Nelson e Tiago com o objetivo de melhorar os resultados no Campeonato do Mundo

Nelson Oliveira e Tiago Machado são, pelo segundo ano consecutivo, os representantes da Seleção Nacional/Liberty Seguros no contrarrelógio de elite do Campeonato do Mundo. Os dois portugueses competem na prova de 47,1 quilómetros, que vai realizar-se em Ponferrada, Espanha, na tarde desta quarta-feira, dia 24 de setembro. A meta principal de ambos os atletas é melhorar as respetivas classificações, relativamente a 2013, ano em que Nelson Oliveira foi o 15.º classificado e Tiago Machado estabeleceu o 39.º registo.

“Venho com ideias de melhorar o resultado do ano passado. Seria bom entrar nos dez primeiros”, afirma Nelson Oliveira. “Vou dar o máximo em prol do meu país. Lutarei por fazer melhor do que há um ano, até porque esta época correu-me bem, ao contrário da anterior, chegando aqui com mais moral, o que pode ser determinante naqueles momentos em que a força física já é pouca e é necessário força mental para fazer a diferença”, explica Tiago Machado.

O primeiro a ir para a estrada é Nelson Oliveira, às 14 horas e 2 minutos. Tiago Machado parte às 14 horas e 30 minutos. O selecionador nacional, José Poeira, pretendia que a ordem fosse inversa, mas a UCI estabelece a grelha de saída de acordo com o ranking de mérito, não tendo atendido à pretensão da equipa técnica nacional. “Acho que temos todas as condições para colocar os dois corredores nos 20 primeiros, o que seria um bom resultado”, entende o selecionador.

Nelson Oliveira dividiu a temporada em duas partes: até à Volta a França trabalhou de acordo com as necessidades da equipa que representa, a Lampre-Merida, mas, desde então, teve liberdade para preparar pormenorizadamente a prova desta quarta-feira. “Desde o Tour tenho vindo a fazer trabalho específico de contrarrelógio. Empenhei-me ao máximo para chegar bem a Ponferrada. Resta-me agora esperar que esse esforço dê frutos e que possa estar num bom dia no contrarrelógio”, confessa o ciclista natural de Anadia.

Os 47,1 quilómetros de luta contra o tempo terminam com na parte mais difícil dos circuitos de fundo, levando os contrarrelogistas a fazer as duas subidas que, no domingo, poderão ser determinantes para encontrar o campeão mundial de fundo.

“O percurso é duro, o que se adapta a mim. Vai ser uma hora de esforço intenso, que irá tornar-se muito longa. O segredo passa por dosear bem o esforço nos primeiros 30 quilómetros, porque estou convencido de que o contrarrelógio se decidirá nas subidas”, analisa Nelson Oliveira.

Tiago Machado conhece parte do traçado, onde já correu em 2010, num contrarrelógio da Volta a Castela e Leão ganho por Alberto Contador e no qual o famalicense foi o 14.º. “Já fiz parte deste contrarrelógio, conheço bem as subidas e acredito que poderão favorecer-me. Ao longo da época tenho feito bons contrarelógios e ainda poderiam ter sido melhores se tivesse a oportunidade de fazer mais trabalho específico na cabra, o que aconteceu pouco em 2014”, diz Machado.

Parceiros

Deixe uma resposta