José Cabeça, um eborense no Mundial de Esqui Nórdico

A competição, a 42ª edição, decorre a partir de hoje 22 de fevereiro até 7 de março, e conta com a presença do eborense José Cabeça.

Texto: Carlos Neves

Visualize o vídeo da entrevista.

Página do atleta.

Visualize também San Diego ao Havai, a história do Triatlo

José Cabeça

Eborense José Cabeça notabilizou-se no triatlo

O eborense José Cabeça, que nos últimos anos se notabilizou no triatlo, tendo já representado Portugal em competições internacionais, irá marcar presença no Campeonato do Mundo de Esqui Nórdico, agendado para a cidade de Oberstdorf, na Alemanha, entre os dias 22 de fevereiro e 7 de março.

Atualmente a trabalhar no Dubai, onde possui o estatuto de Residente, José Cabeça, de 24 anos, irá competir nos 10 Km Estilo Livre (Cross Country), prova que está agendada para o dia 24 (quarta-feira), às 14h30.

As minhas expetativas são excelentes.

Estou muito motivado pois é o primeiro Campeonato do Mundo em que vou participar” confidenciou.

Acrescentando “Sou atleta desde os cinco anos e vou finalmente ter a minha estreia.

Imagino-me no meio de atletas de grande nível mundial e só posso estar contente.

Claro que o meu nível é ainda inferior, mas quando penso que comecei do zero numa modalidade e em apenas um ano consegui evoluir sozinho o suficiente para me apurar para o Campeonato do Mundo, só posso estar ansioso e motivado”.

Licenciado em treino desportivo, José Cabeça explica como têm sido os últimos dias que antecederam a partida para a Alemanha:

o Dubai tem excelentes condições para qualquer atleta. Um clima bom e ótimas infraestruturas.

Além disso, com a boa gestão que o Governo do Dubai fez da pandemia, a situação está controlada e por isso está tudo a funcionar com todas as regras de higiene e segurança necessárias.

Assim, disponho de todas as condições para treinar, tanto triatlo como ski: piscina, ginásio, pista de ciclismo e até pista de Ski Alpino com neve.

A minha preparação tem sido constante e intensiva a todos os níveis, para estar na melhor forma possível para as provas que vou realizar”.

Sonho olímpico de José Cabeça

Para além da pressão natural sobre quem vai estar pela primeira vez junto dos melhores dos melhores na competição rainha desta especialidade, José Cabeça “carrega” ainda o sonho de obter os mínimos para poder representar Portugal nos jogos olímpicos de inverno, em Beijing 2022, e assim tornar-se no primeiro Alentejano a consegui-lo.

Terá de obter um dos 30 melhores tempos.

Penso que a qualificação é alcançável.

Mas, claro, não vai ser fácil.

É o meu primeiro Campeonato do Mundo, o nível vai ser muito alto e espero estar à altura e conseguir resultados positivos.

Tenho a certeza que vou dar o meu melhor e espero agarrar esta oportunidade para concretizar o meu maior sonho que é estar presente como atleta nos Jogos Olímpicos.

Vamos ver como vai correr”.

José Cabeça

Provas Ironman

Já com um longo currículo de sucesso no triatlo e em provas Ironman, o aparecimento de um desporto de inverno na vida deste alentejano por mais antagónico que possa parecer acaba por fazer algum sentido.

Referindo “O Cross-Country surgiu enquanto assistia aos Jogos Olímpicos de Inverno de 2018.

Porque razão não existe um atleta eborense/alentejano/português a praticar desportos de inverno?

Logo me ocorreu que poderia ser a minha oportunidade.

Fiz alguns contatos que deram frutos e comecei a treinar Roller-Ski (modalidade que substitui o ski quando não há neve).

Não foi nada fácil pois aprendi tudo sozinho sem nenhum treinador.

Fui evoluindo favoravelmente e quando passei para o treino na neve, comecei a acreditar que tudo é possível.

Fiz um estágio em Font-Romeu, França, no início de 2020 e continuei a minha evolução até que me qualifiquei para o Campeonato do Mundo”.

Comecei com o Karaté, depois a natação e a seguir o triatlo pela mão de grandes amigos que já o praticavam.

O Triatlo é uma modalidade muito exigente tanto física como psicológica.

Não é fácil treinar três desportos diferentes e durante tantas horas por dia.

É preciso uma grande vontade, espírito de sacrifício e acima de tudo, cabeça no sítio certo.

Tudo isso me fez crescer e fortalecer como atleta”, recorda.

Levar o Alentejo além-fronteiras

Se a atual situação pandémica assim o permitir, as perspetivas desportivas de José Cabeça para 2021 são promissoras e, para além das conquistas desportivas individuais, as suas origens poderão também ganhar.

Concluindo “Este ano, se tudo correr bem, vou participar em três Campeonatos do Mundo: o de Cross-Country Ski na Alemanha, o de Triatlo de Inverno em Andorra e finalmente o IronMan 70.3 nos Estados Unidos.

Seria muito bom se conseguisse ter resultados positivos em todos eles. Seria excelente para mim como atleta e como treinador.

E Évora e o Alentejo poderiam ter algum orgulho em mim.

Então se conseguir a qualificação para os Jogos Olímpicos de Inverno de 2022, espero que se fale muito de Évora e do Alentejo”.

B.I.

Nome: José Cabeça
Idade: 24 anos
Naturalidade: Évora
Formação: Licenciatura em Treino Desportivo – Modalidade Natação – na Escola Superior de Desporto de Rio Maior – Instituto Politécnico de Santarém

Para além de representar Portugal em Triatlo, José Cabeça conta já no currículo:

Vitória no Ironman 70.3 de Cascais que se realizou em Setembro de 2019. – 1º Lugar (Age Group 18-24) e 1º Lugar (Age Group de Portugal).

Alem disto conseguiu a qualificação para o Mundial de 2020 na Nova Zelândia, que por causa da pandemia será disputado, em 2021, nos Estados Unidos.

É também Campeão Nacional e Ibérico (Age Group 20-24) de 2020 de Triatlo de Média Distância.

Parceiros

Deixe uma resposta