Europeu de Estrada, juniores abrem participação nacional

António Morgado e Gonçalo Tavares

Os juniores António Morgado e Gonçalo Tavares são os primeiros portugueses a competir no Europeu de Estrada, participando, nesta quarta-feira, no contrarrelógio de 22,4 quilómetros, que vai disputar-se em Trento, Itália.

Texto: União Velocipédica Portuguesa – Federação Portuguesa de Ciclismo

Juniores abrem participação nacional no Europeu de Estrada

Além dos dois juniores, Portugal estará representado no contrarrelógio do Campeonato da Europa por dois corredores de elite, João Almeida e Rafael Reis, e pelo sub-23 Fábio Fernandes.

São estes os cinco ciclistas portugueses que já estão em Itália e que na manhã desta terça-feira reconheceram o percurso do exercício individual, comum a todas as categorias.

O veredito é unânime. Trata-se de um percurso muito rápido, quase totalmente plano – só tem 172 metros de desnível positivo – e não demasiado técnico.

Os corredores mais possantes terão vantagem, mas há algumas estratégias a adotar pelos ciclistas mais leves para mitigar ou ultrapassar a desvantagem teórica, como explica o selecionador nacional, José Poeira.

O percurso é muito rápido, mas os pontos mais técnicos podem ser aproveitados para ganhar alguma vantagem.

Nos juniores ter uma cadência elevada será fundamental para um bom resultado. No nosso caso, trazemos dois juniores de primeiro ano.

São excelentes corredores, mas não lhes colocamos a pressão de terem de lutar por um lugar.

Têm, sobretudo, de dar o máximo e de fazerem uma aprendizagem, porque o percurso de ambos ainda será muito longo para o futuro.

Correndo sem medo, tensão ou pressão, acredito que conseguirão muito bons desempenhos”, frisa o responsável técnico.

“…o meu adversário serei eu próprio” António Morgado

O percurso é muito plano. Será necessário gerir bem o esforço. Esse será o maior desafio, porque o meu adversário serei eu próprio. Por isso vou tentar superar-me. Darei o meu máximo.

O resultado final, em comparação com os adversários, é uma incógnita, mas se conseguisse um top 20 ficaria muito satisfeito”, reconhece António Morgado.

Europeu de Estrada
António Morgado e Gonçalo Tavares

Gonçalo Tavares “O percurso não me favorece muito…”

Gonçalo Tavares preferia um percurso não totalmente plano, mas promete empenhamento: “O percurso não me favorece muito, por ser excessivamente plano. Mas não será isso que me impedirá de dar o melhor.

Não sei o que esperar em termos de classificação final, porque não faço ideia de como está o meu nível em comparação com os adversários. Este Europeu também servirá para perceber isso”.

Os contrarrelógios de sub-23 e de elite irão disputar-se na quinta-feira, mas o primeiro reconhecimento do percurso aconteceu já ontem.

Europeu de Estrada
Fábio Fernandes

O campeão nacional de sub-23, Fábio Fernandes, tem o olhar colocado já no futuro. “É um percurso muito rápido, não sendo o mais adequado para mim.

Gostava que houvesse algumas partes mais duras, que me permitissem fazer a diferença.

Como sou ainda sub-23 de primeiro ano, quero, acima de tudo, acumular experiência para que, no futuro, possa vir discutir o resultado em competições deste nível”, afirma o representante de Portugal na prova de sub-23.

Os mais experientes João Almeida e Rafael Reis também pedalaram, nesta manhã, nas estradas do contrarrelógio. “Demos três voltas ao percurso. A cada volta parecia que se tornava mais rápido.

Esta é a primeira perceção: será um contrarrelógio muito rápido, com partes em que a velocidade vais ser alta. Tem algumas rotundas e viragens, mas não é muito técnico.

Amanhã 8hoje9, quando virmos o percurso fechado, será possível ter a perceção final e decorar locais importantes para podermos fazer a prova mais rapidamente.

Pessoalmente, sinto-me bem. Trabalhei para isso e espero conseguir o mesmo nível dos últimos tempos”, avança Rafael Reis.

Rafael Reis e João almeida

O percurso é muito rápido, o que favorece os mais pesados. Sendo muito plano, não tem zonas para descanso.

Vai ser preciso gerir muito bem o esforço, porque será necessário ter um ritmo bastante alto, mas sem que nos ‘afoguemos’.

Esse será o segredo, gerir bem o esforço e aproveitar as curvas e viragens para ‘respirar’.

Acho que tenho a possibilidade de fazer um bom resultado. Vou dar o meu melhor. Espero ter boas pernas para conseguir ficar nos dez primeiros, que é o meu objetivo”, afirma João Almeida.

Os horários de partida para os contrarrelógios serão conhecidos ao final da tarde desta terça-feira.

Amanhã chegam a Trento os corredores juniores e sub-23 que irão competir nas provas de fundo. Os quatro corredores de elite que apenas competem no domingo juntam-se à comitiva nacional na sexta-feira.

Europeu de Estrada
Fábio Fernandes, António Morgado e Gonçalo Tavares, João Almeida e Rafael Reis

Calendário de Provas com participação portuguesa no Europeu de Estrada

8 de setembro
9h45: Contrarrelógio Juniores – Masculinos

9 de setembro
13h15: Contrarrelógio Sub-23 – Masculinos
15h00: Contrarrelógio Elite – Masculinos

10 de setembro
8h00: Prova de Fundo Juniores – Masculinos
12h50: Prova de Fundo Juniores – Femininas
15h30: Prova de Fundo Sub-23 – Femininas

11 de setembro
8h00: Prova de Fundo Sub-23 – Masculinos

12 de setembro
11h30: Prova de Fundo Elite – Masculinos

Parceiros

Deixe uma resposta