Pantera: Raça Boavisteira exaltada debaixo de chuva

pantera

A cidade do Porto, repleta de história desportiva e de grandes clubes tem uma profunda história ligada ao atletismo. Actualmente, muitos são os clubes portuenses ligados ao atletismo, mas havia um clube que faltava ter a sua corrida, a sua festa, mas isso foi alterado com o Boavista Futebol Clube a apresentar a primeira edição da Corrida da Pantera, numa organização da Proevents.

Corrida da Pantera

A Corrida da Pantera aconteceu no Domingo (17) de novembro pelas 10:00 horas na cidade do Porto e foi uma organização ProEvents, com o apoio do Boavista FC, CM do Porto e AgoraPorto. A compor a manhã desportiva esteve uma corrida cronometrada na extensão de dez quilómetros e ainda uma caminhada somente com fins lúdicos, da promoção da saúde e bem-estar.

A equipa de OPraticante.pt esteve presente no evento e agora apresentamos todos os detalhes sobre como tudo decorreu.

Percurso na Boavista debaixo de chuva e frio

A Corrida da Pantera teve partida e chegada junto ao Estádio do Bessa Séc. XXI e aos atletas era proposta uma corrida na extensão de dez quilómetros a uma só volta.

Partido de junto da Pantera que caracteriza a paisagem da zona, os atletas depressa rumavam à direita pela Avenida da Boavista que seria o palco central da prova. Os primeiros quilómetros de prova eram em tom de descida. Ao quilómetro três de prova, os atletas faziam incursão à direita junto do parque da Cidade e pela rua do Parque iam até junto de Aldoar onde faziam um retorno e regressavam à Avenida da Boavista.

O retorno principal da prova acontecia ainda antes da Rotunda do Castelo do Queijo e como diz o ditado, tudo que desce em prova, acaba por subir e de facto a segunda metade da prova foi subir a Boavista até regressar junto do Estádio do Bessa.

O percurso da Corrida da Pantera apresentou-se um percurso simples, mas adequado e equilibrado para uma excelente prova. Provas com um percurso a uma só volta são sempre bem-vindas. A estragar o cenário foi mesmo o mau tempo que se fez sentir na manhã de Domingo que fez os atletas correrem debaixo de uma grande chuva, vento e frio que não deu descanso em grande parte do tempo em que os atletas estiveram em prova.

José Azevedo vence 1ª Corrida da Pantera

Como se costuma dizer na gíria, o primeiro prémio saiu à casa e de facto pode-se aplicar isso à Corrida da Pantera uma vez que o seu vencedor foi o atleta do Boavista Futebol Clube, José Azevedo que dominou e controlou a prova de inicio a fim e terminou a prova isolado com um tempo de 30:34min. Na segunda posição ficou um segundo atleta da casa, mas desta feita ligada ao triatlo, Joaquim Lopes do Boavista FC Triatlo com 32:23min e na terceira posição, José Rocha do Sport Comércio e Salgueiros com 32:27min.

Patrícia Oliveira vence competição feminina

Na vertente feminina da Corrida da Pantera, a disputa foi mais aguerrida e com a vitória a cair para Patrícia Oliveira do Grecas-Vagos que terminou a prova com 35:15min. Completaram o pódio, Andreia Cunha da Fisio e Liliana Rocha da RunRiver – Escola de Atletismo de Rio Tinto que terminaram com o mesmo tempo de 35:56min.

A prova teve vencedores por escalão e estes foram os seguintes:

Na competição masculina venceram Diogo Ribeiro do Clube Portugal Telecom (Sub 23), Marco Barbosa do Boavista FC (Séniores), Ricardo Ferreira do SC Espinho / António Leitão (Vet I), Miguel Figueiredo da Fisio (Vet II), Paulo Reis do SC Espinho / António Leitão (Vet III), Mário Gonçalves do GDR Juventude das Ribeiras (Vet IV), Augusto Pereira do S. Salvador do Campo (Vet V) e Adérito Alves do Sport Comércio Salgueiros (Vet VI).

Na competição feminina triunfaram Sofia Teixeira do FamRun Club (Sub 23), Rita Lopes do Boavista FC Triatlo (Séniores), Sílvia Teixeira do Boavista FC (Vet I), Susana Pinto dos Nascidos para Correr (Vet II), Paula Andrade dos No Tomorrow (Vet IV) e Filomena Azevedo (Vet V).

Pantera

OPraticante.pt com três pódios na Corrida da Pantera

A equipa de OPraticante.pt esteve representada no evento com oito atletas e obteve três pódios. Tiago Lopes conquistou o segundo lugar no escalão sub23 a terminar a prova no 42º lugar da geral com um tempo de 37:14min.

Uma prova inovadora, a primeira edição foi uma prova de aprendizagem para a próxima edição, percurso de altos e baixos .. primeira parte descida e a segunda numa subida complicada, mas quem está habituado, é super normal, gostei, parabéns à organização.” acrescentando “Com a prova controlada, consegui mais objetivo de pódio e sempre com o nosso Praticante ao mais alto nivel.” as palavras de Tiago Lopes após a sua prestação.

Pantera
Tiago Lopes, um dos representantes de OPraticante.pt a obter pódio

Helena Santos atleta que milita no ACD São João da Serra e que participou nesta prova a representar também o nosso projecto conquistou o primeiro lugar no escalão VetIII depois de ter cruzado a linha de meta com 44:09min no lugar 176 da classificação geral.

Helena Santos declarou à nossa equipa de reportagem “2ª Prova da época em menos 24h, grande maluquice, 🔝🔝 espetáculo
Corrida da Pantera, 1° Lugar F50, Obrigada ao O Praticante pela oferta do Dorsal, Sigaaaa para a próxima

Pantera
Helena Santos que representou OPraticante.pt / ACD São João da Serra

O triplete de pódios ficou fechado com Adelaide Veludo que venceu o escalão Vet VI ao terminar a prova com 49:35min no lugar 298 da geral.

E Adelaide Veludo referiu “Gostei da prova,  fiz um tempo normal, a subida da Avenida da Boavista não foi problema para mim, prosseguindo para a vitória do meu escalão, sobre a organização felicito-os pela excelente organização

Pantera
Adelaide Veludo, outra dass representantes de OPraticante.pt a obter pódio

A representar a equipa estiveram ainda:

José Fernando Costa (48º geral / 14ª sénior) – 37:37mim # Marco Ferreira (74º geral / 21º sénior) – 39:11min # Miguel Santos (161º geral / 27º VetI) – 43:28min # Nuno Fernandes (437º geral / 110º sénior) – 57:31min # Helena Santos (458ª geral / 22ª sénior) – 59:19min # Patrícia Silva (469ª geral / 26ª sénior) – 01:00:00

E tudo a chuva atrapalhou

A Corrida da Pantera teve como grande convidada, a chuva que marcou o Domingo. Todo o evento decorreu debaixo de chuva, vento e frio. Devido às condições climatéricas, antes da partida poucos eram os corajosos que andavam na rua e era ver os atletas a se abrigarem da chuva em tudo que era espaço abrigado. Após a prova, poucos foram os que ficaram presentes para assistir à cerimónia do pódio já que o frio era muito. Ou seja, a festa que se pretendia ser longa, acabou por ser encurtada, pela intempérie que a Norte se fez sentir e prejudicou de certa forma a edição inaugural.

Evento com organização à altura e a prometer mais na próxima edição

A Corrida da Pantera tinha o seu quartel general junto ao Estádio do Bessa e no local estava instalada uma estrutura para um bom evento. Todas as valências para a prova estavam presentes: cronometragem, espaço de abastecimento final, espaço de massagens, zona de pódio. O pórtico de partida estava muito bem trabalhado e com a caixa de partida bem isolada.

O secretariado da prova estava instalado nas instalações do Estádio e funcionou na sexta-feira e no sábado. Verificou-se que muitos atletas não ficaram contentes por não serem entregues kits no Domingo. Acredito que é uma situação na minha opinião pessoal a rever, pois há atletas que são de longe do Porto e andar a fazer viagens extra para levantar o kit da prova irá fazer muitos afastarem se de ir à prova.

Aos atletas que participavam na prova era entregue um saco com uma t-shirt técnica branca alusiva à prova, o dorsal com chip, caneta e folhetos promocionais. Após o término da prova, os atletas recebiam para além da medalha finisher um abastecimento com água, isotónico e uma bola de Berlim. Para um preço de inscrição de dez euros na prova, o que os atletas receberam está a um nível aceitável.

Era visível antes e após a prova ver todo o staff da estrutura a querer dar o melhor de si para ajudar os atletas e quando assim é, tudo corre bem.

Percurso bem trabalhado

O percurso onde decorreu a Corrida da Pantera como já mencionado, é um percurso interessante e adequado para esta prova. No entanto temos de fazer referência que a distância apresentada no final não era de dez quilómetros como anunciada inicialmente, mas tendo pouco mais de nove quilómetros, sendo esta a única critica a apontar ao evento.

Para a próxima edição, colocar a distância certa é essencial e dava a sugestão de se aproveitar as imediações do Bessa e porque não se dar uma volta dentro do Estádio? Era certamente algo que seria bem visto por muitos atletas.

No que toca ao percurso deste ano, tudo esteve em condições ao longo da sua extensão, com tudo bem isolado nos cruzamentos e nas faixas de cruzamento com outras vias. A prova teve um abastecimento de águas ao quilómetro cinco e em todos os quilómetros havia placas informativas.

Pantera

Uma prova que merecia mais público

A Corrida da Pantera dadas as condições climatéricas que se fizeram sentir foi parca em público. Mesmo a adesão na caminhada foi reduzida. Nada a recriminar, pois, a chuva não deu tréguas, contudo era uma prova que merecia mais e melhor e acredito que numa próxima edição terá mais adesão popular para além dos participantes no evento.

Pantera

 

Mais uma prova, mais uma linda medalha

Já se torna cliché este elogio, mas de facto as verdades são para serem ditas. Tal como já tinha acontecido na semana anterior na Corrida da Praia do Areinho, a Oficina das Medalhas apresentou na Corrida da Pantera uma belíssima medalha com a alusão ao clube que se festeja, ao seu símbolo, em suma mais um grandioso trabalho.

Corrida da Pantera

Corrida da Pantera, uma prova que tem tudo para se afirmar

A Corrida da Pantera foi uma prova que mesmo com os constrangimentos causados pelas condições climatéricas foi um sucesso. Em termos de adesão, a corrida cronometrada teve 523 finalizadores. Poucas são as provas que conseguem obter um tão grande número de adesão numa edição inaugural.

A celebração da garra boavisteira já há muito devia ter acontecido no atletismo. Mas antes tarde do que nunca isso aconteceu e agora é manter estes números e quem sabe os aumentar, pois num dia de bom tempo, num percurso com a distância correcta e criando dinâmicas para que os atletas de longe possam levantar o seu dorsal no dia da prova, muitos mais atletas estarão presentes e assim muito melhor e grandiosa será a festa.

 

Página do evento.

Mais informações sobre a prova.

Página da organização.

[divide icon=”circle” width=”medium”]

Texto: Nuno Fernandes
Fotos: José Coutinho / Proevents

Parceiros

Deixe uma resposta