Privacy Policy Page
Privacy Policy Page
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Doroteia Peixoto faz o tri na MM de Barcelos

Diz o ditado que em Abril, as águas são mil e o mesmo se pode aplicar ao atletismo já que neste mês o calendário é recheado e vasto de provas.

Depois do fim-de-semana da Páscoa, a competição voltou em força e uma das provas que se destacou na zona norte foi a quinta edição da Meia Maratona de Barcelos.

A BMcar Meia Maratona de Barcelos aconteceu este Domingo (8) pelas 10:00 horas na cidade de Barcelos e foi uma organização dos Amigos da Montanha com o apoio da Câmara Municipal de Barcelos, da Associação de Atletismo de Braga e dos Bombeiros Voluntários de Barcelinhos.

A completar o evento, para além da corrida principal que dá nome à prova, aconteceu ainda uma mini maratona cronometrada na extensão de 11.5km e a tradicional caminhada sem fins competitivos na distância de 8km. Todas as partidas e chegadas aconteceram na Avenida da Liberdade.

Percurso com alguma dureza mas equilibrado para a distância

Ponto prévio para quem planeia participar nesta prova: Não esperem um percurso com grande variedade de paisagem!

Barcelos é uma cidade de belas paisagens mas é uma cidade pequena pelo que realizar uma meia maratona a percorrer muitas das ruas da cidade é impossível, principalmente devido à questão do tráfego automóvel. Seria literalmente necessário fechar a cidade. Como tal, a organização tem que optar por colocar o trajecto da prova a decorrer na via rápida exterior à cidade.

Meia Maratona de Barcelos

A prova teve partida e chegada junto ao campo da feira e os primeiros dois quilómetros da prova decorrem dentro da cidade. De notar que a zona percorrida junto à partida é em paralelo e muito dele em mau estado. A prova começou com chuva e como tal foi notório o cuidado dos atletas ao percorrem este piso.

Percorrido o par de quilómetros iniciais, os atletas entram então na EN 204 e deslocam-se para a zona de Vila Frescainha. Passando pela ponte sobre o rio Cávado fazem o retorno para passar novamente junto do ponto de entrada inicial na estrada. Para os atletas da mini maratona, a prova tinha somente mais um quilómetro com estes a se deslocarem para a zona de meta.

Para os atletas da meia maratona ainda havia mais onze quilómetros a percorrer e que eram feitos com mais um percurso na EN 204 mas desta vez com uma ida junto a Tamel São Veríssimo onde faziam o retorno para regressar para a zona de meta.

Uma boa prova para quem gosta de correr em longas rectas

Em suma, para quem gosta de correr em estradas com longas rectas, com algumas subidas e descidas próprias deste tipo de estradas e sobretudo sem muito apoio aos atletas, tem aqui uma boa prova. Para aqueles que gostam de correr em locais com boas paisagens, ter boas vistas e que pretende fugir da monotonia da estrada, não será esta a prova ideal.

A nível pessoal, é um percurso que não aprecio. Já tinha ficado com essa impressão aquando da participação em 2016 e de novo mantenho a opinião.

Apesar de ser um percurso monótono, há que dizer que é um percurso equilibrado com algumas subidas intermédias que causam mossa mas que depois são contra balanceadas nos pontos de retorno. Desgosto da zona do paralelo que castiga os atletas quer no inicio da prova, quer no final.

Mas como disse anteriormente, a cidade é pequena e pouco mais há a fazer no percurso.

Vencedores

Meia Maratona

Rui Teixeira confirma bom momento e vence competição masculina

A competição masculina da BMcar Meia Maratona de Barcelos tem três protagonistas, Rui Teixeira e Ricardo Dias do Sporting Clube de Portugal e Carlos Costa do Grupo Desportivo de São Salvador do Campo. Este trio de atletas dominou deste cedo a prova e se nos primeiros quilómetros tiveram a companhia dos atletas cimeiros da mini maratona, a partir do décimo quilómetro tiveram de gerir os três a acção.

O primeiro atleta a quebrar foi Ricardo Dias e o atleta natural de Forjães até nem deve ter ficado muito chateado com esta quebra pois esta deu-se devido a uma boa razão.

Ricardo Dias tinha-se sagrado no dia anterior campeão nacional dos dez mil metros em pista em Braga. Num gesto de profissionalismo, o atleta que já tinha confirmado a sua presença em Barcelos, não deixou de estar presente mesmo tendo participado numa grande competição no dia anterior.

A disputa da meia maratona ficou então entre Rui Teixeira e Carlos Costa e no último quilómetro, o recém coroado campeão nacional de crosse, adiantou-se a Carlos Costa e chegou isolado à recta da meta para vencer pela primeira vez esta prova depois de ter alcançado o segundo lugar na edição de 2016.

Em termos de tempos, estes foram os seguintes, Rui Teixeira (1:09:24), Carlos Costa (1:09:34) e Ricardo Dias (1:09:49).

Doroteia Peixoto vence competição feminina

No que toca à competição feminina da BMcar Meia Maratona de Barcelos esta podemos dizer que foi inexistente e com a atleta do clube organizador da prova, Doroteia Peixoto a dominar de forma categórica a prova.

Doroteia Peixoto triunfou com um tempo final de (1:13:36) e com esta vitória a atleta conquista esta prova pela terceira vez consecutiva.

Doroteia continua a sua preparação para a Maratona de Dusseldorf, no dia 29, prova que venceu em 2017 e onde vai voltar a correr em busca da marca de qualificação para estar presente no Europeu em Munique.

Esta vitória foi uma boa prenda de anos para atleta já que no dia anterior tinha celebrado mais um aniversário.

Na segunda posição ficou Mónica Silva com 1:16:42. Nota para a resiliência da atleta que sofreu uma queda à passagem do quilómetro dez e mesmo assim terminou a prova. A fechar o pódio ficou Cláudia Pereira com 1:21:16.

A prova teve vencedores por escalão e os vencedores foram os seguintes:

Em masculinos venceram Rui Teixeira do Sporting Clube de Portugal (Seniores), Fernando Grilo do SIRA (M40), Augusto Costa dos Amigos da Montanha (M45), Joaquim Lopes do Grupo Desportivo de São Salvador do Campo (M50), José Mota do Nascidos para Correr (M55) e Antonio Faria do CAVE Esposende (M60).

Em femininos triunfaram Doroteia Peixoto dos Amigos da Montanha (Seniores) e Carla Machado do União Desportiva da Várzea (Veteranas).

Mini Maratona

Na competição masculina, o grande vencedor foi Luís Mendes do Maia AC com 37:30min. A completar o pódio ficaram José Gaspar (37:54) e Hélder Costa do Police Chalenge (42:15).

Na competição feminina, destaque para a dobradinha da União Desportiva da Várzea com a vencedora Sónia Ferreira (44:59) e com a segunda posição de Sofia Teixeira (45:25). A fechar o pódio ficou Clara Freire do GTT – Armazém do Café com 52:37min.

Em termos de vencedores por escalão, na vertente masculina venceram Luís Mendes em seniores e José Gaspar em veteranos. Na vertente feminina, em seniores triunfou Sónia Ferreira e em veteranas Clara Freire.

O Opraticante.pt esteve representado por Nuno Fernandes que participou na mini maratona obtendo o 99º lugar da geral com um tempo de 1:02;31.

Prova com uma excelente organização

A opinião global entre os atletas que participam na BMcar Meia Maratona de Barcelos é que a prova tem um excelente nível organizativo e de facto poucos reparos há a fazer aos Amigos da Montanha nesse aspecto.

O quartel-general do evento estava junto da igreja do Bom Jesus da Cruz e tinha todas as valências necessárias para uma boa prova. WC`s, stands de patrocinadores, etc.

O espaço de saída dos atletas após a prova, os acessos à linha de partida estava todos bem definidos. Nada apontar em relação à logística

A organização permitiu o levantamento do dorsal no dia da prova e este aconteceu sem demoras. Na entrega do kit era entre um saco plástico com o dorsal, chip e uma t-shirt técnica branca alusiva à prova.

Após a prova, os atletas para além da medalha de finisher recebiam um saco de ofertas com uma cerveja artesanal, dois pastéis de nata e uma caixa de bombons.

Para além disso, havia ainda o abastecimento final onde tinha uma bola de berlim, água, cerveja e sumos à disposição. Para o preço médio de inscrição a rondar os 10-12 euros, considero que o que foi oferecido aos atletas está de bom nível e equilibrado para o preço pago.

Chuva marcou o inicio da prova

O local da prova desde cedo teve animação. Mesmo com a chuva a cair na hora antes do inicio da prova muitos foram os que não tiveram medo da chuva e se lançaram no aquecimento numa aula de zumba promovida pela instrutora Luciana Silva.

Muitos dos participantes nesta atividade eram caminheiros e quando a organização não descura a animação para quem vai caminhar é bom sinal pois muitos são os eventos que apesar de eles pagarem para caminhar são completamente postos de parte.

Na linha de partida apresentaram-se os atletas da meia maratona e da mini maratona para uma partida simultânea da prova que nos primeiros quilómetros decorreu debaixo de chuva mas depois o tempo melhorou e a chuva deu tréguas.

No que toca ao percurso da prova, este estava bem isolado e em toda a sua extensão com marcação dos quilómetros.

A organização tinha abastecimento de água a cada cinco quilómetros e em cada espaço de abastecimento havia um local para colocar as garrafas vazias.

Tenho de elogiar duas pessoas presentes após a linha de chegada. A campeã Manuela Machado sempre simpática e afável que estava a ajudar os atletas a retirarem o chip e o speaker da prova que após a chegada dos atletas esteve excelente a entrevistar os atletas do pódio e os demais.

A prova quando decorreu dentro da cidade de Barcelos teve alguns momentos de apoio popular e é sempre bom ver que mesmo a chover as pessoas estiveram lá para apoiar. A linha de meta também estava bem composta de público.

A minha análise

Para finalizar a análise da prova, tenho mais uma vez de insistir no assunto da descriminação. Cito: “Algo que ainda acontece em algumas provas de atletismo é a discriminação de género na definição de escalões. Nesta prova verificou-se isso com os atletas veteranos masculinos a terem seis escalões e as atletas femininas somente dois. Como é costume dizer, os tempos são outros.”

Prova sofreu uma enorme quebra de participantes e a organização terá de repensar o futuro da prova

Para quem gosta de avaliar a presença de atletas em provas, a BMcar Meia Maratona de Barcelos 2018 era vista com expectativa para perceber qual a afluência de atletas que teria pois a prova teve e teria concorrência.

Quinze dias antes aconteceu a Meia Maratona de Braga e no dia da prova aconteceu a Meia Maratona Vig-Bay na Galiza que cada vez mais atrai atletas nortenhos.

Para além disso estava mau tempo. No final, confirmaram-se os piores receios. A prova mostrou um declínio de participação com 220 finalizadores na meia maratona e 255 na mini maratona.

A prova mostrou um declínio de participação

A edição do ano passado teve 419 e 341 respectivamente. Estes números são ainda piores se comparamos com os números de finalizadores da meia maratona na edição inaugural que foi de 684. No que toca aos números da mini maratona estes parecem estar estáveis.

A organização pelo que foi mencionado na imprensa local já percebeu que terá de fazer algo nas edições seguintes para promover a sustentabilidade da prova e uma mudança de data é o mais provável acontecer.

Na minha opinião, é o mais sensato a se fazer e para além disso haver uma maior promoção da prova. Como disse em cima, alterar o percurso da prova é quase impossível, então há que atacar por outro lado e colocar a prova numa data onde não tenha grande concorrência.

Eu apontava para a próxima edição da prova acontecer no fim do mês de Fevereiro ou inicio de Março.

Os Amigos da Montanha têm uma organização excelente e merecem que esta prova tenha sucesso e estou certo que com alguns ajustes o conseguirão.

Texto: Nuno Fernandes
Fotos: Amigos da Montanha

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta