Privacy Policy Page
Privacy Policy Page
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Famalicão saiu à rua para ver a Meia Maratona

A fechar o mês de Novembro e a anteceder o longo período de corridas nocturnas em Portugal, acontece uma das últimas meias maratonas de Outono. A cidade de Vila Nova de Famalicão foi mais uma vez palco de uma das meias maratonas de Portugal que desde a sua criação tem visto uma regularidade de adesão muito interessante, a Meia Maratona de Famalicão.

Famalicão

6ª Meia Maratona de Famalicão

A 6ª Meia Maratona de Famalicão aconteceu no Domingo (24) de Novembro de 2019 pelas 10h00, em Vila Nova de Famalicão e a compor a manhã desportiva esteve a prova competitiva que dá nome à prova e ainda uma minicorrida/caminhada na distância de seis quilómetros sem fins competitivos e somente na promoção da saúde e do bem-estar.

A equipa de OPraticante.pt esteve presente no evento e agora apresentamos todos os detalhes como tudo decorreu.

Famalicão

Percurso exigente numa mistura citadina e rural

A 6ª Meia Maratona de Famalicão teve partida na Avenida Brasil e chegada ao parque de estacionamento junto ao Citeve que se situa junto ao espectacular espaço da cidade que é o Parque da Devesa.

O percurso desta meia maratona pode-se dividir em duas partes: citadina e rural. A primeira parte, a citadina decorre durante os primeiros seis quilómetros de prova e coincide com o percurso da minicorrida/caminhada. Nestes primeiros quilómetros, os atletas percorrem as principais avenidas do centro de Vila Nova de Famalicão.

Neste tom inicial de prova, ficamos a conhecer um pouco da cidade e nem nos apercebemos destes quilómetros passarem nem os três pontos de retorno ultrapassados. As dificuldades colocadas nestes quilómetros iniciais são poucas e como tal servem também bem os propósitos de quem só vai ao evento para passar uma boa manhã com desporto e convívio.

Passados estes quilómetros iniciais e como já dizia o animador da prova, o “aquecimento estava feito” e agora vamos à meia maratona propriamente dita e que esta iria dar bom trabalho. Estava terminada a fase citadina e entravamos na fase rural.

Famalicão

Carrossel de Famalicão a Telhado

Os conhecedores do percurso sabiam que esta meia maratona era exigente e de facto assim é. Seguindo pela estrada nacional 206, logo à passagem do sexto quilómetro, o terreno começa a inclinar e entrasse num carrossel de subidas e descidas, mas sobretudo de subida até ao ponto de retorno que se situa ao quilómetro 13. Nestes sete quilómetros são nos apresentadas as aldeias de São Martinho do Vale, São Cosme do Vale e Telhado. São sete quilómetros trabalhosos e que só se teu uma ideia da sua dificuldade depois do ponto de retorno e onde se regressa a Vila Nova de Famalicão.

Ultrapassado esse ponto, a meia maratona está praticamente feita com o terreno até à cidade a ser sobretudo em descida. Portanto que soubesse gerir bem a energia até ao alto, depois é somente controlar.

O percurso da meia maratona de Famalicão é um percurso interessante, sem muita monotonia pois exige sempre algo aos atletas. Tem uma boa relação entre a cidade e o campo e é acima de tudo um excelente desafio de corrida. Na edição deste ano da prova, as condições climatéricas não foram as ideais pois durante a prova pois verificaram-se períodos de chuva e vento. O frio e a humidade estiveram em força no evento.

José Moreira vence 6ª Meia Maratona de Famalicão

A edição deste ano da meia maratona de Famalicão teve uma excelente disputa para a definição do seu vencedor. Com o decorrer da prova formou-se um quarteto de atletas que tomou a dianteira, José Moreira do Sporting Clube de Portugal, João Antunes do CDS Salvador do Campo, Paulo Paula da Run Tejo e o individual Tiago Costa.

Com o aproximar da meta, o atleta leonino que já tinha sentido o sabor da derrota numa edição passada, atacou firme para a vitória, cruzando a linha de meta com 01:06:39. A completar o pódio ficaram, João Antunes com 01:06:43 e Tiago Costa com 01:06:47.

