta