Penacova, o Trail respira bom ar!

Penacova

Foto: Rafael

Carlos Sá Nature Events, com o apoio e colaboração das Câmaras Municipais de Penacova, Mealhada e Mortágua e da Fundação Mata do Buçaco organizou mais uma edição do Penacova Trail do Centro. OPraticante.pt teve o privilégio de ser média partner do evento.

Penacova
Foto: Ana Ferreira Photos

No dia 4 de Setembro tivemos o Prólogo PTC 2,3km. Já no dia 5 de Setembro decorreu o Trail Ultra 45km, o Trail Longo 30Km e o Trail Curto 17km. Ainda nesta data foi realizada uma caminhada solidária 12Km que reverteu em parte para os Bombeiro Voluntários locais.

Desfrute aqui do video elaborado pelo OPraticante.pt

Leia também

Mata do Bussaco uma surpresa no Trail de Penacova

Texto: Pedro Garrido / OPraticante.pt
Fotos: Ana Ferreira Photos / Kabazuk Photography / Rafael / Thiago Lemos

Penacova Trail do Centro com uma “arrojada” organização

Esta edição trouxe algumas novidades! E desde já os nossos parabéns à organização por esta atitude proactiva, dinâmica, “arrojada”.

Além do prólogo realizado no dia anterior na Mata do Buçaco, a partida dos 45Km aconteceu na Praia Fluvial do Vimieiro. Praia lindíssima, no rio Alva, que recentemente foi requalificada.

Penacova
Foto: Thiago Lemos

Também a caminhada não teve início na Praia Fluvial do Reconquinho, local base do evento.

A organização deu uma ajuda no nível de dificuldade do percurso, transportando os participantes para o alto da serra, nos Moinhos de Gavinhos.

Mais um local de visita obrigatória em Penacova!

Penacova respira bom ar

Há medida que os autocarros chegavam à Praia Fluvial do Vimieiro, os atletas dos 45Km iniciavam o seu aquecimento, passavam pelo controlo zero e por fim era dada tão esperada partida.

Penacova
Foto: Rafael

Apesar de obrigar a muito cuidado, foi de facto um privilégio começar a correr neste local. Penacova é, sem dúvida, saber onde a Natureza vive e onde se respira bom Ar.

Com a beleza das margens do rio Alva e o declive pouco acentuado, mesmo sabendo que teríamos pela frente muitos e muitos kms, muita subida,.. foi difícil controlar o ritmo fazendo com que os cerca de 14 km iniciais fossem feitos a “todo gás”!

Penacova
Foto: Thiago Lemos

Passagem no Reconquinho, junção com os 30km

Em Penacova, a passagem no Reconquinho, com aquele ambiente fantástico – proporcionado pelo o público, os atletas que aguardavam a partida, o speaker – fez disparar as emoções!

Momento que ficará na memória!

Penacova
Foto: Thiago Lemos

Pouco depois desta passagem, deixamos a margem do Rio Mondego e houve alguma concentração com a junção dos atletas dos 30Km.

O percurso em single track de declive acentuado e com miradouros muito peculiares – do avião, da janela – com vistas deslumbrantes sobre o Rio Mondego, esteve bastante congestionado!

Foto: Ana Ferreira Photos

Estes quilómetros foram comuns aos percursos de trail 2 e 3 do Centro de Trail de Penacova, que podem ser realizados em qualquer altura do ano!

Escalada aos Moinhos de Gavinhos e divisão de atletas em Lorvão

Após passagem em frente à Camara Municipal de Penacova, a partir da ascensão ao miradouro Penedo do Castro até ao Mosteiro do Lorvão o percurso dos 45/30Km coincidia com o dos 17Km.

Foto: Thiago Lemos

Pelo meio tivemos duas grandes subidas, com destaque para a mítica subida aos Moinhos de Gavinhos!

É uma escalada autêntica! Zona muito dura, mas onde os atletas têm direito a um caloroso público a apoiar!

Chegados a Lorvão, era local de divisão dos atletas consoante a sua distância.

Foto: Thiago Lemos

Os atletas dos 17km e os participantes da caminhada que se juntaram a partir dos Moinhos de Gavinhos, seguiam pelo percurso 3 do Centro de Trail de Penacova até à fonte histórica, e por fim atravessavam a aldeia de Chelo em direção à meta.

Enquanto isso, os atletas dos 30Km e 45Km, seguiram a subir (e muito!), em direção aos Moinhos da Aveleira, ponto de maior altitude da prova.

Foto: Thiago Lemos

Esta subida foi um duro golpe nas forças, as pernas terminaram a subida com caibras e não foi fácil continuar.

Aquela energia gasta nos quilómetros iniciais, feitos a um bom ritmo, fez tanta falta!

Km a Km até à Meta

O gráfico mostrava que iríamos ter o maior desnível negativo pela frente. E assim foi!

Sempre a descer até ao último posto de abastecimento, antes da meta, em Caneiro. Mesmo a descer o desgaste era enorme e a estratégia era “km a km”.

Foto: Thiago Lemos

A paragem no abastecimento era praticamente obrigatória. O calor era muito e as forças cada vez menos.

Muito obrigado a todo o staff dos postos de abastecimento, essenciais ainda mais nestes dias de muito calor.

Já na margem do rio Mondego, apesar do pouco declive, o trilho irregular (com pedras e areia) dificultou e muito a progressão, até porque ainda tinha que sobrar alguma energia para a última subida até a Aldeia de Chelo.

Foto: Thiago Lemos

Mas nesta altura ainda havia alguma sobra de energia?

Apenas o pensamento de concluir, de chegar à meta fazia mover as pernas!

Sempre a olhar para o relógio, embalado com a descida final, já se começava a sentir a proximidade do fim.

Pouco depois o Rio Mondego apareceu, os olhos brilharam e as dores (quase) desapareceram!

A meta era já ali!

Foto: Kabazuk Photography

Tipologia do Percurso, Abastecimentos e Organização

O percurso era, na sua maioria, composto por “single tracks”, com trilhos muito técnicos e desníveis consideráveis.

Ao contrário da edição anterior, já tivemos sólidos nos abastecimentos e nada faltou: amendoins, fruta (banana, laranja, melancia), tostas, sal, presunto,..

No fim, foi servido um almoço volante a todos os participantes.

Mais uma excelente organização do Carlos Sá, num local com excelentes condições para a prática do trail, bem dinamizado pela Câmara Municipal de Penacova, que até recentemente lançou uma aplicação “Trilhos Penacova”.

Mais uma ferramenta para descobrir Penacova durante todo o ano!

Parceiros

Deixe uma resposta