Em declarações à imprensa no final da prova, José Moreira elogiou a concorrência e só por isso torna a sua vitoria mais especial pois não foi fácil. O atleta afirmou “Já faço esta prova há alguns anos e numa edição fui surpreendido na parte final. Este ano ia acontecer a mesma coisa por isso ataquei. O colega ainda respondeu, mas não baixei os braços e venci”. O vencedor da prova deixou ainda palavras elogiosas ao público presente na prova que foi um grande incentivo ao longo dos vários quilómetros.

Famalicão

Marisa Barros estreia-se em Famalicão com vitória

No sector feminino, a definição da vencedora foi mais fácil do que no sector masculino. Desde o início da prova que a veterana Marisa Barros do Sport Comércio e Salgueiros assumiu a dianteira na competição feminina e não deu azo a qualquer surpresa.

A correr pela primeira vez a prova, a atleta do clube portuense terminou a prova com 01:16:28. A completar o pódio ficaram duas atletas do Sporting Clube de Braga, Jéssica Pontes com 01:20:40 e Diana Almeida com 01:21:22.

A vencedora no final da prova comentou o seguinte à imprensa: “Foi a primeira vez que corri em Famalicão e estou muito feliz com esta vitória. Não é uma prova muito fácil porque é um carrossel, mas também não é muito difícil porque a estrada é boa e temos muito apoio popular a longo do percurso. O que mais atrapalhou terá sido o vento. A concorrência era boa, mas impus desde logo o meu ritmo com os meus colegas que me ajudaram e depois foi só gerir a distância”.

Famalicão

A prova teve vencedores por escalão e estes foram os seguintes:

Na competição masculina venceram João Antunes do CDS Salvador do Campo (Séniores), José Moreira do Sporting C. P. (M35), Paulo Paula da Run Tejo (M40), Davide Figueiredo do Figueiredos Runners & Friends(M45), António Fernandes do G. D. C. Guilhovai(M50), Augusto Antunes da Arpo(M45), Pedro Terra do S. S. De São João Da Madeira(M60).

Na competição feminina triunfaram Jéssica Pontes do S. C. Braga (Séniores), Marisa Barros do S. C. Salgueiros (F35), Anabela Silva da Escola Atletismo Rosa Oliveira (F40), Carla Machado do Luz E Vida Gondomarense (F45), Etelvina Rocha do Nascidos Para Correr (F50), Fátima Garcia (F55), Conceição Grare da Clínica Medica Da Foz (F60).

Visualize aqui a sua classificação.

OPraticante.pt

O projecto OPraticante.pt esteve presente na meia maratona com atletas em três frentes, em nome individual do projecto, em parceria com a Afipre Team e em parceria com atletas que representaram o nosso projecto ao terem ganho dorsais no nosso passatempo. Eis os resultados:

Tiago Lopes – OPraticante.pt

Tiago Lopes obtém novo recorde pessoal na distância

Tiago Lopes foi o único atleta a representar o OPraticante.pt em nome individual e fê-lo da melhor forma possível ao obter um novo recorde pessoal na distância depois de terminar a prova com 01:29:30 em 156º da geral e 38º no escalão sénior. Eis o comentário do nosso atleta a marca que obteve na prova:

Tinha o objectivo claro de fazer o meu recorde pessoal. Tinha feito esta meia maratona no ano passado e tinha gostado muito, mas este ano tinha outro patamar diferente, que era baixar 1h30min. Conhecendo o percurso e controlar a prova seria importante para conquistar esse objectivo mas ter partido no bloco C, podia ter dificultado a missão mas consegui recuperar na parte inicial e manter um ritmo ideal até ao final da prova, conseguindo com emoção um recorde pessoal, de 1h28min. De referir também o fantástico apoio dos Famalicenses, foram incríveis durante todo o percurso e conquistar este recorde pessoal com o nosso Praticante ao mais alto nível é mesmo gratificante!!

Famalicão
Chisoka Simões – OPraticante.Pt / Afipre Team

Chisoka Simões lidera equipa OPraticante.pt-Afipre Team

Como mencionado, o nosso projecto participou no evento em parceria com a Afipre Team, equipa do concelho de Vila Nova de Famalicão com a qual temos uma parceria há já alguns meses. No total foram catorze atletas a representar esta parceria no evento e onde se destaca o resultado de Chisoka Simões que terminou a prova com 01:19:51 no 48º lugar da geral e 18º sénior. Eis os resultados completos da equipa:

