Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Milionária marginal de Espinho com animação e prémios

Com as férias já no horizonte, o mês de Julho terminou com a prova de estrada que mais interesse despertou nos últimos meses, a prova que muito prometia, a Corrida Milionária! Será que essa prova foi tão rica como prometido?

Corrida Milionária

A Corrida Milionária que foi uma organização do Running Espinho com o apoio da Câmara Municipal de Espinho, Polícia de Segurança Pública, Associação de Atletismo de Aveiro e Bombeiros do Concelho de Espinho decorreu no Sábado (27) de julho pelas 19h00 em Espinho. A compor o evento esteve uma corrida cronometrada na distância de dez quilómetros e uma caminhada com fins lúdicos na distância de cinco quilómetros.

A equipa de OPraticante.pt esteve presente no evento e agora apresentamos todas as notas como tudo decorreu.

 

 

Percurso multifacetado na marginal da Costa Verde

A Corrida Milionária teve partida e chegada na Avenida Maia Brenha e aos atletas era proposto um percurso para boas marcas tendo quase sempre como pano de fundo a marginal de Espinho até Paramos.

Os dois primeiros quilómetros do percurso decorriam em plena marginal de Espinho com os atletas a passarem a toda velocidade pelo piso característico desta zona entrando posteriormente em piso de ciclovia onde os altos e baixos eram característicos.

Saindo da marginal, os atletas percorriam agora a zona do bairro piscatório da cidade, dando à prova um bom contraste e mostrando as duas facetas que a cidade tem, o divertimento, a movida que a praia e os seus bares têm e a faceta do trabalho duro da lide do mar a que as gentes locais estão acostumadas.

 

O quilometro intermédio da prova era de transição com os atletas a saíram de Espinho e a entrarem em Silvalde e para fazer essa passagem, os atletas percorriam o passadiço de madeira junto à praia que é sobejamente conhecido pelos atletas locais dos seus treinos regulares e onde dava para ter uma visão do famosíssimo campo de golfe local.

Os quilómetros seguintes da prova decorriam junto à ecovia e onde os atletas rumavam até Paramos pela rua da Costa Verde e virando à direita pela Avenida da Praia junto ao Quartel de Paramos e do Aeródromo para prosseguirem até à Capela de São João onde faziam o retorno na rotunda para voltarem a fazer o percurso inverso.

Percurso rápido e para grandes marcas

O percurso da Corrida Milionária era de facto um percurso plano e rápido para se obterem grandes marcas. Contudo, foi visível em comentários com vários atletas que o segmento de corrida no passadiço de madeira não era consensual e alguns mostraram desagrado em correr nas tábuas de madeira. Como em todos os percursos, não se pode agradar a todos os presentes. Pessoalmente, não desgostei do percurso, achei um percurso deveras interessante, riquíssimo sob o ponto de vista de pontos de interesse local e não era monótono. Para além disso não se registou o vento, a famosa “nortada” que muito ataca esta zona litoral do país, o que facilitou a vida aos atletas.

O único ponto negativo que tenho a apontar ao percurso da prova está no quilometro inicial de prova. Com um fluxo de atletas enorme a saírem a alta velocidade, achei totalmente desnecessário e perigosa a colocação de cones de sinalização a dividir a faixa de passagem dos atletas, muitos desses pinos foram derrubados, andavam a ser pontapeados por atletas e muitos tinham de correr com toda a atenção para não caírem neles.

Não havia necessidade de colocarem os pinos pois se era para dividir a faixa para separar os caminheiros dos atletas que iam terminar a prova nos lugares cimeiros, havia tempo para se colocarem esses cones de sinalização depois da partida de todos os atletas e assim também se evitavam confusões na saída.

 

Miguel Borges vence Corrida Milionária

A Corrida Milionária dada a grande promoção que teve ao longo destes meses e devido ao elevado conjunto de prémios que oferecia teve um conjunto de atletas de grande valia na linha de partida e a incerteza quanto ao vencedor era muita.

Com as condições do percurso a proporcionarem grandes ritmos, não foi de estranhar que a prova tivesse sido disputada a um ritmo elevado.

Miguel Borges e Paulo Paula

Na passagem após o retorno da prova, dois atletas se destacavam dos demais e lideravam a corrida, Paulo Paula da RunTejo/CM Socks e Miguel Borges do Sport Lisboa e Benfica. A dupla liderou as operações até final onde na marginal, o atleta encarnado levou a melhor e terminou com um tempo de 30:10min, ficando o maratonista olímpico brasileiro a doze segundos. Na terceira posição ficou Vítor Oliveira do Maia AC com 30:53min.

Daniela Cunha venceu competição feminina

Na vertente feminina da Corrida Milionária, a disputa não foi tão intensa como no sector masculino. Daniela Cunha do Sporting Clube de Portugal esteve sempre na dianteira da prova e cortou a linha de meta isolada com um tempo final de 34:27min. A completar o pódio ficaram as veteranas Marisa Barros do Sport Comercio e Salgueiros com 34:50min e Carla Martinho do Recreio Desportivo de Águeda com 35:17min.

A prova teve vencedores por escalão e estes foram os seguintes:

Na competição masculina venceram Bernardo Rocha do Clube Spiridon de Gaia (Sub23), Miguel Borges do Sport Lisboa e Benfica (Séniores), Vitor Oliveira do Maia Atlético Clube (Vet I), Paulo Paula da Run Tejo/CM Socks (Vet II), Orlando Santos do Grupo Desportivo dos Ferroviários de Campanhã (Vet III), José Silva do G. D. Ronda (Vet IV) e Manuel Palmeiro do Ginásio Clube de Bragança (Vet V).

Na competição feminina triunfaram Sara Duarte do Sporting Clube de Portugal (Sub23), Daniela Cunha do Sporting Clube de Portugal (Séniores), Marisa Barros do Sport Comércio e Salgueiros (Vet I), Carla Martinho do Recreio Desportivo de Águeda (Vet II), Manuela Freitas dos Os Isabelinhas (Vet III), Lídia Pereira do GDR Granja – Trutas do Mau (Vet IV) e Rosa Pinto da Nascidos Para Correr (Vet V).

OPraticante.pt

A equipa OPraticante.pt esteve representada por Nuno Fernandes (1146º geral / 229º sénior) – 55:37min.

Nuno Fernandes – OPraticante.pt à direita na foto

Evento com organização esforçada que necessita de algumas melhorias

A Corrida Milionária gerou nestes últimos meses grande expectativa e promoção, muitas foram as idas à televisão, rádios, etc., e de facto temos que elogiar o esforço do Running Espinho em colchoar esta prova de pé e com ela o grande buzz que gerou, contudo a prova apresentou algumas falhas, umas perfeitamente desculpáveis por ser a primeira edição do evento, outras já nem tanto, já que é um evento organizado por pessoas que não andam nas corridas à meia dúzia de dias.

Secretariado com demora e t-shirts esgotadas

O secretariado da Corrida Milionária estava situado no centro multimeios de Espinho. O levantamento do kit de atleta decorreu com alguma demora, tendo estado na fila de espera mais de vinte minutos, tendo ainda chegado ao local no dia da prova relativamente cedo, quando saí do espaço a fila de espera era ainda mais longa. Tendo o dorsal em mão, o kit de atleta era entregue numa secção ao lado e foi depressa informado que o stock de t-shirts do tamanho M estava esgotado e só havia tamanhos XL. Algo falhou aqui. Pessoalmente que participo em várias provas ao longo do ano é mais ou menos uma t-shirt, mas para alguém que valorize este aspecto, esta falha deixou certamente um amargo de boca.

Os atletas recebiam um saco plástico do patrocinador desportivo da prova com uma t-shirt técnica branca alusiva à prova, o dorsal com chip, folhetos promocionais, garrafa de água com sabor de outro patrocinador da prova e ainda um voucher de desconto de dez euros numa compra na loja desportiva que patrocinava o evento.

Equipa da RUN 4 FFWPU

Evento sem algumas valências importantes

O local de partida e chegada da prova foi um local amplo onde os atletas estavam bem à vontade antes do início da prova e para realizarem o seu aquecimento.

Na semana que antecedeu o evento, foi anunciado que este estava esgotado e com a lotação a ser entre as três mil pessoas. Foi também anunciado para os atletas olharem pelo meio ambiente e se deslocarem para o evento de transportes públicos. Uma atitude de louvar é certo, mas onde estavam as valências para compensar essa ida de transporte públicos. A prova não tinha guarda-roupa, como é que um atleta que se desloque de comboio e que levante o dorsal no dia vai correr? Com o kit de atleta na mão?

Nota ainda para a ausência de wc`s junto à partida, com uma afluência tão elevada ao evento, acho que teria sido ideal colocar alguns wc`s portáteis na rua lateral ao local de partida. Com essa ausência, a casa de banho pública junto à piscina local tinha uma longa fila de espera e na rua lateral à partida onde muitos fizeram o aquecimento, o cheiro não era propriamente do mais agradável.

No restante, todo o local de partida e chegada estava bem isolado, sinalizado e com uma estrutura digna de uma grande prova.

Isabel Costa animada no aquecimento

Grande animação no pré-prova

A Corrida Milionária teve uma grande animação nas duas horas que antecederam o tiro de partida. No pódio do evento foram anunciadas e apresentadas todas as equipas que formaram o top10 das equipas mais numerosas a participar no evento. Para além disso, houve tempo para espaços musicais, apresentação da madrinha da prova, Isabel Silva e ainda para se proceder ao aquecimento. A fazer a ligação entre estes acontecimentos todos, esteve o speaker do evento que fez um excelente trabalho.

Foi bonito ver na meia hora que antecedeu o início da prova, a mistura entre o aquecimento proporcionado por um instrutor aos presentes que fez as delicias dos caminheiros e o aquecimento mais a sério dos atletas que iam participar na prova competitivas, fazendo assim uma excelente conjunção de actividade física.

Entrada na caixa de partida com alguma confusão

Terminado o aquecimento, era tempo de os atletas entrarem na caixa de partida e aqui há a destacar alguma confusão na entrada.

Apesar de os atletas terem indicado no seu dorsal a sua caixa de partida, a entrada foi feita sem controlo com muitos atletas a saltarem barreiras, fitas a serem cortadas, etc., basicamente tudo a querer arranjar o melhor local para a saída na prova.

De notar ainda, que nos últimos dez minutos que antecederam a prova, toda aquela animação com música com promoção da prova “como que desapareceu” e somente se ia ouvindo o anunciar do tempo que faltava para a prova sair.

Prova com bom apoio na marginal

Após o tiro de partida, os atletas tiveram um grande apoio e foram aplaudidos pelas centenas de pessoas que se apossaram da berma da marginal de Espinho. Este apoio estendeu-se até ao bairro piscatório onde o apoio era vincado com um tom mais característico da zona e que sempre estimula os atletas.

Após a passagem do passadiço de madeira, foco para a presença de um grupo de animação local que cantava música popular. No local do retorno da prova, havia ainda grande animação com música e um speaker a incentivar os atletas.

Em termos de organização do percurso, nenhuma falha há a apontar com este a ter ao longo de toda a sua extensão placas informativas da quilometragem, dos pontos de perigo, do abastecimento, etc. Os locais de cruzamento estavam sempre com a presença de staff.

A prova teve direito a três pontos de abastecimento, ao quilómetro 2,5, 5 e 7.5 com águas nos dois primeiros e barra energética no último.

Chegada sem filas de espera, porém….

Após cortar a linha de meta, os atletas não demoravam muito a receber o abastecimento final. Pessoalmente, não achei o abastecimento final condizente com a promoção e nível da prova com os atletas a receberem somente uma garrafa de água e um pacote de leite. Para além disso já não estamos no tempo de seca e vi ser-me recusada uma segunda garrafa de água, algo que já não me acontecia há muitos anos.

Avaliando o preço de inscrição na prova que variou entre os 10 a 15 euros, o que os atletas receberam está no limite do aceitável, porém um atleta que pague 12 a 13 euros para participar nesta prova teria que receber no abastecimento mais que uma água e um leite.

Mais uma medalha, mais um excelente trabalho da Oficina das Medalhas

Este elogio é quase como chover no molhado! A Corrida Milionária teve uma medalha finisher de grande qualidade naquele que foi mais um trabalho da Oficina das Medalhas que foi um dos parceiros oficiais do evento. Palavras para quê, vejam por vocês mesmo.

Corrida Milionária, um evento que com as mudanças certas tem tudo para ser ainda maior

Como mencionado no início desta reportagem, a Corrida Milionária foi uma prova que gerou interesse mal foi anunciada. Uma prova sunset no final do mês de Julho com um conceito diferente do habitual, tinha tudo para ser um sucesso. Muitos prémios a oferecer, grelha de prémios monetários extensa e sendo uma prova organizada pelo Running Espinho, um dos grupos de corrida mais carismáticos de Portugal, tinha tudo para correr bem.

Olhando ao número de atletas finalizadores, este foi de 1868 e este número é de grande valia. Não há muitas provas que na sua edição inaugural tiveram este número de finalizadores. Não tenho dúvidas que com este número, esta prova esteja no lugar cimeiro de provas novas em Portugal com mais afluência. De notar ainda que no mesmo dia no Porto aconteceu a corrida do Parque a Noite da RunPorto que teve números de afluência semelhantes. Podemos então dizer que a edição do próximo ano será o verdadeiro teste de afluência à Corrida Milionária.

Ao longo do artigo fui fazendo várias observações/criticas à prova. Não são observações feitas para rebaixar o evento, longe disso, são observações sinceras que como mencionei, umas são mais desculpáveis que as outras, mas todas elas facilmente corrigíveis e acredito que com essas mudanças postas em prática, a prova pode melhorar ainda mais. A postura de uma organização de uma prova também se vê na capacidade de conseguir absorver algumas das sugestões que são feitas para melhorar o evento.

O conceito da prova é interessante, o local da prova é emblemático, o seu trajecto também é, um dos melhores e mais rápidos que há no norte de Portugal e o Running Espinho, sendo o grupo de corrida que é, certamente vai conseguir apresentar no próximo ano, uma prova ainda maior que esta. São esses os meus votos!

Poderão ser visualizadas mais fotos em álbuns da RUN 4 FFWPU.

Texto: Nuno Fernandes
Fotos: RUN 4 FFWPU

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta