Coluna Dto
Coluna Esq

João Carlota lidera com a melhor volta de sempre

João Carlota assumiu ontem (sexta-feira) o comando do Solverde Campeonato Nacional PGA, após uma segunda volta recorde de 63 pancadas, 8 abaixo do Par do Oporto Golf Club, enquanto no torneio feminino, que ontem arrancou, Susana Ribeiro e Leonor Bessa estão empatadas com 72 (+1), o mesmo resultado que deu a liderança a José Dias na competição de seniores.

Títulos de campeões nacionais atribuidos hoje

O Solverde Campeonato Nacional PGA atribui hoje (Sábado) os títulos de campeões nacionais nas três categorias, depois de concluídas as segundas voltas feminina e de seniores e a terceira ronda masculina.

O torneio sancionado pela Federação Portuguesa de Golfe é organizado pela PGA de Portugal pelo quarto ano consecutivo no Oporto Golf Club, em Espinho, e distribuiu 13 mil euros em prémios monetários. O programa oficial só termina no Domingo com a disputa do Mateus Rosé Pro-Am.

Carlota
João Carlota

João Carlota vai na frente

João Carlota vai na frente com um agregado de 131 pancadas, 11 abaixo do Par do campo de Espinho, após voltas de 68 e 63, e dispõe de uma vantagem de 1 ‘shot’ sobre Tomás Silva (67+65) e de 2 do líder de ontem, João Ramos (65+68).

As 63 pancadas, 8 abaixo do Par de João Carlota foram o melhor resultado de sempre no Oporto Golf Club em Campeonatos Nacionais, superando as 64 (-7) de Tiago Cruz há dois anos e as 65 (-6) de Ricardo Melo Gouveia há três anos.

O profissional da Hilti assinou um cartão quase perfeito, sem qualquer bogey, com 1 eagle no buraco 9 de Par-5 e mais 6 birdies, com destaque para aquela série de eagle-birdie-birde entre os buracos 9 e 11. João Carlota tirou muito bom partido dos Par-5, pois também fez birdie no 18, pelo que jogou hoje os Par-5 em -4!

«Hoje foi um dia muito bem conseguido. Estive tranquilo do início ao fim, dei bons ‘shots’ ao green e isso foi essencial hoje porque coloquei a bola muitas vezes perto da bandeira», disse o jogador do Dom Pedro Golf Collection, que no ano passado só foi superado neste torneio por Filipe Lima.

«É sempre bom estar na frente»

«É sempre bom estar na frente. Agora, amanhã há que continuar com as mesmas rotinas e objetivos e vamos ver se as coisas acontecem para o meu lado», acrescentou o algarvio, que este ano foi 3.º classificado no Obidos International Open, um torneio de 30 mil euros em prémios, integrado no Alps Tour Golf, uma das terceiras divisões do golfe profissional europeu.

José Dias, campeão nacional de seniores em 2012, então na Quinta do Peru, com uma volta de 72 (+1) cavou um fosso de 4 pancadas em relação ao campeão nacional desse escalão etário de veteranos de 2017, Elídio Costa, com 76 (+5). Joaquim Sequeira, campeão nacional de seniores em 2015 e 2016 no Oporto, é 3.º com 78 (+7).

José Dias

Dos 36 jogadores em prova, 11 estão agora abaixo do Par e há ainda muitos candidatos ao título. Mesmo Ricardo Santos, o campeão nacional de 2011 e 2016, no 8.º lugar (70+67), ainda não está arredado de um terceiro título, pois dista apenas 6 pancadas de Carlota.

Kiko Matos Coelho, de apenas 15 anos, continua a ser o melhor amador, num positivo 13.º lugar (70+72), a Par do campo

Luta acesa pelo titulo

No torneio feminino a luta pelo título está acesa, dado o empate de Susana Ribeiro e Leonor Bessa, embora com voltas bem distintas. Leonor, de 20 anos, a jogar o seu primeiro torneio como profissional, foi bastante regular.

A ainda bicampeã nacional amadora liderou a prova durante muito tempo, dado que a sua rival e amiga sofreu bogeys nos buracos 2 e 3. No entanto, Susana, de 28 anos, recuperou com birdie-bogey-Par-birdie entre os buracos 11 e 14.

Susana Ribeiro

«Não foi uma volta muito regular, embora pareça pelo cartão, mas houve momentos em que suei para salvar o Par em vários buracos.
Aqueles 2 birdies foram bons porque não tive muito mais oportunidades de birdie, dado que andei quase sempre fora dos 5 metros da bandeira», disse a tricampeã nacional, Susana Ribeiro.

«O jogo correu mais ou menos. Vinha com 1 abaixo do Par no 15, mas nesse buraco fui à água e fiz 1 duplo-bogey.
Isso que fez com que terminasse com +1.
Se amanhã não cometer erros em buracos fundamentais poderei fazer um resultado melhor», declarou Leonor Bessa.

Leonor Bessa

[dividir ícone = “círculo” width = “médio”]

Texto: Hugo Ribeiro
Foto: Ricardo Lopes / PGA de Portugal

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta