Coluna Dto
Coluna Dto
Coluna Esq
Coluna Esq

Paraciclista Luís Costa repete classificação de Corridonia

O Paraciclista português Luís Costa repetiu em Ostende (Bélgica) resultado da ronda inaugural da Taça do Mundo e voltou a ser oitavo classificado no contrarrelógio da Classe H5.

Oitavo lugar para o paraciclista Luís Costa

O primeiro dia de competições da Seleção Nacional de Paraciclismo na Taça do Mundo foi assinalado pelo oitavo lugar do paraciclista Luís Costa, no contrarrelógio da corrida H5, destinada a bicicletas de mão e na qual o ciclista se posiciona de joelhos.

O corredor algarvio percorreu os 18 quilómetros da prova em 32m11s, ficando a 2m17s do campeão mundial da especialidade, o holandês Tim De Vries. Com este resultado, Luís Costa repetiu, em Ostende (Bélgica), a mesma classificação obtida, na semana passada, em Corridonia, Itália, na primeira prova pontuável da Taça do Mundo de Paraciclismo 2019. Com este resultado, Luís Costa somou mais 20 pontos ao ranking individual, sendo o 6.º na tabela de contrarrelógio H5.

No final o paraciclista expressou na sua página “Fiz 8.º lugar no contrarrelógio da Taça do Mundo em Ostend, Bélgica. O vento muito forte (rajadas de 40km/h) tornou a prova muito dura para todos nós, mesmo tendo sido encurtada a distância inicialmente prevista, de 27km para 18km.
Apesar de até me ter sentido muito bem e ter dado tudo o que tinha, não deu para ficar melhor classificado. Amanhã é dia de recuperação e no sábado à tarde disputo a prova em linha, onde por norma consigo melhor resultado nesta cidade. Obrigado a todos pelas mensagens de apoio! Tuga power!

Luís Costa e Flávio Pacheco

Vários corredores portugueses em ação

A primeira jornada da ronda de Ostende da Taça do Mundo de Paraciclismo contou com vários corredores portugueses em ação. Na corrida de contrarrelógio da Classe H4, Flávio Pacheco, em representação da Seleção Nacional foi 20.º classificado, a 5m24s do holandês Jetz Plat, que confirmou o favoritismo à partida.

Um contratrelogio que na minha opinião não correu bem,19° em 32 atletas,percurso totalmente plano com vento muito forte cerca de 40km\h que para mim e o meu “peso pluma”não favorece em nada,agora há que recuperar ,limpar a cabeça e sabado a prova em linha sera diferente ,onde vou lutar para o top 10…
Peço desculpa pelo resultado mas nestas condições não dava para mais…
Muito obrigado a todos pelo apoio” foram as palavras de Flávio na sua página

Carlos Neves e André Sobreiro, a título individual, competiram na mesma prova, classificando-se, respetivamente, na 31.ª e 32.ª posição.

Portugueses discretos na segunda jornada

Por sua vez, na corrida individual da Classe H3, a mais concorrida da Classe H, João Pinto foi 42.º classificado, sendo seguido, entre os portugueses, por Diogo Oliveira, 50.º classificado.

O paraciclista Telmo Pinão, a competir na Classe C2, foi 16.º na prova de contrarrelógio da Taça do Mundo de Paraciclismo que se disputa até domingo na Bélgica.

Em representação da Seleção Nacional, Telmo Pinão foi esta sexta-feira 16.º classificado da prova de contrarrelógio da Classe C2. O segundo dia da Taça do Mundo de Paraciclismo, cuja segunda ronda se disputa até domingo em Ostende (Bélgica), arrancou com a disputa da prova individual C2, na qual o australiano Darren Hicks se revelou o mais rápido a percorrer os 27 quilómetros do percurso.

Pinão, fez uma prova regular nos tempos intermédios do percurso – três voltas – assinalando no primeiro ponto cronometrado o 17.º registo e, na volta a seguinte, o 16.º melhor tempo. No final, o 16.º lugar traduziu-se num atraso de 4m37s para o vencedor. Na etapa anterior da Taça do Mundo de Paraciclismo, disputada na passada semana em Corridonia (Itália), Pinão foi 12.º classificado, num percurso com menos quilómetros, mas mais exigente.

O segundo dia de competição contou ainda com outros atletas portugueses, a competirem a título individual. Na prova de contrarrelógio Classe C3, Paulo Barreto foi 24.º classificado. Na Classe C4, igualmente no contrarrelógio, João Monteiro foi 13.º classificado.

Texto / Fotos: Henrique Dias / União Velocipédica Portuguesa – Federação Portuguesa de Ciclismo

Sobre o Autor

Artigos relacionados

Deixe uma Resposta