Frederico Figueiredo da EFAPEL destaca-se em Espanha

Frederico Figueiredo

Frederico Figueiredo

Frederico Figueiredo da EFAPEL na frente do pelotão a pedalar em força, mostrou-se muito competitivo demostrando de que era capaz de seguir na frente e foi o melhor classificado da equipa.

Antes já com António Carvalho tinha estado na fuga do dia até aos 71 quilómetros da meta, onde foi absorvido pelo pelotão.

Foi no norte de Espanha, em Navarra, que a equipa portuguesa de ciclismo da EFAPEL iniciou este sábado a sua época de 2021, no 22º Grande Prémio Miguel Indurain, onde os seus ciclistas se destacaram com uma brilhante exibição.

Texto: José Morais – Noticias do Pedal
Foto: EFAPEL

EFAPEL destaca-se em Espanha com prestação de Frederico Figueiredo

A equipa portuguesa que se apresentou em Navarra com o uruguaio Mauricio Moreira, Frederico Figueiredo, André Domingues, Fábio Costa, Rafael Reis, Luís Mendonça e António Carvalho, estes dois últimos os únicos que transitaram da época de 2020, teve pela frente 203 quilómetros, e enfrentou algumas equipas de renome do pelotão mundial como a Ineos, a Astana, a Movistar e a UAE Emirates, a qual participou sem nenhum português.

EFAPEL
Representação da EFAPEL

 A Efapel que deu nas vistas ao conseguir em primeiro colocar António Carvalho na fuga do dia, e depois teve a cortar a meta final em 30º lugar a 01m18s Frederico Figueiredo, o uruguaio Maurício Moreira conseguiu um 57º lugar a 08m06s.

Não tão positivo estiveram André Domingues, Fábio Costa, Rafael Reis, Luís Mendonça, e António Carvalho que esteve em fuga, que acabaram por abandonar a prova.

No final, a Efapel considerou esta sua participação em Espanha muito positiva.

Alejandro Valverde
Alejandro Valverde

Alejandro Valverd, um ciclista completo na atualidade

A formação de Águeda, que se estreou na época de 2021 apresentou-se na máxima força no 22º Grande Prémio Miguel Indurain, o qual teve como grande vencedor Alejandro Valverde da Movistar Team.

Alejandro destacou-se do pelotão, e acabou vencedor isolado da prova, a qual conquistou pela terceira vez, e de salientar a vitória do ciclista de Múrcia que irá completar no próximo dia 25 de abril 41 anos de idade.

O espanhol, é considerado por muitos, o ciclista mais completo da atualidade, conta com inúmeras vitórias, a destacar triunfos no Campeonato do Mundo em 2018, na Volta a Espanha, Fléche Wallone ou a Liège-Bastogne-Liège, vice-campeão do Mundo e em 2006 foi 3º nesses mesmos campeonatos, é dotado de uma grande explosão, e de uma boa ponta final, Valverde é um excelente trepador, mas também um homem para clássicas.

Foi considerado o homem para o futuro em 2005, gaba-se de ter sido o único a acompanhar Lance Armstrong na subida para o Courchevel, a qual era considerada uma das mais duras montanhas na edição do Tour desse ano, na qual acabou mesmo por vencer a etapa.

Valverde ganha em 2006 duas clássicas das Ardenas, e termina em 2º na Volta a Espanha, destacando-se em 2007 nos Alpes.

Impedido em 2009 de participar no Tour após castigo por doping em Itália, conseguiu salvar o ano com a conquista da Volta a Espanha, como ainda o prémio de combinado.

O veterano da Movistar que já mostrou intenção de se aposentar da competição em 2021, tem como objetivos principais de 2020 os Jogos Olímpicos em Tóquio que foram adiados para este ano.

Valverde teve a sua primeira vitória no Grande Prémio Miguel Indurain em 2014, repetindo em 2018, e este ano, oteve a sua terceira vitória, numa carreira que conta com mais de uma centena de vitórias profissionais.

Não conseguiu ganhar nada em 2020, mas esta vitória soube-lhe bastante bem, já que foi o ciclista com mais idade a ganhar, de relembrar que está quase a contemplar os 41 anos de idade.


Parceiros

Deixe uma resposta