Banner superior
Coluna Dto
Coluna Esq

Davide Machado impossível imaginar-me sem a Orientação

Davide Machado tem 30 anos e é licenciado em Gestão Empresarial. Actualmente trabalha como gestor de Loja em Cascais mas uma grande parte do seu dia-a-dia é dedicada a outra actividade: a Orientação.

Davide Machado “desde muito novo que pratico desporto”

Davide Machado

O desporto sempre foi algo bastante presente na vida do atleta “desde muito novo que pratico desporto, lembro-me que no meu 5º e 6º ano de escola, fazia um pouco de tudo (Escalada, badminton, futsal e atletismo) a orientação surgiu através do meu professor de educação física (Jorge Martins) que tinha um grupo de escalada no qual fazia parte e me introduziu na orientação” afirmou Davide ao Praticante.

Começou por praticar Orientação, na vertente pedestre, em 2000 “depois disso foi uma evolução normal, no entanto em 2004 fui convocado para o Mundial de Desporto Escolar na Bélgica e foi a partir dai que realmente me despertou o interesse e a paixão.”

O melhor resultado “Vice-campeão mundial conquistado este ano na Áustria”

Em 2008, começou a praticar Orientação na vertente de BTT. Davide revela que de todos os resultados que já obteve em competições, o melhor foi “sem dúvida o título de vice-campeão mundial conquistado este ano na Áustria! Mas o 7º lugar no mundial de 2010 em Portugal foi extremamente importante também, foi o primeiro grande resultado Internacional e foi o que fez acreditar que mais seria possível.

Apesar das grandes conquistas, o atleta revela que o “desporto de alta-competição não é fácil para nenhum atleta, em nenhuma modalidade” e que este desporto ainda se torna mais difícil “quando a modalidade praticada não é reconhecida e não tem grande presença no nosso país, como é o caso da orientação”. O que acaba por obrigar a “mais esforço, mais dedicação, mais empenho e sobretudo a olharmos para a modalidade além-fronteiras!

Davide reconhece que a orientação é uma modalidade que envolve bastante experiência “daí que com os anos consegui melhorar as minhas prestações, no entanto é também uma modalidade física e o treino físico é importantíssimo” o que acaba por roubar “muito tempo no dia-a-dia!

Davide Machado
Davide Machado carregado aos ombros pelos restantes elementos que representam Portugal neste Campeonato do Mundo de Orientação em BTT

Duas medalhas especiais “Bronze em 2016 e Prata em 2018”

O esforço e o “sacrifício” ao longo dos anos fazem com que o atleta tenha inúmeras medalhas, impossíveis de contar “desde conquistas Ibéricas e Títulos Nacionais nos últimos 10 Anos! Posso dizer que estou sem espaço lá por casa!”. Mas afirma que as duas de maior relevo são as “conquistadas em Mundiais, Bronze em 2016 e Prata em 2018.

A Federação Portuguesa de Orientação vai organizar em Odemira, entre os dias 20-23 de Setembro a etapa final da Taça do Mundo e Davide Machado vai participar “será o meu último objetivo a que me propôs esta época!

O atleta revela-se bastante confiante e este ano tem obtido excelentes “trabalhei bastante para estar ao meu melhor nível e o fator “casa” será importante também. Vou sem dúvida lutar pelo pódio!

Davide Machado sobre a Taça do Mundo “Vou sem dúvida lutar pelo pódio!”

O facto da zona de Odemira ter “características territoriais onde eu tenho vantagens, a parte física é uma delas e sei que serão provas duras fisicamente onde normalmente me consigo sobressair! A cartografia Portuguesa será também uma vantagem, estou habituado aos nossos mapas e ao nosso terreno. Quanto a fraquezas, considero apenas as diferenças existentes na preparação, condições e apoios para os atletas Internacionais presentes.

Para Davide Machado é impossível imaginar a sua vida sem a Orientação “tem um papel Importantíssimo na minha vida, são muitos anos de modalidade, muitos anos de amizades, provas, conquistas. Cresci com este desporto quer a nível desportivo quer a nível pessoal. É e será um desporto para manter presente e levar toda a família.

Em relação a 2019, o atleta afirma que o mais importante será continuar a “divertir-me com este desporto e preferencialmente continuar também a conquistar troféus”.

Texto: Daniela Rebouta
Fotos: Cedidas por Davide Machado

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta