Maratona e Meia Maratona do Festival Bike 2014

Realizou-se neste fim-de-semana, dia 18 de outubro, em Santarém, integrado na programação do Festival Bike 2014 uma maratona e uma meia maratona.

Este evento contou com um grande staff para um evento desta dimensão, com 1379 participantes divididos pelas distâncias de 90 km (195 inscritos) e nos 40 km (1184).

Os participantes estiveram divididos por boxes ( 0 a 12), identificadas nos próprios dorsais e posteriormente controladas pelo staff .

Os praticantes tiveram a oportunidade de fazer o seu aquecimento em bicicletas de ginásio que foram colocadas para esse efeito junto à zona da partida, e em simultâneo decorria um show da equipa “Trialportugal”. As partidas foram espaçadas com um intervalo de 10 minutos.

Aqui ficam as declarações de Hugo “Espigão” Carvalho sobre o evento

Após um mar de críticas ao percurso da edição anterior, sabia que este ano a Organização iria “limpar” um pouco essa questão, presenteando todos os participantes com um percurso muito bem desenhado tendo em conta o mau tempo da semana anterior.

Alterações de última hora foram feitas, os trilhos e singles escolhidos levaram-nos a zonas mais pedregosas e não houve nenhuma zona mais crítica que fossemos obrigados a fazer longas caminhadas com a bike às costas como aconteceu o ano passado.

Prestação: Com várias motas profissionais da estrada presentes, o arranque já se esperava fortíssimo e assim foi. Não consegui ir junto do grupo da frente mas mantive-o sempre a pouca distância. Os pulmões ardiam (já esperava) e as pernas idem fruto de algum cansaço acumulado da semana. Mantive o mesmo ritmo e após o grupo da frente abrandar mais um pouco, lá consegui alcança-los. No primeiro e longo single track do percurso após uma paragem do Vítor, parei também logo a seguir com uns ramos enfiados da cassete e desviador e foi o suficiente para perder o grupo da frente de vista.

Passados uns km´s comecei a apanhar o grupo da frente mais partido e já algumas motas tinham abalado. Não fazia ideia quantos iam na frente e quando os pulmões e pernas começavam a responder melhor, meti um ritmo mais forte numa zona de autêntico parte-pernas e atrás de mim só veio o meu compadre Luís Marques. Fixe! Chegou a ficar um pouco para trás mas abrandei um pouco o ritmo para que se juntasse a mim e lá seguiu na minha roda. Ainda conseguiu por uns km´s ajudar-me na sua roda mas o problema eram as subidas onde a forqueta de carbono começava a fazer o seu efeito. Apesar de abrandar o ritmo várias vezes reparei que o Luís já não conseguia mais acompanhar-me e mesmo por sua vontade pediu que seguisse. Comecei então aí a perseguição ao Carlos Coelho e ao Nuno Inácio, uma perseguição que sabia não iria ser fácil. No entanto uns km´s depois começo a avistar o Carlos Coelho com algumas dificuldades em estradões contra o vento e fui rápido a alcança-lo. O Carlos ainda segui na roda uns km´s mas também começar a ficar para trás a não aguentar o ritmo. Uma máquina o Carlos mas os 59kg contra o vento não ajudam muito…

Ficava só então na perseguição ao Nuno Inácio se é que se pode chamar de perseguição porque o tempo de diferença aumentava e aumentava. hehe. Às tantas quando me disseram que ele já levava 7m abrandei um pouco mais o ritmo sem nunca desistir de o alcançar claro mas comecei a gerir melhor o esforço. Sol de pouca dura porque ao longe aparecia o 3º classificado e então volto novamente a meter um ritmo mais forte até ao final que realmente favorecia as minhas características mais rolantes. Perto do final aconteceu algo que nunca apanhei até hoje: cerca de 8km com um batedor à minha frente só para mim. O transito afastava-se todo, tudo se afastava para eu passar e eu elá!!! Lol Ainda mais força ganhei… hehe, nunca tinha visto tal coisa… lol

Acabei então por chegar à meta com 10m de diferença para o grande Nuno que está imparável. Os meus parabéns a ele e a todos os restantes vencedores.

Quanto à Organização a nível de desenho do percurso, apoio ao longo do mesmo, sinalização, sem nada a apontar. Conseguiram “parar Santarém” e nada falhou desde a partida até ao final onde como sempre um grande ambiente imperou. Só tenho mesmo um pormenor a apontar que foi o facto dos troféus não estarem altura da grande festa da entrega de prémios. Troféus de plástico??!… Mas é só um pormenor. De resto 5 estrelas e este evento costuma ter altos e baixos de uma edição para outra, por isso para ao ano o que aí virá. Por este, têm os meus parabéns!

E termina Jorge Rabaça falando do términus do evento e dos seus vencedores

Na meia maratona (40 km), o vencedor com 01:30:19.61 foi Renato Ferreira (Saertex Portugal – Edaetech), na segunda posição a 1m47s01 da vitória ficou Dário Pereira (RIBABIKE / Rprojeto) e a completar o pódio ficou Lucio Oliveira (Team MaisPedal) a 1m49s76.

Já na maratona (90 km), o primeiro a chegar foi Nuno Inácio (Viveiros Vítor Lourenço) com um tempo de 02:47:35.62, a pouco mais do que 10 minutos de atraso chegou Hugo “Espigão” Carvalho (Superbikes/Olympia/Espigão-sup) e a cerca de 13 minutos chegou Pedro Dias (EDV-VEB VianaCycles | Entrepor), respetivos segundo e terceiro lugar.

Na zona da chegada, a Organização tinha a habitual zona de abastecimentos líquidos e sólidos, igualmente serviu de local de convívio entre os participantes.

Entre as equipas participantes teve presente, vinda de Espanha a equipa “Grupeta Nueve Treinte”, onde esteve integrada a acompanhar, a campeã de Espanha Master 30 BTT Alicia Campanón.

Texto: Hugo “Espigão” Carvalho / Jorge Rabaça
Fotos de: Jorge Rabaça

Parceiros

Deixe uma resposta