Chisoka Simões (48º geral / 18º sénior) – 01:19:51 # Jacinto Fonseca (118º geral / 13º M45) – 01:26:54 # Vítor Mota (120º geral / 16º M45) – 01:27:00 # Hélder Borges (128º geral / 31º M40) – 01:27:47 # Luciano Pena (149º geral / 35º sénior) – 01:29:12 # António Carvalho (159º geral / 26º M45) – 01:29:38 # Marco Andrade (177º geral / 46º M40) – 01:30:54 # Marcelo Costa (280º geral / 62º M40) – 01:35:24 # Heitor Ortiga (365º geral / 23º M55) – 01:38:07 # Eduardo Barbosa (397º geral / 83º M40) – 01:39:03 # António Rodrigues (438º geral / 16º M60) – 01:40:32 # Bruno Duarte (491º geral / 107º M40) – 01:42:18 # Paulo Abreu (493º geral / 84º M45) – 01:42:21 # Nuno Fernandes (1085º geral / 190º sénior) – 02:19:01

Vencedores do passatempo OPraticante.pt / Meia Maratona de Famalicão

No evento participaram ainda dois atletas que ganharam um dorsal para a prova no passatempo levado a cabo por nós nas nossas redes sociais e assim participaram em parceria com o nosso projecto e equipa que representam. Eles foram José Rocha do Sport Comércio e Salgueiros que terminou com um tempo de 02:20:08 no 1086º da geral e 157º M35 e Fátima Marinho da equipa Sem Medo que cortou a linha de meta com 02:23:40 em 1090ª da geral e 27ª no escalão F35.

Eis os comentários à prova dos vencedores do nosso passatempo

José Rocha – OPraticante.pt / Sport Comércio e Salgueiros

José Rocha declarou “Manhã fria e com muita chuva numa prova dura, mas muito bonita em Vila Nova de Famalicão. Sendo um treino longo para a próxima prova do Gerês. Agradecimento especial, pela oportunidade de participar nesta prova e representar o OPraticante.pt / Sport Comércio e Salgueiros.

Fátima Marinho referiu “Foi a minha primeira meia maratona e logo na minha cidade. Foi uma prova dura, desafiadora e muito bem organizada. Durante o percurso teve sempre público apoiar o que torna muito gratificante. De uma certeza eu tenho para o ano voltarei. Obrigado OPraticante.pt por ter dado o incentivo em participar.

Fátima Marinho – OPraticante.pt / Equipa Sem Medo

Evento com organização irrepreensível e de grande qualidade

A 6ª Meia Maratona de Famalicão com uma organização da RunPorto, sabia-se de antemão que tudo seria pensado ao pormenor e que tudo iria correr a bom nível. De facto, assim foi! Tudo decorreu com qualidade e fruto da grande experiência da organização.

No local de partida e chegada da prova como habitualmente, estavam todas as valências para uma prova de qualidade. Guarda-roupa, espaço de massagens, casas de banho e uma zona de chegada e abastecimento com um espaço amplo para se poder escoar os atletas sem pressas nem confusões.

No espaço de partida, todo o local estava vedado e isolado e uma saída com blocos de tempo sempre ajuda a uma partida mais simplificada e sem atropelos. A animação desde cedo foi notória no local e que satisfez tanto quem ia correr como quem ia caminhar.

Famalicão

Excelente kit de atleta

O secretariado da prova funcionou durante Sábado e Domingo na Casa do Território no Parque da Devesa. Aquando do levantamento do dorsal no Sábado de tarde, a entrega do dorsal decorreu sem demoras uma vez que o staff presente estava bem coordenado.

No levantamento do dorsal, os atletas recebiam um saco plástico com uma t-shirt técnica azul alusiva à prova., umas meias técnicas, sendo quer a t-shirt quer a as meias da marca do patrocinador da prova, o dorsal com chip, água com sabor, pacote de leite, um calendário, amostra de suplemento de magnésio e folhetos para provas futuras. Após a prova, os atletas para além da medalha finisher recebiam um abastecimento final com água, sumo, barras energéticas e fruta.

Para um preço de inscrição de 10/12 euros, o que os atletas receberam está a um nível excelente e atrevo-me a dizer que é uma das provas com melhor relação entre o que se paga e o que se recebe no calendário de provas.

Percurso marcado pela animação e apoio

Se há algo que os atletas que estiveram presentes na prova não se podem queixar é de apoio, este esteve em vários pontos do percurso. Na parte que decorreu na cidade, estiveram presentes vários grupos a animarem os presentes seja com performances ao vivo seja com pontos de música com colunas.

Fora da cidade e até Telhado em muitos locais haviam pontos de animação, seja nos cruzamentos das aldeias, nos espaços de restauração e mesmo nos pontos de abastecimento.

Famalicão

Grande apoio popular durante o evento

Toda a gente disse o mesmo, a meia maratona de Famalicão tem um excelente apoio e adesão popular. Na cidade eram muitos os presentes na beira da estrada a aplaudirem, mas o mais bonito foi mesmo ver os habitantes das aldeias onde passava a prova a virem para os cruzamentos aplaudirem os atletas e em muitos casos a “meterem-se” com os atletas mais atrasados. São momentos destes que fazem falta ao atletismo!

Prova com bons abastecimentos

A meia maratona teve quatro abastecimentos para além do abastecimento final. Seguindo as regras da IAAF com abastecimentos a cada cinco quilómetros, a prova teve nos seus abastecimentos, água, isotónico e marmelada. De notar ainda, que em todos os pontos de abastecimento havia vários locais para se depositar o lixo, ou seja houve uma preocupação ambiental no evento.

Em termos de organização do percurso, este esteve irrepreensível sempre com todos os cruzamentos isolados, tudo bem sinalizado, desde os pontos de retorno, pontos de abastecimento e quilometragem.

Famalicão

Famalicão, uma cidade que vive o desporto

Quem vive próximo do concelho de Vila Nova de Famalicão pode sentir um pouco de inveja pois Famalicão é uma cidade e um município que apoia o desporto e os diversos eventos que acontecem ao longo do ano na sua área territorial. Não vale a pena entrar em detalhes sobre o que se faz ao longo do ano, mas neste evento em específico, a cidade de Famalicão mostrou a postura que se deve ter quando há um evento desportivo na cidade.

Paulo Cunha – Presidente da Câmara Municipal de Famalicão com Jorge Teixeira, diretor-geral da RunPorto

Um Presidente da Câmara que dá o exemplo

Costuma-se dizer que quem tem a responsabilidade deve dar o exemplo e em Famalicão apostasse no desporto porque à frente dos destinos da autarquia está um atleta, Paulo Cunha.

Como habitualmente faz em várias provas de atletismo que acontecem na cidade, o edil que representa a equipa dos Gaviões apresenta-se na linha de partida e nesta meia maratona não foi excepção e mais uma vez fez os vinte e um quilómetros. Para a história fica o seu valoroso tempo de 01:36:26.

Após a prova, Paulo Cunha em declarações à imprensa, mencionou que o seu tempo de prova tinha sido melhor que em edições anteriores e que esse desempenho se deveu ao enorme apoio popular que se sentiu durante a prova. O edil agradeceu aos famalicenses por virem para as ruas e à organização do evento.

Paulo Cunha destacou ainda a internacionalização da prova que teve atletas de dezasseis nacionalidades diferentes que mostra o valor internacional da prova e prometeu que a prova irá continuar a se realizar pois enquanto houver gente que justifique a sua realização, a meia maratona de Famalicão irá continuar a acontecer.

Meia Maratona de Famalicão, uma prova de qualidade

A Meia Maratona de Famalicão é uma das provas do calendário desportivo que desde a sua a criação em 2014 tem conseguindo manter a sua adesão quase inalterável, rondando esta entre os 1100 a 1200 entre os atletas finalizadores na meia maratona. Este ano o número de finalizadores foi de 1111, um número superior aos 1086 do ano transacto.

Juntando este valor aos participantes na caminhada, teremos uma adesão global ao evento superior às duas mil pessoas o que é um número excelente e ainda tendo em conta que a manhã não estava propicia a muitas saídas de casa.

A organização da prova ficou satisfeita com o evento e Jorge Teixeira, diretor-geral da RunPorto em declarações à imprensa, ficou contente com a disputa que houve na corrida quanto ao vencedor, referiu a adesão popular que a prova, elogiando os famalicenses, ao dizer que a cidade se engalanou e veio para a rua.

Em relação ao OPraticante.pt, somos da opinião que esta é uma meia maratona de grande qualidade, uma das melhores do Norte de Portugal, onde o percurso é interessante, o preço é convidativo e o que se recebe está ao mesmo nível do que se paga, logo é uma relação custo/beneficio positiva e portanto uma excelente opção para quem quer realizar uma meia maratona de Outono.

Famalicão

Texto: Nuno Fernandes
Fotos: Runporto

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta