Banner superior
Coluna Dto
Coluna Esq

Corrida Fernanda Ribeiro, Maia recebeu a 6ª edição

O segundo fim de semana de Maio foi talvez um dos fins de semanas que mais competição viu no atletismo nortenho. A escolha era diversa na competição de estrada desde os tradicionais dez quilómetros até mesmo à meia maratona, para quem é apreciador de trail, também havia escolha basta. A equipa de OPraticante.pt ficou-se pela estrada e esteve presente na Maia na corrida de homenagem a Fernanda Ribeiro.

A 6ª Corrida Fernanda Ribeiro aconteceu e foi uma organização da EventSport e da Academia Fernanda Ribeiro e teve o apoio da Câmara Municipal da Maia, Associação de Atletismo do Porto e Conselho Regional de Arbitragem da AAP. O evento que teve como objectivo estimular a prática desportiva como elemento da promoção da saúde e da qualidade de vida teve uma corrida cronometrada na distância de dez quilómetros e uma caminhada sem fins competitivos na extensão de quatro quilómetros.

Foto: Evensport

A equipa de OPraticante.pt esteve presente na Corrida Fernanda Ribeiro e agora apresentamos todas as notas como tudo decorreu.

Percurso num carrossel citadino a duas voltas

A prova de dez quilómetros foi composta por duas voltas a um percurso de cinco quilómetros por entre as ruas centrais da cidade da Maia.

A prova teve partida e chegada no largo junto à Câmara Municipal local e teve como via central da prova, a avenida D. Manuel II. O primeiro quilometro de prova era em terreno descendente com os atletas a passarem junto ao estádio municipal e a virarem á direita para uma incursão na avenida de Altino Coelho para depois fazerem um retorno e voltarem à via principal.

Na passagem do segundo quilómetro de prova, os atletas viravam à esquerda para a avenida Padre Manuel Alves Rego para passarem pro debaixo do viaduto da IC24 e de igual modo fazerem o retorno para a via principal.

Foto: Evensport

Estes primeiros três quilómetros de prova eram acessíveis e marcados pelo terreno descendente. O regresso ao ponto de partida implicava duas subidas que davam algum trabalho e ainda nova incursão com respectivo retorno na avenida de Altino Coelho entre elas.

Fazendo um retorno na praça junto à Câmara Municipal, os atletas tinham de voltar a repetir este percurso.

De uma forma global, o percurso desta prova é um percurso citadino interessante sem monotonia onde os atletas são obrigados a gerir bem a sua condição para conseguirem ultrapassar em condições este carrossel de sobe e desce que vai fazendo os seus estragos à medida que a prova avança. De destacar que neste ano, a principal dificuldade na prova não esteve sobretudo no percurso em si nas condições da prova como iremos mencionar mais à frente.

Tiago Freitas – Figueiredos Runners & Friends – Foto: Evensport

Tiago Freitas vence 6ª Corrida Fernanda Ribeiro

Uma vez que o fim de semana foi vasto em provas no Norte de Portugal e com algumas das principais figuras nacionais a estarem presentes no XI Meeting Vítor Tavares, esta prova não teve um grande starpower presente mas nem por isso deixou de ser competitiva.

Foto: Objetiva em movimento

Desde cedo na prova formou-se um duo na dianteira da prova que dominou de princípio a fim, o jovem Tiago Freitas do Figueiredos Runners & Friends e o veterano Ulisses Lopes do CPT Bairro de Carcavelos Synergie. Na subida final, Tiago Freitas mostrou-se o mais forte e venceu isolado com 34:44min ficando Ulisses Lopes a dezoito segundos. A fechar o pódio ficou o atleta dos Amigos da Montanha, Bruno Pereira com 35:13min.

Liliana Rocha – Run River – Escola de Atletismo de Rio Tinto -Foto: Evensport

Liliana Rocha vence competição feminina

Na competição feminina desta prova, não há muito a dizer, vitória tranquila e folgada por parte de Liliana Rocha do Run River – Escola de Atletismo de Rio Tinto com 39:24min. A completar o pódio ficou a atleta da casa, Rosa Trancoso da Academia Fernanda Ribeiro com 43:27min e Regina Gilvaz do Núcleo Atletismo Cucujães com 44:44min.

Foto: Objetiva em movimento

Vencedores por escalões na Corrida Fernanda Ribeiro

A prova teve vencedores por escalão e estes foram os seguintes:

Na competição masculina triunfaram Tiago Freitas do Figueiredos Runners & Friends (Séniores), Paulo Rocha do RunRiver – Escola Atletismo Rio tinto (VET 35), Patrício Castro do NA Taipas (VET 40), António Sousa do Ripolins Grijó a Correr (VET 45), Ulisses Lopes do CPT Bairro de Carcavelos Synergie (VET 50), António Jesus do Nascidos para Correr (VET 55), Casimiro Galhardo do CPT Bairro de Carcavelos Synergie (VET 60) e António Maltez (VET 65)

Na competição feminina venceram Ana Pires da Academia Fernanda Ribeiro (Séniores), Sofia Pimenta do Lion Runners – G. D. Leões da Guarda (VET 35), Liliana Rocha da RunRiver Escola Atletismo Rio tinto (VET 40), Regina Gilvaz do Núcleo Atletismo Cucujães (VET 45), Rosa Trancoso da Academia Fernanda Ribeiro (VET 50), Assunção Garcia da Novélia Running Amarante (VET 55) e Fernanda Bento da DouroConta Trail Team (VET 60).

