Olla de Nuria, os desafios do Golden Trail World Series

@GoldenTrailSeries / @Olla de Nuria / Foto: @jsaragossa

Depois da temporada ter sido alterada em 2020, o Golden Trail World Series voltou neste domingo, 13 de junho de 2021, para a primeira corrida da temporada nos trilhos de Olla de Nuria, nos Pirenéus espanhóis, que substituiu Zegama.

Um primeiro evento que contou com 614 participantes e estabeleceu padrões muito altos para o resto da temporada, com corridas intensas e excepcionais a mais de 2.000 m acima do nível do mar.

Texto: @GoldenTrailSeries
Fotos: @jsaragossa / @Philipp Reiter / Mário Leal

Quatro portugueses no Olla de Nuria

Quatro foram os portugueses presentes no evento, o melhor português foi Romeu Gouveia que obteve o 40º da geral com o tempo de 02h28m48s, Tiago Cantante Romão – 103º com 2h52m32s ambos em representação da Salomon 2Suunto, Dário Moitoso – 48º com 02h31m52s e Mário Leal – 152º com 03h12m26s que representaram o Azores Trail Run.

Olla de Nuria
Romeu Gouveia – @GoldenTrailSeries / @Olla de Nuria / Foto: @Philipp Reiter

Depois de ter falhado o Campeonato Nacional de Trail por motivo de lesão, este foi um bom regresso, nada melhor que começar a competir com os melhores para ganhar ritmo competitivo.

As maiores dificuldades foram as já esperadas, correr em altitude.

prova tinha com ponto de partida a estância de ski de Vall de Núria a 2000m de altitude, onde cerca de 70% da prova era feita acima dos 2700m.

Uma experiência fantástica, num percurso soberbo, só tenho a retirar pontos positivos e motivação para continuar a trabalhar para o grande objetivo que será o Campeonato Nacional de Ultra Trail no Porto da Cruz, Madeira a realizar-se a 18 Julho.” as palavras que Romeu Gouveia concedeu à nossa equipa de reportagem

Dário Moitoso – Foto: Mário Leal

Espero voltar a estar na seleção nacional com ele!”

Dário Moitoso o segundo melhor português referiu “Foi um fim de semana diferente!

Fiz a olla vertical no sábado e olla d’nuria hoje.. foi a estreia em provas tão curtas! E fiquei bastante satisfeito com ambos os resultados!

Foi um percurso espetacular de pura montanha, com uma altitude média de 2700m (que dificulta bastante que não treina em altitude como é o meu caso).

Foi a primeira prova a seguir ao acontecimento no nacional de trail na Batalha no passado mês de abril, e senti sempre muito receio nas descidas mais técnicas e com muita pedra solta.

Estou acima de tudo muito agradecido por ter voltado a competir, e poder estar neste circuito internacional com grande nível de competitividade é uma aprendizagem enorme.

Fico muito contente pelo resultado do Romeu, é um grande atleta, com um grande currículo, e é sempre um atleta a ter em conta! Espero voltar a estar na seleção nacional com ele!

Olla de Nuria
Mário Leal – @GoldenTrailSeries / @Olla de Nuria / Foto: @Philipp Reiter

Preparar a Gran Final do GTS National séries que se realizará no Triangle Adventure

Participei ontem no km vertical e hoje na prova.

Ambas bastante duras devido à altitude, que provoca algumas dificuldades a respirar, ao terreno com muito declive e muita pedra, com a agravante do calor e das provas serem em autosuficiência total, nem água há.

A organização é bastante boa e com o peso de 14 anos de experiência, tudo muito bem marcado e com comida e bebida no final.

Oferta de t-shirt, buff e fita de cabeça. Talvez a lamentar não haver uma medalha, ou algo de recordação tipo finisher.

Quanto há minha participação teve a ver a necessidade de reunir com o staff da Golden Séries para preparar a Gran Final do GTS National séries que se realizará no Triangle Adventure, nas ilhas do Pico, São Jorge e Faial no final do mês de outubro.” as palavras de Mário Leal responsável pela organização das provas de trail nos Açores

@GoldenTrailSeries / @Olla de Nuria / Foto: @Philipp Reiter

Olla de Nuria, 8h50

O silêncio da madrugada em Olla de Nuria foi substituído pela habitual emoção antes da largada.

O Olla de Nuria partiria em 10 minutos, um percurso técnico com mais de 70% dos trilhos a mais de 2.700 metros acima do nível do mar, é a primeira vez que esta corrida acontece no Golden Trail World Series, veio para substituir o cancelamento de Zegama.

@GoldenTrailSeries / @Olla de Nuria / Foto: @jsaragossa

Uma equipa do sexo masculino raramente vista:

Davide Magnini (Team Salomon, Itália);
Rémi Bonnet (Team Salomon, Suíça);
Nadir Maguet (Team La Sportiva, Itália);
Bartlomiej Przedwojewski (Team Salomon, Polônia);
Stian Angermund (Team Salomon, Noruega);
Nicolas Martin (Team Hoka One One, França);
Thibaut Baronian (Team Salomon, França)…
e a lista continua e tornava todos os prognósticos incrivelmente difíceis.

@GoldenTrailSeries / @Olla de Nuria / Foto: @Philipp Reiter

A equipa feminina também deu poucas certezas, Maude Mathys (Team Salomon, Suíça), vencedora geral do Golden Trail Championship nos Açores em 2020, é a que mais chamava a atenção.

Mas ao lado dela estão mulheres como Blandine L’Hirondel (Team Hoka One One, França);
Judith Wyder (Team Salomon, Suíça);
Rachel Drake (Team Nike Trail, EUA);
Denisa Dragomir (Team Red Bull / Merrell, Romênia);
Oihana Kortazar (Team Salomon, Espanha);
e Mathilde Sagnes (Team Hoka One One, França), também puderam deixar sua marca no percurso da corrida de hoje: 21,5km e 1.940 m V + e acima de uma altitude de mais de 2.000 metros.

Olla de Nuria
Stian Angermund – Foto: @jsaragossa

A surpresa no setor masculino com Stian Angermund a vencer

Esperávamos uma batalha intensa entre Rémi Bonnet e Davide Magnini na longa subida que levou os corredores ao ponto mais alto da corrida (5km e 1.000m vert + até o topo).

No final, foram os suíços que conseguiram uma vantagem de 25 segundos na frente do norueguês Stian Angermund, que entrou na batalha.

A partir de então, os dois homens escalaram a trilha em tandem ao longo da longa crista a mais de 2.700 metros de altura, combinando descidas técnicas e subidas íngremes radicais.

@GoldenTrailSeries / @Olla de Nuria / Foto: @Philipp Reiter

Se por muito tempo pensamos que teríamos de esperar pelo downhill final para ver o resultado desta dupla emocionante, uma queda repentina de Rémi Bonnet permitiu a Stian avançar e deixar apenas poeira no seu rastro.

O norueguês da Team Salomon cruzou a meta em um surpreendente 2h04 quase um minuto à frente do suíço, que cerrou os dentes para terminar a corrida com um corte profundo no braço e choque no peito.

É incrível ver toda essa energia” Stian Angermund brilhou na linha de chegada.

Há muito tempo que esperávamos por isto!

Só terminar uma corrida com uma multidão já teria sido suficiente para me deixar feliz.

Mas a verdade é que me senti bem hoje, senti que estava em boa forma nos treinos, mas é difícil de avaliar quando não corremos com ninguém há tanto tempo.

De qualquer forma, estou muito feliz com esta vitória.

Olla de Nuria
@GoldenTrailSeries / @Olla de Nuria / Foto: @Philipp Reiter

“Ele é um demônio da descida”

Rémi Bonnet também ficou satisfeito com esta primeira corrida, ele gostaria de ter continuado a disputa com seu companheiro de equipa por mais tempo.

Estávamos ambos indo muito bem. Fiz uma subida monstruosa, depois o segui pela crista.

Ele é um demônio da descida e tentei acompanhá-lo nas seções de descida …

Então, caí com força pouco antes da subida final.

Eu pensei em desistir, abri o meu braço, fiquei sem fôlego com o choque no peito e não conseguia respirar direito.

Parei por 30 segundos e depois continuei novamente. Stian aproveitou para acelerar, mas eu teria feito o mesmo“, ele riu.

@GoldenTrailSeries / @Olla de Nuria / Foto: @Philipp Reiter

Davide Magnini, por outro lado, não era só sorrisos … “Não foi um grande dia para mim, estou muito decepcionado.

Eu realmente esperava fazer melhor do que o terceiro, mas nunca tive força nas pernas! Não estava lá, não tive mola.

Passei a corrida inteira lutando comigo mesmo para chegar ao pódio, mas terei que fazer muito melhor nas corridas que virão.

Olla de Nuria
Maude Mathys intocável – @GoldenTrailSeries / @Olla de Nuria / Foto: @jsaragossa

Maude Mathys intocável no Olla de Nuria

No campo feminino, não foi surpresa ver a suíça Maude Mathys dominar a corrida do início ao fim.

Por conta própria desde a primeira escalada, ela continuou a aumentar a distância de avanço sobre as suas perseguidoras.

Corri a primeira subida muito rápido, porque estava com medo das partes técnicas na crista e nas seções de descida, ela explica.

Mas depois eu não tinha ideia de quais eram as lacunas entre nós e estava muito stressada para que as minhas perseguidoras não me apanhassem.

Eu também estava sofrendo com a altitude, mas quando vi que elas não estavam perto, me tranquilizou.

Maude Mathys terminaria quase 12 minutos na frente das suas perseguidoras.

@GoldenTrailSeries / @Olla de Nuria / Foto: @Philipp Reiter

Olla de Nuria assistiu a uma disputa impiedosa pelo pódio

Atrás dela, várias mulheres estavam envoltas numa disputa impiedosa pelo pódio.

Entre elas, Judith Wyder terminaria conquistando a segunda posição graças ao seu grande esforço na última subida e enorme descida.

Para mim é uma grande vitória pessoal hoje, disse ela no meio de lágrimas no final da sua prestação.

Acabei de voltar da minha segunda gravidez e tive que treinar muito para voltar a este nível. Não tinha ideia de que nível poderia chegar.

Maude está noutra galáxia, vou precisar treinar ainda mais para voltar ao meu melhor nível, mas hoje só quero saborear este resultado, que significa muito para mim.

Olla de Nuria
@GoldenTrailSeries / @Olla de Nuria / Foto: @Philipp Reiter

Atrás, Oihana Kortazar foi a grande corredora do dia, terminando na terceira posição desta corrida muito difícil.

É uma grande surpresa! Não tinha a menor ideia de que iria terminar aqui no pódio hoje!

Ela referiu “Disse a mim mesma antes do início que um top 5 já seria um excelente resultado.

Mas conseguir um lugar no pódio? Impensável!

Quando olho para os Açores, onde estive sempre atrás de corredoras como a Rachel ou a Blandine… Sinceramente, é fantástico e estou muito feliz!

Encontramo-nos em Chamonix (França), no dia 4 de julho, para a Maratona do Mont-Branco, a segunda etapa do Golden Trail World Series 2021.

Sitio oficial do evento.
Evento no Facebook.
Instagram do evento.
Evento no YouTube.

Resultados

Parceiros

Deixe uma resposta