Adelaide Veludo – OPraticante.pt Foto: Evensport

OPraticante.pt obtém dois pódios

A equipa do OPraticante.pt obteve dois lugares no pódio através das suas atletas veteranas. Adelaide Veludo triunfou no escalão de VET 65 ao terminar a prova com o tempo de 54:15min e Filomena Soares obteve o terceiro lugar no escalão de VET 60 com o tempo de 1h18min. A completar a equipa estiveram José Martins (468ª geral / 70º sénior) – 56:54 min e Nuno Fernandes (498º geral / 87º sénior) – 58:09min.

Pódio F50 – Foto: Objetiva em movimento

Prova com boa organização da EventSport

A 6ª Corrida Fernanda Ribeiro teve o seu palco central no largo junto à Câmara Municipal da Maia e para além de aí ter acontecido a partida e chegada da prova, era neste local que estavam todas as valências da prova.

O secretariado da prova estava localizado no hall de entrada do edifício municipal e não havia muita demora para se levantar o kit de atleta. Aos atletas era entregue à partida um saco do patrocinador da prova com o dorsal com chip e ainda uma t-shirt técnica alusiva à prova da marca Adidas. Após a prova, os atletas recebiam para além da medalha finisher, um abastecimento com águas, maçã e uma barra energética. Para um preço de inscrição de 8/10 euros, o que era entregue aos atletas está a um bom nível.

No local estavam várias valências ao dispor dos atletas, casas de banho, espaço de guarda-roupa e até mesmo um espaço com cerveja gratuita após a prova. Para além disso todos os espaços estavam isolados e bem sinalizados.

Foto: Evensport

Camisolas amarelas que inundaram o centro da Maia

O evento começou cedo com a caminhada a ter início pelas 9:00 horas antes da corrida e esta teve um afluência interessante para um percurso citadino de quatro quilómetros. Muitas foram as camisolas amarelas que inundaram o centro da Maia para uma manhã de desporto.

Na hora da corrida, muitos dos participantes da caminhada abeiram-se da berma junto à partida para aplaudirem os atletas que iam fazer os dez quilómetros. O apoio já tinha começado a ser dado pela madrinha da prova, Fernanda Ribeiro e pelo presidente da Câmara da Maia que saudaram os atletas antes do tiro de partida.

Foto: Objetiva em movimento

No que toca à organização da prova durante o percurso, nada de errado se tem a apontar, tudo bem sinalizado com placas informativas e de quilometragem e sempre isolado. Nota para a presença de voluntários e autoridades nos pontos de cruzamento e retorno. A prova teve dois abastecimentos de água ao quilómetro três e oito o que era necessário dadas as condições climatéricas.

Após a prova, não se registaram grandes filas de espera para se receber o abastecimento final e a recordação da prova já que as entregas eram feitas em fila organizada que permito escoar o grande número de atletas presentes.

Evento marcado pelo forte calor e vento

A manhã desportiva de Domingo ficou marcada pelas condições climatéricas que se fizeram sentir. O céu estava limpo e o sol a queimar com temperaturas próximas dos trinta graus. Para ajudar a esta situação, o forte vento que se fazia sentir e que atrapalhava os atletas em alguns pontos do percurso.

O calor é um facto que afectou a prova e se conjuntou com as características do percurso para criar problemas aos atletas. O facto de ser um percurso citadino, fez com que houvessem poucos espaços com sombra durante o percurso e assim os atletas fossem mais castigados. A ajudar estiveram os dois pontos de hidratação colocados ao dispor dos atletas.

A comprovar o grande calor que se fazia sentir está o facto de aquando da cerimónia protocolar, o largo junto da Câmara Municipal estar quase despido de público e pouco mais que os atletas de pódio a estarem presentes já que os restantes se retiraram do espaço que era aberto e onde o sol castigava.

Foto: Objetiva em movimento

Prova despida de público

A manhã quente de Domingo é certo que não apelava a grandes presenças na beira da estrada para se ver uma prova de atletismo, mas a verdade é que tirando a zona junto à partida e chegada onde estavam presentes vários caminheiros, esta prova teve pouco apoio popular.

É uma pena que uma cidade como a Maia que mostra uma grande visão desportiva não consiga colocar muito público a assistir as suas provas desportivas de atletismo. O mesmo já tinha acontecido no final do mês de Abril aquando da corrida da Liberdade que também se revelou despida de público.

Foto: Evensport

Corrida Fernanda Ribeiro, uma prova já consolidada no calendário

Como mencionei no início do artigo, este fim de semana de 11/12 de Maio foi um dos fins de semanas com mais competição na zona norte de Portugal. Olhando às provas de estrada que aconteceram na manhã de Domingo, em Cortegaça aconteceu a meia maratona local, em Vila Nova de Gaia decorreu a corrida da Marginal Douro e na Maia aconteceu a corrida Fernanda Ribeiro.

Olhando ao número de finalizadores nestas três provas, a corrida da Marginal Douro que neste ano aconteceu no Domingo em vez de ser ao Sábado como foi em anos anteriores teve 666 finalizadores em relação aos 676 do ano passado, a meia maratona de Cortegaça teve 736 em relação aos 1058 do ano anterior. Já a corrida Fernanda Ribeiro teve 687 em relação aos 717 do ano passado.

Foto: Objetiva em movimento

Tendo em conta estes números podemos dizer que a corrida Fernanda Ribeiro mesmo tendo uma grande concorrência, foi pouco afectada na sua afluência e conseguiu manter o nível de atletas. De facto, esta é uma prova interessante que decorre num percurso citadino sem monotonia, numa cidade bem localizada perto do Porto e onde somos sempre bem recebidos e tratados. No final, pode-se dizer que esta é uma prova ao nível da carreira da atleta que é homenageada neste evento e onde dá sempre vontade regressar no ano seguinte.

Foto: Objetiva em movimento

Visualize mais fotos em álbuns de Evensport e Objetiva em movimento.

Classificações.

Texto: Nuno Fernandes
Fotos: Evensport e Objetiva em movimento

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta